Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil e Ecumene



ID: 2676

Casa comum e nossa responsabilidade - um chamado da quaresma.

12/02/2016

Nessa semana O CONIC e a CNBB lançaram oficialmente a Campanha da Fraternidade Ecumênica com o tema CASA COMUM – nossa responsabilidade. O enfoque inicial da Campanha é assegurar o direito ao saneamento básico para todas as pessoas e empenharmo-nos à luz da fé por políticas públicas e atitudes responsáveis que garantam a integridade e o futuro de nossa Casa Comum.

Saneamento básico significa água e esgoto tratados. As grandes pestes (doenças) da história da humanidade aconteceram por causa de esgoto a céu aberto. Bactérias, vírus e outros microorganismos já causaram estragos tão grandes como as mais terríveis guerras, terremotos e erupções de vulcões.

A peste negra entre 1330 e 1350 (20 anos) matou 50 milhões de pessoas na Europa e na Ásia e o transmissor foi a pulga trazida pelos ratos.

A cólera – uma bactéria que se multiplica no intestino e elimina uma toxina que provoca diarreia intensa - é transmitida pela água e alimentos contaminados. A vacina disponível é de baixa eficácia.

A tuberculose matou um bilhão de pessoas entre 1850-1950. Ainda hoje é altamente contagiosa e vem ressurgindo com força nos países pobres. O tratamento leva pelo menos 6 meses, à base de antibióticos.

A gripe espanhola (que matou o presidente Rodrigues Alves), a varíola, a tifo, a febre amarela, o sarampo, a malária, o zika, a dengue, a chikunguya todos são transmitidos por vírus ou bactérias que se reproduzem com mais facilidade nos lugares com pouca higiene.

Por isso, mesmo que o esgoto de nossa casa esteja tratado, é preciso lembrar que apenas 40% da população tem acesso às redes de coleta de esgoto. No Norte (apenas 10%) e no Nordeste 25%. Em resumo, o Brasil tem hoje 100 milhões de pessoas sem acesso ao saneamento básico.

Uma das formas de melhorar esses dados é incentivar a Educação Ambiental nas escolas, nas igrejas para crianças e também para os adultos. Rios, lagos, reservatórios, praias – todos estão contaminados por causa dos esgotos. Isso exige investimento de dinheiro por parte do governo. Cortar dinheiro do PAC, do Ministério das Cidades, da Fundação Nacional da Saúde vai agravar ainda mais a situação. Mas não é somente do governo que devemos cobrar melhores atitudes. Sem as nossas pequenas atitudes individuais (200 milhões de pessoas) não há dinheiro que possa resolver o problema do lixo e do esgoto.

A partir das igrejas, somos desafiados a estimular os valores espirituais que fortaleçam o cuidado com o planeta – a Criação de Deus. Nos oramos pelas pessoas doentes, mas agora estamos sendo chamados a eliminar as causas das doenças, como os focos de mosquitos transmissores da dengue, da chicunguia e do zika.

Junto com essa CFE também nos é apresentado o tema da IECLB para o ano de 2016. Pela graça de Deus, livres para cuidar. Esse tema quer falar sobre a ética e os valores em nossa vida. Ética tem a ver com discernimento do mal e do bem, do correto e do incorreto, do que é responsável e apropriado para o comportamento humano em suas relações sociais e pessoais. A ética é a preocupação com aquilo que é bom para o convívio entre as pessoas.

Como luteran@s, nós cremos que o sacrifício de Jesus na Cruz nos trouxe a salvação. Somo pessoas libertadas do mal. Jesus nos libertou do mal, para servir uns aos outros conforme o dom que cada um recebeu, como bons dispenseiros da multiforme graça de Deus (1Pe 4.10). Jesus nos libertou do pecado e da morte, para que possamos praticar o amor e cuidar da boa criação de Deus. Somos livres para cuidar, para fazer o bem e evitar o mal. Portanto, temos uma responsabilidade diante desse grande amor de Deus.

Tem pessoas que dizem que não deveríamos nos preocupar com essas coisas do mundo. Que um cristão deve preocupar-se apenas com as questões espirituais. Se tivermos fé em Deus, então ele vai resolver todas essas coisas do mundo. Quem tem fé em Deus não pega doença.  Infelizmente precisamos dizer que esse ensinamento usa a palavra de Deus para enganar as pessoas. Mas isso, não acontece somente hoje. O texto da tentação de Jesus no deserto nos diz que o próprio diabo usou a palavra de Deus para tentar enganar a Jesus.

Quero mencionar aqui uma reflexão do P. Geraldo Graf sobre o texto bíblico da tentação de Jesus.

O tentador provoca a Jesus no deserto dizendo:

1. Se você é o Filho de Deus, mande que estas pedras virem pão (v.3). O tentador lembra-o que Jesus tem o poder de transformar pedras em pão e saciar a própria fome e de resolver todos os problemas. Qual é a provocação? “Se você é o Filho de Deus, faça algo em teu benefício próprio!” Ou se você é Filho de Deus, então você certamente vai proteger os teus seguidores, as pessoas que confiam em ti. Exigir que o poder de Deus esteja à serviço de minhas necessidades, é uma forma de corrupção.

Na segunda investida, o tentador faz uma proposta direta e concreta: “Se você se ajoelhar e me adorar, eu lhe darei o poder sobre os reinos do mundo e as suas grandezas” (v. 9). Diz o Salmo 24.1: “Ao Senhor pertencem o mundo e tudo o que nele existe, a terra e todos os seres vivos que nela vivem são dele”. Conforme o Salmo 24, o tentador é um mentiroso, porque ele oferece algo que não lhe pertence, pois “o mundo e tudo o que nele existe, pertence ao Senhor Deus” (v.1). Esta é a pior de todas as tentações. Poder e dinheiro desviado corrompem facilmente o ser humano. Vemos e sentimos isso todos os dias.

Na terceira tentação, o tentador usa a própria Bíblia para enganar a Jesus. Se você é o Filho de Deus, jogue-se daqui para baixo (v.6). “Mostra que tu és o Filho de Deus. Atira-te abaixo e pousa glorioso nos braços do povo. Todos te adorarão. A causa estará ganha”. Nada como um show para atrair e convencer as multidões (as igrejas “televisivas” exploram exatamente este ponto). E, para definitivamente convencer Jesus, o tentador usa um argumento infalível. Ele cita a Bíblia o Salmo 91.12: “Deus mandará os seus anjos ..... e eles vão segurá-lo com as suas mãos, para que nem mesmo os teus pés sejam feridos nas pedras.” Jesus apenas responde: Também está escrito: Não ponham à prova o Senhor seu Deus.”

Prezada Comunidade, a tentação de Jesus nos mostra que a Palavra de Deus pode ser usada para enganar. Por isso, Martin Lutero insistia que cada pessoa deveria ter acesso a uma Bíblia, que todo cristão deve ler a Biblia, mas para não ser tentado pelo diabo, ele deveria ler essa bíblia em Comunidade. O estudo da bíblia em comunidade dificulta a manipulação da palavra de Deus.

A sabedoria da vida não está somente em saber e em querer a vontade de Deus, mas está em fazer a vontade de Deus. Que não tenhamos somente o conhecimento da palavra de Deus, mas que vivamos dela. Por isso, hoje Deus nos chama para que nos coloquemos à serviço de Deus para promover o cuidado pela vida, procurando fazer o bem e evitando o mal. Pois, “comete pecado a pessoa que sabe fazer o bem e não o faz”(Tiago 4.17).

Que a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus nosso Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam entre e em nós.
Amém
 


Autor(a): Nilton Giese
Âmbito: IECLB / Sinodo: Sudeste / Paróquia: Belo Horizonte (MG)
Área: Ecumene
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo da Páscoa / Organismo: Conselho Nacional de Igrejas Cristãs - CONIC
Testamento: Novo / Livro: Lucas / Capitulo: 4 / Versículo Inicial: 1 / Versículo Final: 13
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 36811

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Pela graça sois salvos, mediante a fé, e isto não vem de vós: é dom de Deus.
Efésios 2.8
REDE DE RECURSOS
+
Que cada um use o seu próprio dom para o bem dos outros!
1Pedro 4.10b
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br