1 Pedro 1 17-23 - 3º Domingo da Páscoa - 23/04/2023

15/03/2023

23/04/2023 – 3º Domingo da Páscoa
Leituras: Salmo 116 1-4; 12-19 - Lucas 24 13-35
Pregação: 1 Pedro 1 17-23
Miss. Elcio Ricardo da Silva – Paróquia de Água Boa - MT


LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Boa dia/Boa Noite!
É muito com encontrar com você aqui para este tempo de celebração. Seja bem-vindo!
Viemos de diferentes endereços e chegamos aqui de diferentes formas. Mas agora na casa de Deus temos um objetivo em comum. Celebrar ao nosso Deus que tem cuidado de nós e que diariamente tem derramado da sua graça sobre as nossas vidas. Que estejamos aqui não somente de corpo presente, mas que especialmente o nosso coração possa estar aqui e que ele seja como uma terra pronta para receber a semente. Como comunidade nos reunimos. Como comunidade celebramos.
Saúdo-nos com as palavras de Lucas 24.32 que dizem: “Os discípulos de Emaús disseram um ao outro: Porventura não nos ardia o coração quando ele, pelo caminho, nos falava, nos expunha as Escrituras?”. O que nos reúne aqui é a palavra de Deus. Viemos para ouvi-la. Que ela possa encontrar o nosso coração pronto para recebê-la. Que ela nos faça arder o coração. Porque os discípulos de Emaús quando reconheceram Jesus, deixaram de lado toda a tristeza, todo o desânimo e voltaram para contar aos demais que o Mestre tinha estado com eles. Que a Palavra de Deus hoje, nos motive para a semana que se inicia.

Acolhida aos visitantes:
Gostaria de acolher os visitantes. “É muito bom ter você aqui”. Nos alegramos com a sua escolha em celebrar com a nossa comunidade. Tenha liberdade de voltar quando desejar e querendo fazer desta igreja a sua igreja: Seja muito bem-vindo. Receba o nosso abraço ao início deste culto.


CANTO DE ENTRADA
Nº 003 – Livro de canto – Trino Deus
Ou: Nº ____________________________________________________


ORAÇÃO
Senhor nosso Deus. Aqui nos reunimos para este tempo de celebração. Tu conheces Senhor, a cada um de nós de maneira muito particular. Sabes como cada qual aqui chega. Trazemos conosco as nossas alegrias, tristezas, decepções e preocupações. Por isso queremos ao início deste culto colocar tudo diante de Ti. Tira de nós Senhor tudo o que pode nos atrapalhar de realmente celebrar este culto em tua honra e glória. Dá Senhor que nossas vozes se erguem e que o nosso louvar seja agradável a ti. Que tua palavra fale a nós de maneira muito especial. Que saímos daqui diferente de como entramos. Queremos também colocar diante de ti aquelas pessoas que por um ou outro motivo não puderam se fazer presentes. Abençoa também estas pessoas e que o teu santo espírito possa acompanhá-las lá aonde estiverem. Senhor, nós também reconhecemos que estamos reunidos aqui em teu santo nome, Tu que és Pai, Filho e Espírito Santo e somente a ti celebramos. Assim oramos! Amém.


CANTO
Nº 588 – Livro de Canto – Quem quer cantar do amor
Ou: Nº ____________________________________________________


LEITURA BÍBLICA:

Salmo 116 1-4;12-19
O Salmista fala do seu amor pelo Senhor Deus. Ele reconhece que Deus ouve as suas orações e que o livra de todo o mal que o cerca. Por outro lado, ele reconhece que não há nada que possa fazer para pagar tamanho cuidado de Deus por ele. Então ele decide se reunir com o povo para celebrar a Deus.
Deus também ouve as nossas orações. Deus também ouve o nosso grito de socorro. Deus também ouve a nossa confissão. Assim sendo, queremos agora confessar os nossos pecados


ORAÇÃO DE CONFISSÃO
Querido Deus e Pai
Como é bom saber que Tu não nos abandonas. Tu estás sempre ao nosso lado. Ouves a nossa oração e desejas conduzir-nos sempre pelos teus caminhos. Mas queremos agora reconhecer que nem sempre agimos de acordo com a tua vontade. São muitos os momentos que optamos por caminhar sozinhos. Em nossa ânsia de sermos autossuficientes deixamos de lado a tua companhia e optamos em caminhar na solidão. Por isso agora Senhor, nós queremos clamar pedindo: perdão.
Perdão Senhor pelas muitas vezes que deixamos de seguir a tua palavra.
Perdão Senhor pelas muitas vezes que deixamos de ser testemunhas desta palavra.
Perdão Senhor pelas muitas vezes que nos omitimos e não damos um bom testemunho.
Perdão Senhor quando pecamos com nossas palavras, que ferem e que matam.
Perdão Senhor quando pecamos com nossos pensamentos que são maldosos.
Não temos nada a oferecer em nosso favor, por isso suplicamos pelo teu perdão e pela tua graça transformadora e salvadora. Tem misericórdia de nós. Amém.


ANÚNCIO DO PERDÃO
“A luz brilha na escuridão para aquele que são corretos” (Salmo 112.4).
A luz de Deus ilumina todos aqueles que com ele caminham. Assim sendo, que a luz de Deus brilhe sobre nós e certo do perdão de Deus concedido possamos seguir em paz! Amém.


CANTO
Nº 51 – Livro de Canto – Cristo acolhe o pecador
Ou: Nº ____________________________________________________


LITURGIA DA PALAVRA


LEITURA BÍBLICA

Aclamemos o Evangelho cantando: Aleluia.

Leitura do Evangelho: Lucas 24 13-35


CANTO
Nº 604 - – Livro de Canto – Guia-nos Jesus
ou
Nº 619 -Livro de Canto – Meu bom pastor
Ou: Nº ____________________________________________________


PREGAÇÃO


Prezada Comunidade


Certa vez um homem queria muito comprar uma determinada mansão; o diabo, aproveitando-se da sua obsessão, propôs-se a ajudá-lo:
– Mas, há uma única condição – disse-lhe o demônio.
– Qual condição? – perguntou o homem, desconfiado.
– Está vendo aquele prego fincado na parede da sala de jantar?
– Sim!
– Eu te ajudo a comprar esta mansão. Ela verdadeiramente será sua, mas, aquele prego será meu. Você nunca poderá arrancá-lo de lá.
– Só isso?
– Só isso, confirmou o Diabo.
O homem aceitou a proposta.

Anos depois, o homem ofereceu um gigantesco banquete na sua mansão. As pessoas mais importantes de toda aquela região foram convidadas e confirmaram presença.

Aquele seria um jantar inesquecível, mas, no meio da festa, quando as pessoas iam começar a comer, o diabo entrou na sala carregando uma carniça fedorenta e a pendurou naquele prego, assustando e acabando com o apetite de todos.

O dono da mansão tentou argumentar, mas o diabo lhe disse:
– Lembre-se do nosso trato: aquele prego é meu! E eu vou usá-lo como bem entender.

Permita-me trazer esta história para a nossa realidade:
E se o homem da história fosse você?
Se você ganhasse uma maravilhosa mansão em troca de deixar apenas um prego na parede da sala, você toparia este acordo?
Imagino que a grande maioria de nós teria a tendência de fechar o acordo, afinal, em uma enorme mansão um simples prego na parede da sala se torna algo insignificante.
Porém não foi o que aconteceu. Aquele insignificante prego acabou com toda a beleza da mansão.

Se compararmos esta história com a nossa vida de fé, é preciso tomar muito cuidado, porque se deixarmos o mal dominar uma área qualquer da nossa vida, por menor que seja, ele infernizará toda a nossa existência.
Convido-os a leitura de: 1ª Pedro 1 17-23

A Primeira Carta de Pedro é um texto dirigido aos cristãos de cinco províncias romanas da Ásia Menor, provavelmente na parte final do séc. I (talvez pelos anos 80). Trata-se de comunidades do meio rural, pobres e altamente vulneráveis. É neste contexto que a hostilidade começa a manifestar-se cada vez mais contra os cristãos. As violentas e organizadas perseguições de Domiciano (que se traduzirão, para os cristãos, em massacres, torturas e sofrimentos indizíveis) estão já no horizonte próximo (década de 90).

Registra a história que Domiciano foi um imperador que perseguiu e matou milhares de pessoas que haviam abraçado o cristianismo. Ele carregava consigo um rolo e neste estava registrado o nome das pessoas que ele iria mandar matar. Mas um dia enquanto ele dormia uma criança pegou o rolo sem Domiciano perceber e entregou para a imperatriz que ao ler os nomes encontrou o seu próprio na lista. Naquele dia o reinado de Domiciano chegou ao fim.

Neste contexto, a Carta de Pedro exorta os crentes a manterem a fidelidade à sua fé, apesar da hostilidade atual e dos sofrimentos futuros. Convida-os a olharem para Cristo, que passou pela experiência da paixão e da cruz, antes de chegar à ressurreição; e exorta-os a manterem a esperança, o amor, a solidariedade, vivendo com alegria, coragem, coerência e fidelidade a sua opção cristã.

Pedro nos exorta a vivermos uma vida em santidade. A carta não se dirige a pessoas especialmente eleitas, mas a todos os membros das igrejas.
Diversas pessoas podem pensar que estão particularmente próximas de Deus, que sobre elas governa tão somente a bondade do Pai e não mais a severidade do Juiz. Os seus pecados não poderiam mais suscitar a ira de Deus, já que estariam sob a graça. Quem pensa dessa forma infelizmente compreendeu a Deus de maneira equivocada.
Deus é aquele que julga sem acepção de pessoas.
Deus sem dúvida tem filhos, mas não favoritos.
Ele não é condescendente com o pecado nem mesmo em seus filhos, mas os julga. Deus julga segundo a obra de cada um.

Para tornar mais marcante a exortação, o autor apresenta aos crentes a razão pela qual eles são convidados a viver na santidade: Deus pagou um alto preço para os resgatar da antiga maneira de viver. E esse preço não foi pago com ouro ou com prata, mas com o sangue precioso de Cristo, derramado na cruz.

Pedro usa como comparação o antigo comércio escravista. Um escravo era liberto do domínio de um proprietário por um prêmio elevado, para viver para o novo senhor. Desse modo Jesus nos redimiu na cruz da vida inútil que recebemos dos nossos antepassados. O ser humano separado de Deus em geral não se conscientiza do quanto a sua vida é inútil longe de Deus.
O ser humano não consegue salvar-se sozinho dessa conduta marcada pela tradição dos pais. É somente o resgate por outro que traz a ajuda necessária.

Qual foi o preço desse resgate para Deus?

Não foi coisas transitórias, prata ou ouro. São esses os meios usuais de pagamento. Com eles se podia comprar a liberdade de escravos. Porém o resgate de que a humanidade escravizada precisava é incomparavelmente mais pesado! Prata e ouro, os mais importantes meios de pagamento na terra, porém, são insignificantes demais para libertar da velha conduta e possibilitar a nova. Embora de alto valor, não deixam de ser passageiros como a terra.

A questão é esta:
Deus amou de tal forma os homens que enviou ao mundo o próprio Filho com uma proposta de salvação e de vida nova para o seu povo.

Porém, o ser humano em seu egoísmo e pecado não acolheu essa proposta de salvação e matou Jesus: esse foi o “preço” do amor de Deus e da sua vontade de nos fazer chegar à vida plena.
Mas a morte de Jesus não foi em vão: da sua fidelidade à missão do Pai, do dom da sua vida, nasceu uma comunidade de homens novos, que acolheram a proposta de Jesus e que aceitaram caminhar ao encontro da vida plena.

O nosso texto convida-nos, ainda a contemplarmos o imenso amor de Deus pelos homens. Esse amor traduziu-se no envio do próprio Filho (Jesus Cristo), com uma proposta de salvação. Da fidelidade do Filho ao projeto do Pai resultou o seu confronto com o egoísmo e o pecado e a morte na cruz. Não há maior expressão de amor do que entregar a vida em favor de alguém; e é dessa forma que Deus nos ama.

Temos consciência disso?

Temos consciência que Cristo entregou por nós seu precioso sangue?

Jesus, fez tudo isso para nos resgatar para a nova vida! Isso fundamenta a exortação: levem a sério sua vida, andem com temor! Saibam que foi paga com alto preço. Lidamos com cautela com aquilo que teve um alto custo!

O mundo em que vivemos potencializa mais o egoísmo e a autossuficiência do que o amor e a doação. Os homens do nosso tempo vivem, de forma geral, voltados para si mesmos, para os seus pequenos interesses pessoais e para a realização imediata dos seus sonhos, desejos e prioridades.
Nós, os cristãos, no entanto, somos convidados a viver e a anunciar a lógica de Deus, que é a lógica do amor e da entrega da vida até às últimas consequências.
Qual é a lógica que domina a minha vida?
O que eu transmito nas minhas palavras e nos meus gestos?
A lógica do amor, da entrega, da doação até às últimas consequências, ou a lógica do egoísmo, do orgulho, do amor-próprio?

É necessário lembrar que nós fomos regenerados não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente. Versículo 23: “Pois vocês, pela viva e eterna palavra de Deus, nasceram de novo como filhos de um Pai que é imortal e não de pais mortais”.

A referência ao renascimento constitui a justificativa mais profunda do amor fraternal. Com o renascimento os cristãos se tornam irmãos e irmãs, independentemente de sentirem simpatia recíproca ou não.
Como renascidos não somos de semente passageira, mas de incorruptível por meio da palavra viva e duradoura de Deus.

Ou somos cristãos, e nesse caso também somos renascidos, ou ainda não somos renascidos, e nesse caso também ainda não somos de fato cristãos.

O renascimento só acontece quando eu aceito Jesus, o cordeiro santo enviador por Deus, como meu Senhor e Salvador. Foi Jesus que pagou um alto preço para que tivesse vida e tivesse vida abundante.

Para finalizar:

Diante do amor incondicional de Deus, se faz necessário uma resposta nossa.
Segundo o autor da Primeira Carta de Pedro, essa resposta deve traduzir-se numa conduta nova de obediência a Deus, de entrega incondicional nas mãos de Deus, de adesão completa aos seus planos, valores e projetos.

O amor de Deus inspira-me e motiva-me para viver com coerência e fidelidade os seus valores?

É necessário viver uma vida em santidade.

Voltando a história inicial, é preciso tomar cuidado, porque um pequeno e insignificante prego pode tirar toda a beleza e majestade de uma mansão.
Em nossa vida de fé se deixarmos o mal dominar uma área qualquer da nossa vida, por menor que seja, ele infernizará toda a nossa existência.
Nós somos convidados e contemplar o plano de salvação que Deus quer concretizar em favor do homem e que leva Jesus (o Filho de Deus) a morrer na cruz.

Lutero escreveu: “apenas uma gota desse sangue inocente teria sido mais que suficiente pelo pecado do mundo inteiro, todavia, o Pai queria derramar sobre nós a sua graça tão abundantemente que deixou seu Filho, Cristo, derramar todo o seu sangue e dar-nos o tesouro todo. Portanto, não quer que tratemos com leviandade nem desprezemos essa maravilhosa graça”.

A poucos domingos celebramos a Páscoa. Foi ali que Jesus derramou o seu sangue em nosso favor. Hoje temos vida mediante a entrega de Jesus em nosso favor.

Você tem vivido a sua vida com santidade?

Medite sobre isso e que Deus te abençoe.

Amém

CONFISSÃO DE FÉ
Como resposta a palavra que acabamos de ouvir e movidos pelo Deus de amor queremos agora confessar a nossa fé.

Creio em Deus Pai, ...


CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
Nº 601 - Livro de Canto –Alto preço
Ou: Nº ____________________________________________________

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________
6._______________________________________________________

Senhor Deus, nos aproximamos do final deste tempo de celebração. Aqui nos reunimos como comunidade e celebramos ao teu santo nome. Te agradecemos porque ao erguer as nossas vozes percebemos que não estamos sozinhos em nossa caminhada. É junto aos teus filhos que caminhamos e na certeza de que Tu também te fases presente nesta caminhada.
Tua palavra hoje nos convidou a vivermos uma vida em santidade. Teu convite é feito mediante a entrega do teu filho amado, que por nós morreu. A morte de teu filho nos garante vida nova e abundante. Dá Senhor que realmente possamos viver uma vida em santidade e agirmos de acordo com a tua palavra e com os teus propósitos. Não permita que duvidemos do teu imenso amor.
Senhor! Agora diante de ti queremos colocar os nossos pedidos. Lembramos agora Senhor, de pessoas e acontecimentos os quais queremos deixar diante de ti, na certeza de que em teu amor tudo está guardado. Lembramos bondoso Deus dos doentes, dos enlutados, do que passam por necessidade e especialmente por aqueles que perderam a esperança na vida. Rogamos Senhor que enchas o coração destes da certeza de que tu estás ao lado deles. Que eles possam perceber o teu cuidado. (aqui incluir demais pedidos)
Abençoa Senhor nosso trabalho, para que possamos realizá-lo com zelo e fervor e lembramos daqueles que não tem trabalho. Que tu Senhor possas animá-los e abençoá-los neste tempo de procura.
Abençoa Senhor nossa cidade, ou o local lá onde vivemos. Pedimos por nosso país, bem como pelo mundo. Mundo este carente de paz e de amor. Por nossas famílias pedimos. Cuida de cada um. Que possamos voltar as nossas casas em paz e segurança e dá Senhor que nosso coração seja preenchido de alegria de poder confiar em ti, sabendo que tu sempre nos acompanhas. Que assim bondoso Deus a tua graça, o teu amor e o teu Espírito Santo nos acompanhem hoje e sempre. Ajuda-nos a vivermos uma vida em santidade e amor. E assim tudo mais que estiver em nosso coração e pensamentos neste momento nós colocamos diante de ti quando oramos dizendo:

Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

BÊNÇÃO
O Senhor Jesus Cristo:
Esteja ao teu lado para te defender.
Esteja dentro de ti para te conservar
Esteja diante de ti para te conduzir
Esteja atrás de ti para te guardar
Esteja acima de ti para te abençoar
Amém.

ENVIO

Na certeza da Palavra de Deus que faz arder o coração.
Ide em paz e servi ao Senhor e ao próximo com alegria e vivei uma vida em santidade


CANTO FINAL
Nº 289 - Livro de Canto – Benção da Irlanda
Ou: Nº ____________________________________________________
 


Autor(a): Missionário Elcio Ricardo da Silva
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 69882
REDE DE RECURSOS
+
Cristãos autênticos são os que trazem a vida e o nome de Cristo para dentro da sua vida, pois o sofrimento de Cristo não deve ser tratado com palavras e aparências, mas com a vida e com a verdade.
Martim Lutero
© Copyright 2024 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br