Meditação da semana

O que estamos alimentando?

12/03/2021

Eu sempre os amei e continuo a mostrar que o meu amor por vocês é eterno. Jeremias 31.3

O que você acha? O que está dominando as nossas relações: o ódio ou o amor?

Sinto ultimamente uma grande falta de amor e de compreensão entre as pessoas. Parece que estamos sendo guiados por uma cultura de ódio nos relacionamentos. Tantas colocações, tantas reações violentas diante de pensamentos divergentes. Parece que as pessoas não tem mais paciência. Se antigamente dizíamos que tínhamos de contar até 10 para abrir a boca; hoje poderíamos dizer, vamos contar até 10 antes de fazer um comentário nas mídias sociais; contar até 10 antes de repassar algo que recebemos em nossos grupos e nas mídias que frequentamos.

Parece que perdemos a paciência com tudo e com todos.

Também não é para menos. Estamos a mais de um ano vivendo sob a sombra de uma pandemia. Estamos em uma crise política e moral enorme. Fomos tirados do nosso normal na vivência comunitária, na vivência social, na vivência do trabalho. Apesar de todo o aparato de comunicação que temos hoje em dia, muitos se sentem sozinhos. Ao mesmo tempo nos sentimos invadidos, sufocados, por tantas opiniões e comentários. E, digamos de passagem, opiniões e comentários que muitas vezes destilam tantos pré-conceitos, ideias e valores que assustam e vão contra tudo aquilo que a fé nos ensina.

Então, o que fazer? Aceitar tudo o que lemos, ouvimos e ficar quietos? Acho que não! Penso que não devemos nos calar. Sempre lembro da colocação de Martim Luther King: “O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons.”. Não devemos nos calar. Mas, também não podemos entrar na onda do ódio. Devemos defender a vida, o que acreditamos, movidos naquilo que o Profeta Jeremias testemunha de Deus: Eu sempre os amei e continuo a mostrar que o meu amor por vocês é eterno. (Jeremias 31.3)

Ou seja, Deus é amor. Aquele que vive no amor vive unido com Deus, e Deus vive unido com ele (1 João 4.16). Eu acredito que a partir do momento que deixarmos o amor de Deus invadir nosso coração o ódio não terá vez em nossa vida.

Que neste tempo quaresmal, possamos apontar para Cristo, que não reagiu ao ódio com ódio, mas com amor; o qual foi capaz de abrir mão de tudo, da sua própria vida, por nós. Jesus nos mostrou que o amor não é só um sentimento, mas uma atitude de vida.

Lembro da história de que “em uma noite, um velho índio falou ao seu neto sobre o combate que acontece dentro das pessoas. Ele disse: – A batalha é entre os dois lobos que vivem dentro de todos nós. Um é mau. É a raiva, o ódio, a inveja, mentiras, orgulho.... O outro é bom. É fraternidade, paz, esperança, serenidade, humildade, empatia, compaixão e fé.

O neto pensou nessa luta e perguntou ao avô: – Qual lobo vence?

O velho índio respondeu: – Aquele que você mais alimenta! ”

O que você está alimentando mais na sociedade, na família e em tua vida?

Oremos: Amado Senhor, habita em nosso coração. Alimenta-nos diariamente para que possamos viver espelhando em nossas ações o teu amor, a tua empatia, a tua esperança. Ajuda-nos a nos alimentarmos com a tua palavra e assim nos fortalecermos para viver no teu amor. Amém!

P. Me. Carlos Romeu Dege
Carlos Barbosa
 

COMUNICAÇÃO
+
Jesus Cristo diz: Eu estou com vocês todos os dias até o fim dos tempos.
Mateus 28.20b
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br