Sermão sobre Bartimeu, você e eu!

23/05/2021

 

Quem não enxerga é cego! Parece bastante óbvio. Então, vamos complicar um pouco mais. A cegueira pode ser total ou parcial, de perto ou de longe. Para isso, os óculos são as muletas dos olhos. Eles corrigem a visão. Eles nos ajudam a ver melhor. Os cientistas inventaram outros recursos aos olhos. O microscópio ou a lupa permitem enxergar pequenas coisas. O binóculo e a luneta permitem ampliar a visão. Não devemos esquecer ainda os óculos de sol, que trazem alívio em dias de muita luz. De maneira ilustrativa, podemos dizer ainda que existem pessoas que “não” querem ver. Todos veem, menos elas. A regra vale aos sentimentos, ao intelecto e, porque não dizer também, ao espírito. Existem situações e verdades que certas pessoas não aceitam ou não querem ver, infelizmente. A gente se pergunta: Mas, será que o fulano não percebe? Será que o beltrano não pensa? É cego! Dando um passo adiante na reflexão, afirmo que existem descuidos e acidentes que deixam uma pessoa cega. Todavia, alguém também pode cegar de paixão ou de ódio. Inúmeras vezes vi pessoas abandonarem a família por uma louca paixão. Dias atrás, uma mãe - recordando tempos idos - me agradeceu por ter ajudado a filha que se viu apaixonada por um sujeito à toa. Por fim, não esquecendo de dizer que o ódio não apenas cega. Mas, mata também. Tais situações aparecem diariamente nos noticiários, onde pais matam filhos ou filhos matam pais. O feminicídio virou moda. Com certeza, mulheres também matam seus companheiros.

Vou adiante... A cegueira é algo bem comum, a qual todos estamos sujeitos. Quando a Bíblia cita Jesus curando cegos, inclua-se nesta situação. Não pense que é apenas uma condição física do passado. Todos precisamos de Jesus. Somente ele pode reestabelecer uma visão plena da vida. Então, deixe os ouvidos atentos e o coração aberto à palavra de Deus. Também não tenha vergonha de assumir sua cegueira. Ela é obra do maligno. Mas, tem solução. Aliás, numa oportunidade os discípulos perguntaram a Jesus: Porque tal sujeito é cego? A culpa é dele ou é castigo pelos erros dos seus pais? O Mestre simplesmente disse apenas que estava ali uma oportunidade de manifestar-se o poder de Deus. Então, nada de vergonha. Deixe apenas Deus agir. Você dará glórias após o milagre realizado. Clareza sobre a nossa condição e sobre o futuro só Deus pode nos conceder. Então, devemos buscar nele a cura.

Em Marcos 10, versos 46 a 52, encontramos a seguinte situação: “Ao sair da cidade de Jericó, uma multidão seguia a Jesus. Eles encontraram Bartimeu, que estava sentado à margem do caminho. Ouvindo que Jesus de Nazaré se aproximava, o cego começou a clamar: Jesus, filho de Davi! Tem compaixão. O povo pediu que ele se calasse. Todavia, ele gritava ainda mais alto: Filho de Davi! Tem misericórdia. Então, Jesus parou e disse: Chamai-o! Então, disseram ao cego: Ânimo! Ele te escutou. Levanta-te e vai ao encontro do Mestre. De imediato, num salto só, recolheu sua capa e foi ao encontro de Jesus, que lhe perguntou: O que você deseja de mim? Bartimeu apenas respondeu: Senhor! Que eu torne a ver. Jesus lhe disse: Segue adiante. A tua fé te salvou. No mesmo momento, Bartimeu tornou a ver, passando a seguir Jesus estrada afora”. Compartilho algumas reflexões a partir do fato ocorrido...

A tendência é isolar a pessoa com deficiência. Por isso, Bartimeu estava fora da cidade, à margem da estrada. Ele foi marginalizado e continuaria nessa situação. O que mudou seu destino foi o encontro com Jesus. Mas, também sua insistência. Ele não conhecia o Mestre pessoalmente. Mas, já tinha escutado de sua fama. Dizem que a pessoa que perdeu um dos sentidos, desenvolve mais os outros. Ele estava atento ao que era dito pelo caminho. O amor de Jesus sempre o precedia. Por isso, o cego não se intimidou diante da ordem para ficar calado. Ele lutou pela cura. Aqui se faz necessário uma pequena mudança no foco, sobre a expressão “nazareno”. Bartimeu sabia donde tinha vindo Jesus. Ele não era um novo líder, profeta e benfeitor que veio do espaço. Jesus tinha raiz. Ele veio de Nazaré. Ele não precisava esconder sua trajetória. Nada na vida de Jesus o desmerecia. Hoje em dia aparecem sacerdotes e novas religiões que você não sabe donde vieram e com que intenção estão aí. Fique esperto e abra o olho. Não se deixe iludir com falsas promessas de revelações, curas e prosperidade. O evangelista faz questão em destacar que o cego apelou ao “nazareno”. Jesus jamais iludiu alguém.

Bartimeu apela pela compaixão e misericórdia do Filho de Davi. São termos ricos e profundos. Primeiramente, ele reconhece a origem humana do Salvador, mas também vê nele o Messias enviado por Deus ao mundo. Ele é o novo rei na linhagem de Davi. Num segundo momento, Bartimeu clama por compaixão que é padecer/sofrer com alguém. Ele pede que Jesus enxergue a sua dor. Apela também por misericórdia. O cego deseja que o coração de Deus o alcance na sua marginalidade. Humanamente falando, para Bartimeu não havia solução. Só Deus poderia mudar sua vida. Por isso, a insistência. Aquela oportunidade era única. Jesus para. Ele chama. Aqueles que desejavam manter Bartimeu no anonimato tiveram que retroceder, permitindo a aproximação do marginal ao Salvador. Frente a frente, Jesus questiona: O que você quer de mim? Para quem está longe parece ser uma pergunta boba. O que o cego poderia desejar mais do que ver? Os olhos podem não ter tanta clareza. Mas, o coração precisa estar certo do que quer. Muita atenção aí. A pergunta vale para Bartimeu, mas também para cada um de nós. Você está consciente da tua cegueira? Você realmente quer voltar a ver? Aquilo que te levou a cegueira continuará te afetando? Você só deseja sair das trevas ou também quer andar na luz?

Muitas pessoas buscam a fé, a religião e até mesmo Deus e Jesus sem comprometimento. Querem usufruir da cura, sem se envolver com o Mestre. De fato, isso pouco adianta. Melhor do que enxergar apenas com os olhos é ver também com o coração. Meu amigo! Disse Jesus. A tua fé te salvou. Siga o teu caminho. Bartimeu, ao enxergar, soube que, para sua vida, não havia outro destino a não ser seguir a Jesus. Passou a caminhar ao lado dele. Eis aí a verdadeira cura, que é não é apenas exterior. Ela brota de dentro para fora. Infelizmente, vivemos tempos de trevas. Há doenças e males de todos os tipos. Paixões e ódio se alastram. A cegueira é física. Mas, também sentimental quando pessoas são excluídas. A cegueira é espiritual. Mesmo dentro das igrejas, há pessoas que, em nome da fé, se fanatizam.

A história de Bartimeu é um alerta e, ao mesmo tempo, uma proposta. Em Jesus - somente em Jesus - há salvação. Não são homens ou religiões, apenas Jesus. Enquanto o maligno semeia as trevas, mantendo as pessoas confusas e desorientadas, Deus envia seu único filho para ser a LUZ DO MUNDO. Ele clareia. Ele esclarece. Ele cura os olhos. Dá visão. Ele cura o coração. Traz esperança. Não se intimide. Faça como Bartimeu. Clame por Jesus que a cura acontece. Mas, jamais se esqueça de que - mais importante do que a cura física e a reintegração à sociedade - é o compromisso de seguir lado a lado com o Salvador, permitindo que ocupe o centro de nossa vida como Senhor. Que Deus te abençoe, amém!
 


Autor(a): P. Euclécio Schieck
Âmbito: IECLB / Sinodo: Norte Catarinense / Paróquia: Garuva-SC (Martinho Lutero)
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Testamento: Novo / Livro: Marcos / Capitulo: 10 / Versículo Inicial: 46 / Versículo Final: 52
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Meditação
ID: 62595
REDE DE RECURSOS
+
Tenham entre vocês o mesmo modo de pensar que Cristo Jesus tinha.
Filipenses 2.5
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br