Jornal Evangélico Luterano

Ano 2016 | número 791

Quinta-feira, 20 de Junho de 2024

Porto Alegre / RS - 10:18

Atualidade - P. Oneide Bobsin

Arautos de desgraças

   Por que os grandes os meios de comunicação espalham más notícias quando há tantas experiências boas para serem comunicadas? Essa foi a pergunta que fiz ao Jornalista que comanda um programa de rádio do qual participo quinzenalmente. Sabendo a resposta, fiz outra pergunta: Por que preciso saber que um trem descarrilou no interior da Índia e matou dez pessoas, não tendo eu chance nenhuma de auxiliar aquelas famílias? 

   Não sei as respostas, mas, fora do ar, o Jornalista ‘matou a charada’. Se não anunciarmos desgraças, diminui a audiência e perdemos os patrocinadores. Afinal, são as desgraças e as notícias ruins que mantêm certo público ligado ao rádio e com os olhos pregados nas páginas policias dos jornais.

   Violência, sexo, futebol, corrupção e temas envolvendo desgraças vendem muito e muito mesmo! É o ‘antiEvangelho’ que chama a atenção e não o Evangelho, a Boa Notícia. Essa não dá audiência. ‘Notícias ruins correm rápido’, disse um vizinho preocupado com o sumiço do seu sobrinho.

Deus acredita no ser humano

   Uma pessoa estudiosa do comportamento humano disse que a atração pela desgraça nasce do sentimento estranho de que o outro está em uma situação pior que a minha. Além disso, sinto que estou vivo.

   Penso que essa seja uma parte da verdade. A outra pode estar relacionada à manipulação interesseira: desanimar as pessoas, torná-las impotentes, acomodá-las. Já que a sociedade é uma droga, vamos consumi-la assim como nos é apresentada! Obviamente, alguém lucra muito com isso.

   As boas notícias do Natal de Jesus, no cântico de Maria, uma mulher simples do povo, vão na contramão do desânimo imposto pelos poderes. Vale a pena lembrar algumas palavras sobre o Deus que não focou nos palácios: Agiu com força de seu braço, dispersou os homens de coração orgulhoso. Depôs os poderosos de seus tronos, e a humildes exaltou. (Lc 1.46-56). 

   Outra mulher grávida, Maria Aparecida, sorridente e com a mão na barriga, diz para o Repórter que há esperança, apesar de a casa estar soterrada de rejeitos de minério de ferro da Samarco. É uma boa notícia, como aquela inscrita em um quadro dado a Leonardo Boff por um paciente psiquiátrico: Sempre que nasce uma criança é sinal de que Deus acredita no ser humano. Especialmente, se for em uma estrebaria, entre animais.

Ultima edição

Edição impressa para folhear no computador


Baixar em PDF

Baixar em PDF


VEJA TODAS AS EDIÇÕES


Gestão Administrativa

Ser Igreja de Jesus Cristo em contexto de pandemia

Em perspectiva de balanço do ano que passou, compartilhamos, de forma adaptada e atualizada, partes da Carta Pastoral da Presidência, de Pastoras e Pastores Sinodais, publicada em agosto de 2020. A partir de março de 2020, passamos a conviver com a pandemia do Covid-19, (+)



Educação Cristã Contínua

Igreja que valoriza o Sacerdócio Geral (parte 3/3)

Desafios Com base nas atividades que estão sendo realizadas e considerando o cenário atual, a Coordenação de Educação Cristã (CEC) vislumbra os seguintes desafios para a efetivação da Meta Missionária 1 (Áreas de prioridade (+)

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc
À casa de Deus não pertence nada mais que a presença de Deus com a sua Palavra.
Martim Lutero
© Copyright 2024 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br