Presidência da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil



Rua Senhor dos Passos , 202 V andar - Centro
CEP 90020-180 - Porto Alegre /RS - Brasil
Telefone(s): (51) 3284-5400
presidencia@ieclb.org.br
ID: 2275

Prédica para o Dia do Ex-Aluno do IPT

22/04/2012

“Que a graça e a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão com o Espírito Santo esteja conosco hoje e sempre. Amém!”

Estimada Comunidade!
Estimados/as Ex-Alunos do IPT!
Estimados Irmãos e Irmãs em Cristo!

Trago um abraço fraterno da Presidência da IECLB – P. Carlos Moeller e da Pa. Silvia Genz – ex-aluna!
Abraço de toda a equipe da Secretaria Geral!

Quero iniciar agradecendo ao convite feito pela Presidente da Associação dos Ex-alunos do IPT – Ingrit Marxen, para trazer a mensagem para este culto Festivo!

Quinta-feira, conversei com Dorothea Droste, colega de IPT que hoje atua na sede da Igreja Evangélica Luterana na Baviera e compartilhei que hoje estaria aqui. Mais recentemente, em Campo Grande, reencontrei o colega Arno Knoch. Por sinal, este é um privilégio que a minha atual função me dá, o de poder encontrar e reencontrar muitos colegas. Mais significativo ainda, reencontrá-los exercendo tarefas e funções importantes nas mais diferentes esferas, inclusive na IECLB, ou seja, cada reencontro com colegas do tempo do PROSEMINAR tem sido um momento especial. Quando conversamos e rememoramos nossas aventuras, mais evidente fica o quanto o IPT foi “uma escola singular” na vida de cada um de nós e o quanto o espírito do Pro continua vivo e operante em nossas vidas! As ações implementadas pela Associação do Ex-Alunos do IPT que constam no Altschülerbrief por si só atestam para este espírito.

Desde já, quero agradecer ao apoio para estudantes de Teologia! Ele é fundamental e necessário!

Estimados Irmãs e Irmãs!

Para este culto, fui convidado a compartilhar com vocês o Tema do Ano da IECLB para este ano de 2012: Comunidade jovem - Igreja viva.

 O Lema bíblico é do livro do profeta Jeremias: Antes que eu te formasse no ventre, te conheci (Jeremias 1.5a).

Quando iniciei o trabalho à frente da Presidência da IECLB, meu primeiro compromisso oficial foi com o CONAJE. Deles ouvi a seguinte reivindicação: queremos mais espaço!

A psicóloga Rosely Sayão, na Folha de São Paulo, em 24 de maio de 2011, colocou a seguinte questão:

“O que temos feito para que esses jovens amem a vida, desenvolvam o autocuidado e atitudes de respeito por si mesmos, tratem suas emoções com delicadeza e construam um projeto de vida que lhes permita olhar para o futuro como um alvo a ser alcançado e não uma fatalidade ou determinação?”

O Tema surgiu da preocupação com o jovem, sua presença e ausência na igreja.

O foco do Tema de 2012 é a juventude no contexto da comunidade cristã. Desafio: a IECLB como um todo (sair das caixinhas), dos distintos grupos, departamentos e se avaliar pela ótica da juventude, assumindo o que ela é por natureza: uma comunidade jovem, o que tem a ver com atitude, postura, espírito, ...

Queremos fazer uma reflexão e abordagem POSITIVA. Sair da argumentação: “no meu tempo”... A voz destes jovens deu corpo a um desejo expresso também por outros setores na igreja que culminou no atual Tema do Ano!

Queremos destacar e resgatar a importância da comunidade para o jovem e do jovem para a comunidade permanecer jovem.

O P. Jörk Zink, no seu livro Crer e Viver, diz que a

“A igreja sempre deve estar pronta para sua própria renovação. A igreja não pode viver em geração alguma se não se deixar renovar. Não há nada que possa valer nela só porque foi válido em tempos passados. Onde a igreja realiza seu trabalho, seres humanos se modificam e formam juntos de novo a igreja. (...) Deus precisa de seres humanos que se deixam mover por seu Espírito e movimentem o mundo como instrumentos do Espírito de Deus”.

Eu acrescentaria: seres humanos que permitam que a palavra de Deus faça arder o coração (Lucas 24.32), que se permitam caminhar juntas, dialogar, estudar a palavra e terem comunhão de mesa – refeição comunitária!

O Lema enfoca a espiritualidade do jovem e da comunidade jovem: Deus nos conhece desde o ventre materno, nos abraça com sua graça para, com liberdade, servir-lhe e responder ao seu amor revelado em Cristo. Deus chama, convoca. Jeremias reagiu prontamente:

6 Então eu disse: — Ó Senhor, meu Deus, eu não sei como falar, pois sou muito jovem.

A reação de Jeremias é sintomática! Moisés reagiu de forma semelhante. Por quê? Porque Jeremias sabe qual o tamanho da tarefa a ale confiada e o contexto em que sua missão irá se dar – adverso! Ele sabe que a tarefa não é fácil, que as adversidades serão enormes, tanto que, no meio da sua missão, “amaldiçoa o dia em que nasceu!”, se sente enganado por Deus, precisa desmascarar a pregação de outros profetas cujo discurso é mais simpático!
Não menos sintomática é a realidade dos discípulos após a morte e crucificação de Jesus! Quando Jesus aparece para eles pensam estar vendo um fantasma! Estão assustados, com medo, com dúvidas na cabeça! Jesus precisa abrir a mente de seus discípulos para entenderem a missão a eles confiada, qual seja, a mensagem sobre o arrependimento e o perdão dos pecados!

Com certeza, esta mensagem não dá lucro, nem fama!

Pastor Milton Schwantes, falecido há poucas semanas, escreveu o seguinte acerca da Páscoa:

Este é o mistério da Páscoa: vale a pena ir em frente. Estamos aí para crer na esperança. Há futuro. Nas Igrejas, somos células de esperança no novo, pela ressurreição de Jesus. Ele, que saiu vencendo a morte e os matadores, é a nossa esperança de raiz.

Igreja não é necrotério! É berçário!! Celebra o nascimento da esperança. A morte já se foi. O seu poder minguou, se acabou. Estamos eleitos para caminhar rumo aos horizontes.

Jesus nos doou olhos para ver longe. A ressurreição é como se fosse uma operação na vista. Olhos, já sem esperança nenhuma, passam - mortos, doentes, desanimados - a ver. Encantam-se com o colorido das coisas. Voltam a crer em si, a crer nas pessoas próximas, a crer no horizonte.

Comunidade jovem, na perspectiva da Páscoa, faz história! Caminha! Contextualiza-se! As cores no cartaz e suas formas querem apontar para esta dinamicidade! Busca dar respostas aos desafios que a cada nova geração surge! Caso contrário, envelhece, caduca, se torna obsoleta!

Na última quarta-feira, na sede da igreja, em nossa meditação, a Catequista Débora Conrad, Secretária de Formação, retomou a reflexão do tema conosco. Olhamos novamente o cartaz e nos perguntamos sobre o que este tema tem a ver conosco! Como este tema bate na nossa vida!

Eu me dei conta que, aos 54 anos, tenho de um lado uma mãe e sogro e sogra com mais de 70 anos e duas filhas com 19 e 26 anos! São três mundos distintos, diferentes! Como administrar isto? O que nós vivemos no IPT, num internato, enquanto jovens, foi uma experiência. Lembro que ver TV era programa de domingo e não programa diário! Hoje, ex-alunos do IPT se comunicam pelo Facebook! Nos contextualizamos!

Graças a Deus, há coisas que permanecem! Em fevereiro, estive no Acampamento Repartir Juntos, em Cascavel/PR, com mais de 300 jovens, e qual não foi minha surpresa quando, à noite, todos os novatos foram convocados para caçar TILTAPZ! E foram! E continua funcionando! Não foram extintos!
Na nossa meditação, lá em Porto Alegre, foi unânime o quanto as relações entre as pessoas mudaram!

No cartaz, temos uma família em diálogo, em que a ferramenta usada é a Internet! São diferentes gerações interagindo! Usar a ferramenta e não deixar a ferramenta nos usar ou substituir o encontro pessoal, olho no olho! Alguém até comentou ter visto uma foto de uma pessoa em um caixão e apenas uma pessoa ao lado do mesmo com a seguinte observação: tinha 200 amigos do Facebook!

Desafios, portanto, não faltam! Temos diante de nós a Rio+20 e a pergunta por um mundo sustentável, tratado sobre comércio de armas, laicidade do Estado e Igreja: crucifixo em espaços públicos – sim ou não, violência! Não menos desafiador, e mesmo assustador, é nosso mercado religioso brasileiro, em que a intolerância religiosa cresce. Fantasmas que produzem medo, imobilizam, fragilizam e individualizam não nos faltam. A experiência da paz, da ressurreição, da vida nova em Cristo permanecem tarefa e desafio - também para a IECLB.

Queremos destacar, à luz deste Tema e deste Lema, que os jovens são parte integrante da comunidade cristã e que a vida comunitária é espaço qualificado para ajudá-los na construção da sua identidade, a partir de valores, práticas e significados de vida, onde podem encontrar amparo em sua angústia, em seus medos e em suas dúvidas (1Co 12.26). Cremos igualmente que jovens tendem a renovar e a enriquecer a vida comunitária com a sua capacidade de oferecer novas formas de participação.

Alguém nos alertou, dizendo o seguinte: cuidado para não jogar os velhos fora! É exatamente isto que não queremos. Ao contrário, queremos destacar o seguinte:

Comunidade jovem é aquela que constrói e reconstrói espaços para a vivência da espiritualidade de todos os seus integrantes: crianças, adolescentes, jovens, adultos, idosos. Nessa comunidade, os jovens não precisam reivindicar espaço. Eles já são parte da mesma.

Comunidade jovem protege o jovem, mostra os valores que defende, a fim de servir de guia para a construção da identidade dos seus integrantes jovens e dá a eles parâmetros para lidar com os riscos a que estão expostos na sociedade atual e com as adversidades da vida.

Comunidade jovem vive a fé a partir da confiança no Deus presente em todas as horas, o Deus que consola, motiva, o Deus que não teme questionamentos, o Deus amoroso, cuja graça é maior que qualquer medo, assim como o experimentou o profeta Jeremias.

Comunidade jovem ajuda o jovem a encarar a realidade, a enxergar as suas potencialidades por meio da confessionalidade e não vende ao jovem uma religiosidade que serve como meio de fuga da realidade. Pelo contrário, mostra-lhe o tamanho da graça de Deus e como ela o pode ajudar a lidar com a sua ansiedade e os seus medos.

Comunidade jovem respeita a Criação de Deus, entende o ser humano como parte da Criação, não como seu proprietário, mas, sim, como seu cuidador, por isso comunidade jovem é cuidadora, responsável. Fomenta o encontro pessoal com Deus e com as pessoas. A tecnologia torna-se ferramenta e não o fim em si mesmo!

Disto somos testemunhas!

“Que a paz de Deus que excede todo o entendimento guarde nossos corações e nossas mentes em Cristo Jesus, nosso Senhor. Amém!”


Autor(a): Nestor Paulo Friedrich
Âmbito: IECLB
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações / Instância Nacional: Presidência
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 15388

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Ó Deus, meu libertador, tu tens sido a minha ajuda. Não me deixes, não me abandones.
Salmo 27.9
EDUCAÇÃO CRISTÃ CONTÍNUA
+

REDE DE RECURSOS
+
Ninguém deve fazer tudo o que tem direito a fazer. Cada qual deve olhar para o que é útil e o que é benéfico para o seu irmão, para a sua irmã.
Martim Lutero
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br