João 19.16-30 - Sexta-feira da Paixão - 29/03/2024

17/02/2024

29/03/2024- Sexta-feira da Paixão

Pregação: João 19.16-30; Leituras: Isaías 52.13 – 53.12,

Salmo 22 e Hebreus 10.16-25

Pastor Adriel Raach – Comunidade de Cuiabá - MT

LITURGIA DE ABERTURA
ACOLHIDA
Saúdo vocês com o texto bíblico de 1 Coríntios 1.18, onde diz: “A mensagem da morte de Cristo na
cruz é loucura para os que se perdem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus.”
Sejam bem-vindos(as)! Vamos nos lembrar do sofrimento, da humilhação e da morte de Jesus Cristo
por cada um de nós, mas vamos também buscar o sentido de seu gesto de entrega por nós na cruz, de
modo que não passe por nós sem deixar um sinal de libertação e salvação. Amém.
- Alguém está aqui hoje pela primeira vez? – Nós acolhemos com alegria quem vem à casa de Deus.
Ele convida a todas as pessoas para fazer parte da sua comunhão! Bem-vinda(o). A casa de Deus
também é sua! Neste culto nós nos encontramos com o próprio Deus. Ele está aqui. Assim, todas as
pessoas que nos visitam, sintam-se acolhidas também pelo Deus bondoso!
CANTO DE ENTRADA
Nº 14 - LCI – Deus está presente
Ou: Nº 03 – LCI – Deus Trino
SAUDAÇÃO
Nós celebramos este culto em nome e na presença do Trino Deus, o Pai, o Filho e o Espírito Santo.
Amém.
CANTOS DE INVOCAÇÃO
Nº 01 - LCI – Saudação apostólica
Ou: Nº 20 – LCI – Jesus, em tua presença
CONFISSÃO DE PECADOS
Quem puder se colocar de pé. Vamos nos achegar diante de Deus em oração para confessar nossa
culpa e pedir pelo seu perdão. Oremos:
Bondoso Deus, Pai de amor, confessamos que estamos escravizados e escravizadas pelo pecado e não
podemos libertar-nos por nós mesmos. Falhamos em pensamentos, palavras, atitudes e omissões, pelo
que fizemos ou deixamos de fazer. Não temos amado de todo o coração; não temos feito o bem
quando esse esteve ao nosso alcance. Temos nos empenhado por coisas secundárias. Estamos
arrependidos e arrependidas. Por amor de teu Filho Jesus Cristo, tem compaixão de nós. Perdoa-nos,
renova-nos, torna-nos sensíveis para nosso próximo, dirige-nos para que andemos nos teus caminhos,
para a glória de teu santo nome. Pelo teu Filho Jesus, que morreu por nós na cruz. Amém.
ANÚNCIO DO PERDÃO
O nosso consolo e fortalecimento vêm da palavra de Deus que diz em Salmo 32.5: “Então eu te
confessei o meu pecado e não escondi a minha maldade. Resolvi confessar tudo a ti, e tu perdoaste
todos os meus pecados.” Toda pessoa que confessa sinceramente seu pecado diante de Deus, recebe
dele o seu perdão. Assim podemos crer, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.
KYRIE
Agraciados com o perdão de Deus, rogamos pelas dores que a humanidade enfrenta por causa do
pecado e pelas consequências por ele geradas. Assim oramos pela dor, miséria, desigualdade, injustiça

2

e falta de esperança. Cientes do teu amor pedimos humildemente: Senhor tem piedade e ouve a nossa
oração quando cantamos:
Nº 56 – LCI – Pelas dores deste mundo
GLÓRIA IN EXCELSIS
E porque o nosso Deus sempre tem demostrado seu amor por nós, apesar de tanto sofrimento! Ele é
tão glorioso e majestoso que, vem ao nosso encontro e nos atende em nossos apelos, rendamos glórias
a Deus nas alturas dos céus, cantando:
Nº 171 – LCI – Ontem, hoje e sempre
ORAÇÃO DO DIA
Pai de amor, nós te damos graças por tua misericórdia. Em Jesus Cristo te entregastes ao sofrimento
humano, chegando a sofrer a morte de cruz. Nós precisamos da tua ação em nosso favor,
constantemente em nossas vidas. Nossas forças terminam o mais tardar na hora da morte. Também
sofremos fracassos e enfrentamos dificuldades que sozinhos não somos capazes de vencer. Tu
prometeste ajuda e que não nos deixarias sós. Queres que sejamos alegres, confiantes, vivamos em
paz e tenhamos o pão nosso de cada dia. Tu nos prometeste salvação em sentido amplo. É um
privilégio poder invocar-te como “Nosso Pai”. Queiras, pois, cumprir em nós as tuas promessas e
conceder-nos a tua graça. Pedimos-te que essa celebração nos ajude a refletir sobre os acontecimentos
da paixão de Cristo, lançando nosso olhar para a cruz, mas sem nos esquecer do Cristo ressurreto. Por
Jesus Cristo que morreu, mas, ressuscitou e que vive e reina contigo e com o Espírito Santo. Amém.
LITURGIA DA PALAVRA
LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: Isaías 52.13 – 53.12
2ª Leitura Bíblica: Hebreus 10.16-25

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
Nº 165 - LCI – Estou Pronto, Senhor
Aclamação do Evangelho: ALELUIA
Leitura do Evangelho: João 19.16-30
PREGAÇÃO: A graça do nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito
Santo esteja com cada um de vocês. Amém.
Certa vez assisti a um episódio de uma série, na TV, que contava uma trama sobre a disputa entre dois
grandes jornais de uma cidade. Um dos jornais, consagrado e respeitado, começou a ser desbancado
pelo outro que recém havia iniciado seus trabalhos. Isso aconteceu porque, por coincidência ou
covenientemente, os repórteres desse novo jornal estavam sempre próximos da notícia e a davam em
primeira mão. Eram sempre notícias de desastre, assassinato, acidentes, incêndios, etc. O jornal
consagrado precisou realizar uma investigação para finalmente descobrir que as notícias estavam
sendo criadas pelo próprio dono do novo jornal, ou seja, um criminoso que manipulava os
acontecimentos e as noticiava. Com isso ele manipulava também as pessoas. Sabia o que ia acontecer
antes mesmo de acontecer. Ele foi crescendo em prestígio, se tornando mais poderoso, influente e
muito respeitado... Curioso pensar que é possível controlar uma população através da disseminação de
más notícias.

3

Hoje é um dia de contar sobre uma má notícia. Um dia de trevas. Dia em que lembramos da pior
das consequências do pecado no mundo: a morte. Foi preciso que o Filho de Deus desse a vida dele
para que pudéssemos enxergar tamanha atrocidade que somos capazes de cometer.
O texto começa contando da grande atrocidade de obrigar Jesus a carregar a cruz na qual, logo em
seguida, ele próprio foi pregado. Mas, pouco antes já havia contado sobre sua prisão, esse homem
inocente sendo levado à força por guardas. Então vieram as chicotadas, bofetadas, o deboche com
falas irônicas, uma capa insinuando que ele seria o tal “rei dos judeus”, com direito a uma coroa... de
espinhos, na cabeça. Os gritos de “liberte Barrabás, o ladrão, e crucifique Jesus” ecoaram em
Jerusalém. A multidão estava inflamada e sedenta por sangue... contra Jesus, um homem
absolutamente inocente, vítima de difamação e notícias falsas, rapidamente espalhadas pelas pessoas a
quem ele havia incomodado.
O letreiro dizia “rei dos judeus”... e Pilatos não se importava com o significado dessas palavras.
Na realidade, para ele convinha que estivesse bem claro que o tal “rei dos judeus” havia sucumbido
perante o poder Romano.
Suas roupas foram repartidas para que se cumprisse o que estava escrito... mas, provavelmente por
que essa era uma prática comum entre os guardas romanos, se aproveitando da situação.
Outro fato de cortar o coração é que a família de Jesus, inclusive sua mãe, Maria, estava diante
daquela cena terrível. Simeão já a havia alertado que sofreria o equivalente a uma lança transpassando
seu peito.
Mesmo em seu último momento, Jesus se preocupa com a dignidade de quem fica. Ele nomeia
João como filho de Maria, no intuito de não deixá-la desamparada de uma figura masculina. As leis
dos judeus deixariam Maria totalmente desassistida, sem marido e sem seu filho para cuidá-la. Por
isso João a levou para morar em sua casa.
E, quando pensamos que a crueldade não pode ser maior, depois de dizer que estava com sede, os
soldados servem um vinho comum a Jesus, equivalente a vinagre azedo. Numa esponja conduziram o
vinagre numa vara comprida até a boca de Jesus.
Por fim, tudo está completado. Cumpriu-se a profecia. O justo morre. E o pecador, não sofre nada,
sai ileso. Jesus, o Filho de Deus, o próprio Deus encarnado está agora morto.
Ele se entrega, se submete, se torna vulnerável a ponto de experimentar o último e pior dos nossos
sofrimentos aqui neste mundo: a morte.
Não podemos deixar de falar da morte de Jesus. É imprescindível que paremos em cada momento
desses e sintamos profundamente o que Jesus teve de passar. Nunca chegaremos a saber, de fato, o
tamanho de sua dor. Mas, certamente, a maior de todas as dores que Jesus sentiu não foi dos pregos
transpassando sua carne, nem das chicotadas no seu corpo ou a coroa de espinhos furando sua cabeça
e fazendo escorrer o sangue pelo seu rosto. A pior dor que Jesus realmente sentiu e sente até hoje é a
dor da rejeição, da negação, da cegueira e do pecado humano dominando as pessoas. Ele sente essa
dor. Ele lamenta pelas pessoas que não percebem as atrocidades que são capazes de cometer.
Nós temos esse ódio dentro de nós. Cada ser humano precisa lutar contra esses maus desejos e
essa sede por violência, sangue e desgraça. Antes que a gente negue, perguntemo-nos o que mais nos
chama atenção nos noticiários, o que dá mais ibope nas mídias, o que gera mais comentários entre as
pessoas? A famosa frase: “Notícia ruim corre rápido” tem suas razões. As pessoas gostam de ouvir
sobre más notícias... parece, e, é natural. Mas, há grande perigo nisso, pois tendemos a escolher um
lado. Temos o péssimo hábito de dividir o mundo entre bons e maus.
Na realidade nós não temos essa qualificação. Temos o bem e o mal vivendo dentro de nós. Nossa
tendência é torcer em favor de um lado e, para isso, nos obrigamos a torcer contra o outro, sem nos
questionar sobre as consequências malignas que podem vir em decorrência dos nossos desejos.
O exemplo de Jesus na cruz nos convida a olhar para as pessoas com amor e compaixão. Até
mesmo o inimigo mais cruel é digno de perdão quando há sinceridade no arrependimento e mudança
de vida. Não se trata de sair impune, ileso perante às leis humanas... porque não se trata do que o
outro deverá ou não enfrentar... se trata do sentimento que nutrimos em nós com relação ao que a
outra pessoa faz. Se alimentamos o ódio, este é que irá se sobressair e poderá trazer consequências
catastróficas para nós e para o mundo. A prova disso é que Jesus, pendurado numa cruz, brutalmente

4

assassinado. Além disso, todos os dias, as terríveis notícias que vemos e ouvimos sobre a violência no
mundo.
Vamos alimentar bons sentimentos. Vamos compreender melhor o mundo e as pessoas em nossas
diferenças, defeitos e aproveitar nossas potencialidades. Vamos trabalhar pela paz, em favor da vida,
exercendo o cuidado e o respeito mútuo. Que Deus nos ajude nessa tarefa. Amém.
HINO
Nº 426 - LCI – Ó meu Jesus, que mal tu cometeste
CONFISSÃO DE FÉ
Confessemos juntos a nossa fé no Trino Deus, através das palavras do Credo Apostólico.
Creio em Deus Pai, ...
CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
Nº 84 - LCI – Te agradeço
ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________
6._______________________________________________________
Deus de amor e querido Pai. Agradecemos por este culto, pela palavra e pela comunhão com os
irmãos e com as irmãs na fé. Intercedemos pela ação de tua igreja, para que, em gratidão por tudo o
que fizeste por nós, haja mais disposição para o estudo da tua palavra, mais vontade de viver e
celebrar em comunidade, mais tempo para servir na tua seara. Pedimos pelas pessoas que sofrem neste
mundo, para que a mensagem pascal arranque do nosso meio a ânsia de poder, a sede desmedida de
riqueza, o desprezo por quem é diferente, os muros que dividem, as mãos que oprimem, a dor de
corações magoados e machucados, afim de que aconteçam inclusão, perdão, respeito e transformação.
Assiste, Senhor, os aflitos, os sobrecarregados e enlutados com a tua paz. Ampara os desamparados.
Ajuda os que estão sem lar, sem emprego e os que não têm o pão de cada dia. Assiste os doentes e
entristecidos para que todos nós possamos juntos confessar e testemunhar que nosso Redentor vive e
reina eternamente. Dá-nos, Senhor, a certeza da ressurreição, tanto da sua, essa que celebramos na
páscoa, quanto a nossa e de nossos entes queridos que já partiram antes de nós. Que possamos
verdadeiramente confiar e acreditar na vitória da vida que surge e ressurge da morte mostrando-nos
sinais da vida eterna, prometida por ti. O mais que temos em nossos corações incluímos na oração que
teu Filho nos ensinou: PAI NOSSO
Pai nosso ...
LITURGIA DE DESPEDIDA
AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

5

________________________________________________________
BÊNÇÃO
Que Deus te abençoe e te guarde. Que Ele faça resplandecer o seu rosto sobre ti e tenha misericórdia
de ti. Que Deus, sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito
Santo. Amém.
ENVIO
Vão em paz e sirvam ao Senhor com alegria!
Demos graças a Deus!
CANTO FINAL
Nº 300 - LCI – Deus vos guarde


Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 72328
REDE DE RECURSOS
+
Um cristão não pode ser ofendido a tal ponto que não possa mais perdoar.
Martim Lutero
© Copyright 2024 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br