Sepultamento

19/04/2023

Sepultamento
Leituras Bíblicas: Salmo 103. 15-18; João 14.1-6.
P. Ricardo Brosowski – Campo Novo do Parecis – MT

 

IGREJA – CAPELA - CASA

ACOLHIDA
Hoje, como Igreja Cristã, nos reunimos com amigos e família, para nos despedirmos de ___________________. O que motiva esse nosso encontro é a esperança de que a morte não é o fim. A causa dessa nossa esperança é a vida e a obra que Jesus Cristo fez em nosso favor, ao morrer na cruz e ressuscitar, dando a cada um de nós, pela fé, o perdão dos pecados, a certeza da ressurreição e a vida eterna.
Aqui estamos, entristecidos, mas na certeza de que Deus está conosco.
Aqui estamos chorosos, mas não sem a esperança que o próprio Deus nos concede, que é a certeza da vitória da vida sobre a morte.

INVOCAÇÃO TRINITÁRIA
Em meio ao luto e ao sofrimento nos reunimos, em nome do Deus que é Pai, é Filho e é Espírito Santo (+). Amém.

ORAÇÃO DO DIA
Oremos: Deus onipotente, onipresente, onisciente e eterno, que pela morte de teu Filho acabaste com o poder do pecado e da morte. E que por sua ressurreição deste-nos a vivência em teu Reino, para que não temêssemos nem mesmo a morte: concede-nos consolo e guarida nesse momento de despedida, auxilia nossos corações a crermos firmemente na ressurreição e que vivamos dessa fé. Em nome de Jesus Cristo, que nasceu, sofreu e morreu por nós, mas ressuscitou, e contigo e com o Espírito Santo vive e reina desde sempre e para sempre. Amém.

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica:
Sujeitemos nos à vontade de Deus, ouvindo a sua santa Palavra: Salmo 103. 15-18.
Quanto ao homem, os seus dias são como a erva, como a flor do campo assim floresce.
Passando por ela o vento, logo se vai, e o seu lugar não será mais conhecido. Mas a misericórdia do Senhor é desde a eternidade e até a eternidade sobre aqueles que o temem, e a sua justiça sobre os filhos dos filhos; sobre aqueles que guardam a sua aliança, e sobre os que se lembram dos seus mandamentos para os cumprir.

2ª Leitura Bíblica
Também queremos ouvir o consolo que vem das Sagradas Escrituras: João 14. 1-6.
Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vos teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também. Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho. Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho? Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.


CANTO
Nº 627 – Livro de Canto da IECLB – Por tua mão me guia.

ALOCUÇÃO
Morte! Segundo o dicionário, ela possui a seguinte definição: Interrupção definitiva da vida de um organismo, ou, fim da vida humana. Estamos acostumados com essa definição. Tão acostumados que, inclusive, criamos ditados populares sobre ela. Quem nunca ouviu ou proferiu a frase: “-A única certeza que temos nessa vida é a morte?” Ou: “-A morte faz parte da vida?” Ou ainda: “-Só para a morte não existe solução?”
Sabemos disso! E por sabermos disso é que a morte se torna tão sofrida. Pois, sabemos que um dia morreremos e que as pessoas que nós amamos, também morrerão. Quando nos deparamos, frente a frente, com a realidade da morte, ela nos mostra a sua mais cruel realidade: Quem morreu, morreu! Nós não temos mais acesso a essa pessoa.
É nesse momento, que a pequena palavra morte ganha contornos dolorosos. Ela coloca sobre nossas mentes e corações sentimentos que não gostamos de sentir: dor, luto, medo, angústia, saudade, tristeza, remorso, incertezas, entre tantos outros. Ela coloca sobre nós um silêncio de separação, quase que ensurdecedor. As pessoas que amamos, pela morte, são arrancadas de nós. O abraço ficará vazio, os cuidados dispensados cessarão, a voz, as risadas, o carinho ficarão na memória, nas fotos, nos vídeos, não mais que isso. E isso dói!
E como Igreja Cristã, somos ombro para aqueles que choram. E é nesse ombro, nesse abraço que a Igreja oferece, que estão inclusas as palavras de Cristo em João 11. 25-26: -Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente. Você crê nisso?
Nessas palavras ditas pelo nosso Salvador, podemos afirmar que sim, os ditados populares estão certos. Mas não estão completos. A morte faz parte da vida? Faz sim, mas a ressurreição também. Assim a morte é apenas uma passagem para a vida, novamente. A única certeza que temos na vida é morte? Em parte. Sabemos que vamos morrer e que as pessoas que amamos também irão morrer. Mas, pela fé em Cristo, também temos a certeza da ressurreição e da vida eterna. Só para a morte não existe solução? Aqui na vida terrena é verdade. Mas existe sim um remédio, mas ele não está em nossas mãos.
O remédio para a morte é nos dado por Cristo. Nós nada podemos fazer contra o poder da morte. O máximo que conseguimos é adiá-la por algum tempo. Mas ela chega para todos. O antídoto definitivo para a morte é um presente, uma graça que o próprio Deus nos concede. Não nem merecíamos recebe-lo, mas por seu amor, Deus o concede para nós.
Lembrando um hino de Lutero: “A nossa força nada faz, sozinho estou perdido. Um homem a vitória traz, por Deus foi escolhido. Quem trouxe essa luz? Foi Cristo Jesus, o eterno Senhor, outro não tem vigor. Triunfará na luta”.
Cristo a nós se entregou, e ao morrer, por nós, nos dava a certeza de que a morte não é o fim. Ela está remediada, e a ressurreição é certa, não por merecermos, mas pelo amor de Deus, que nos oferece isso como presente.
Vida e morte são termos que giram em torno de nós hoje. A morte alguém que amamos gera em nós uma dor de perda irreversível. E podemos chorar essa perda. Mas o nosso choro deve estar ligado à esperança de um novo amanhã. Podemos prantear a dor do luto, mas precisamos sempre lembrar que a misericórdia que Deus tem de nós, nos traz uma esperança viva, de que a morte não é o fim, mas uma passagem para a vida nova.
Sim, a realidade do túmulo é escura, dolorida, gelada. Sabemos disso. Mas também sabemos, cremos e confessamos que a realidade da ressurreição é verdadeira. Pois Cristo venceu a morte, Cristo venceu a realidade da sepultura, venceu o poder do pecado, ressurgindo no terceiro dia.
Estamos inclusos na sua morte, e também estamos inclusos na sua ressurreição.
Assim sendo, queridos irmãos e irmãs, estimada família enlutada. Recebam nosso abraço solidário neste momento triste. Deus está com vocês! Mas também creiam que a ressurreição é certa, e se cremos que Cristo morreu por nós, também estaremos com Ele na santa casa paternal de Deus. Que essa seja a nossa certeza, a nossa fé e o nosso testemunho. Amém.


LEITURA DOS DADOS
(proceder neste momento a leitura dos dados da pessoa falecida. Também fazer o convite para o culto de oração memorial).

CONFISSÃO DE FÉ
Confessamos que Cristo morreu, mas ressuscitou, e por Ele, nós também seremos chamados, no último dia, novamente para vida, através da nossa ressurreição. Digamos isso em conjunto, através das palavras do credo apostólico.

Creio em Deus Pai, ...


ORAÇÃO
Temos um momento de oração: Senhor, todo poderoso, Pai celeste, sabemos que todos nós estamos nas tuas mãos. Também sabemos que todos deixaremos essa vida em algum momento. Tu pões um ponto final em nossa vida aqui nesta Terra, e desse ponto não passamos.
Sabemos que estamos sob a tua vontade. E a tua vontade chamou dessa vida temporal nossa(o) irmã(o) __________________________. Te rendemos graças por tudo que deste a ela (ele), pelos bens, pelos dons, pela família, pelas vezes que recebeu amor e deu amor para os que estavam a sua volta, pelas vezes que recebeu perdão e teve a oportunidade de perdoar. Também te agradecemos pela sua plenitude de teu amor que pôde experimentar no lavar regenerador do santo Batismo, pelas vezes que partilhou a Santa Ceia, e, também pelas vezes que ouviu e praticou a tua santa Palavra.
Esteja com as pessoas entristecidas nesse dia com teu consolo. De modo bem especial lembramos da família que aqui ficou. Concede uma fé inabalável na ressurreição, a fim de que os temores da morte sejam afastados e viva-se uma fé verdadeira naquilo que Cristo nos deu, em sua morte e ressurreição.
Ajuda-nos a estarmos preparados também para a nossa morte. E quando chegar a nossa hora, nos reúna todos e todas em tua santa casa paternal, dando-nos a oportunidade de, com todos os remidos, glorificarmos a ti por toda a eternidade. Oramos em nome de Jesus Cristo, aquele que por nós venceu a morte:
Pai nosso que estás nos céus...

DESPEDIDA
“Início e fim são teus, Senhor.
O espaço entre eles, a vida, foi minha.
Errando no escuro sem vida achar –
Em ti, Senhor, há clareza e tua casa é luz”.
(Dietrich Bonhoeffer).

ENCOMENDAÇÃO

Vamos em paz, acompanhemos o corpo de nosso irmão (nossa irmã) __________________, até seu penúltimo repouso. Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo que, segundo a sua muita misericórdia nos chamou para uma vida de esperança, mediante a ressurreição de Cristo Jesus, nosso único e suficiente Salvador.

(Olhando para a pessoa falecida):
O Senhor guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre. Que o Senhor olhe para ti com misericórdia e voz conceda a paz eterna (+). Amém.

Enquanto nos despedimos de nosso(a) irmão(ã) falecido(a), cantamos:

CANTO
Nº 329 – Livro de Canto da IECLB – Mais perto quero estar.

CEMITÉRIO

CANTO PARA BAIXAR O ATAÚDE
Nº 641 – Livro de Canto da IECLB – Os que confiam no Senhor.

Que o consolo de nosso Deus esteja e permaneça conosco. Amém.
Vinde, e tornemos ao Senhor, porque ele nos despedaçou, e nos sarará; fez a ferida, e a ligará (Oséias 6.1).

Visto que Deus, o Onipotente, foi servido em chamar para si a(o) nossa(o) irmã(o), entregamos o seu corpo à terra, de onde veio e para onde agora retorna:
Terra a terra, cinzas a cinzas e pó ao pó. Na segura e certa esperança da ressurreição dos mortos e vida eterna, mediante Jesus Cristo. Amém.

ORAÇÃO
Senhor, fortalece a nossa fé na ressurreição. Ajuda-nos em nossos momentos de saudade, dor e angústia. Permita que nossos corações, nesse mundo cercado de sofrimento e morte possa buscar as coisas que vem de Ti. Que sempre possamos crer e proclamar como Jó: Eu sei que meu Redentor vive. Ensina-nos a te servir por todos os dias da nossa vida. E que também possamos aprender a contá-los, para que alcancemos um sábio coração. Por Jesus Cristo, que e a razão da nossa esperança. Amém.

BÊNÇÃO
Que o Senhor te abençoe e te guarde! Que Ele olhe para ti e tenha misericórdia de ti. Que sobre ti Ele levante o Seu rosto e vos dê a paz. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo (+). Amém.

ENVIO
Que sempre creiamos na ressurreição e na vida eterna. Amém.
Enquanto prestamos nossas últimas homenagens a _______________________________ e o sepulcro é fechado, cantamos:

CANTO FINAL
Nº 590 – Livro de canto da IECLB – Quão bondoso amigo é Cristo.
 


Autor(a): Pastor Ricardo Brosowski
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 70153
REDE DE RECURSOS
+
A Palavra de Deus é a única luz na escuridão desta vida. É Palavra da vida, de consolo e da toda bem-aventurança.
Martim Lutero
© Copyright 2024 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br