Sou Pastor/Pastora. Quem sou eu?

Dia do(a) Pastor(a)

07/06/2021


No Dia do Pastor, da Pastora, a pergunta justifica-se. A vida na Igreja Evangélica Luterana no Brasil (IECLB), sua agenda e suas atividades se orientam, anualmente, a partir de temas e lemas. No binômio 1995/1996 o tema era: “Somos Igreja. Que Igreja somos”? “Somos uma Igreja de comunidades e a sua vitalidade reflete as ações em suas comunidades”. O Movimento da Reforma tinha como imperativo a necessidade de reforma permanente. A Igreja sempre deve estar em reforma. É nessa Igreja que circula a pessoa pastoral.

O Dia do/da Pastor/a, celebrado a cada ano, convida a uma parada. É oportuno e necessário que espiemos no espelho retrovisor e olhemos para a história que nos marca. Que Igreja somos ou queremos ser? No Dia do Pastor, da Pastora acrescento outra pergunta: Que Pastor/a eu sou e quero ser nesta Igreja? No meu caso, sou ou estou pastor, há 53 anos. O modelo de comunidade, na qual eu atuei desde o tempo de Porto União/SC, meu primeiro campo de trabalho, refletia o modelo tradicional. Ele se diferenciava pouco de uma associação cultural, um clube que prestava serviços religiosos. Não há instância que anule a minha ordenação ao ministério público da pregação e da ministração dos sacramentos. O exercício pastoral em determinado tempo e lugar, no entanto, é variável e limitado, até quando inicia o tempo da aposentadoria. A prática pastoral no modelo alternativo e diferente do tradicional, somente porque não gosto do tradicional, resulta em atitude opressora. Quem exerce o pastorado, pensando só naquilo que dá prazer, não age conforme a vocação. A celebração de um Dia do Pastor ou da Pastora convida à humildade. Sobretudo, coloca a pessoa do/a pastor/a diante do desafio da prestação de serviço. O pastorado somente é ministério responsável, se assumirmos a função como instrumentos de Deus. O projeto do ministério é construído, enquanto ministramos, corretamente, os sacramentos, para nós luteranos o Batismo e a Santa Ceia, além do anúncio da Palavra. A orientação é fruto do Espírito Santo: “Falemos a verdade com espírito de amor, cresçamos em tudo até alcançarmos a altura espiritual de Cristo, que é a cabeça” da Igreja-corpo. (Efésios 4. 15). A permissão vem de Deus. Sou apenas mediador, uma pessoa, não sou um pequeno deus! Não me cabe substituir a ação salvadora de Jesus Cristo.

Paz e bênçãos às pastoras e aos pastores!.

P. Manfredo Siegle
é Pastor Emérito da IECLB
Ex-Pastor Sinodal do Síndo Norte Catarinense
reside em Joinville - Santa Catarina
Sínodo Norte Catarinense
 


Autor(a): P. em. Manfredo Siegle
Âmbito: IECLB
Área: Ministério / Nível: Ministério com Ordenação / Organismo: Instituto Luterano Campos Verdejantes
Testamento: Novo / Livro: Efésios / Capitulo: 4 / Versículo Inicial: 15
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Meditação
ID: 62902
REDE DE RECURSOS
+
ECUMENE
+
Eu também sou parte e membro dessa congregação, coparticipante e codesfrutante de todos os bens que possui. Pelo Espírito, a ela fui levado e incorporado, pelo fato de haver ouvido e ainda ouvir a Palavra de Deus, que é o princípio para nela se entrar.
Martim Lutero
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br