Diaconia - A fé ativa pelo amor


Alegres na Reforma com Amor Diaconal

Jejum Diaconal 2017

08/02/2017

“A fé é ativa no amor”. Gálatas 5.6

Estamos celebrando os 500 anos da Reforma Luterana e queremos fazer isso em palavras e ações. Lembramos que a Reforma Luterana contribuiu imensamente no desenvolvimento social da Europa e no despertamento da Igreja, por isso o tema do Jejum Diaconal da quaresma de 2017 está baseado nos escritos de Martim Lutero. E escolhemos esse símbolo que revela o amor das pessoas entre si, de mãos dadas, formando um coração. E esse mesmo amor em ação pela igreja, pela confessionalidade luterana. Esse ano o motivo de nossas ofertas é para o trabalho com famílias imigrantes. Solidarizemo-nos com nossos irmãos e irmãs que passam tantas necessidades. Muitos não conseguem trazer esposa/o ou filhas/os que ficaram no país de origem que está destruído. Nossa ação é muito importante para um coração que diariamente precisa se encher de esperança. Nossa fé nos impulsiona para isso. Ela é ativa no amor.

No escrito sobre as Boas Obras, Lutero critica as obras que são usadas para méritos pessoais, mas valoriza as boas obras realizadas com amor. O próprio Lutero diz que em “questões do amor é preciso ceder, porque ele tudo suporta”. Esse amor é definido por ele a partir do amor de Cristo. Esse é o parâmetro. 

Lutero deixa claro que as obras do amor devem ser direcionadas às pessoas em maior necessidade. Esse amor não leva em consideração recompensas nem pergunta se a pessoa é digna de recebê-lo. A fé não pergunta se há obras a fazer, antes que surja a pergunta ela já as fez. O amor é abnegado e espontâneo como o amor de Deus. O amor é parte daquele amor divino dado para que o ser humano o passe adiante. Ele é dirigido ao próximo por causa da fé em Jesus Cristo, pois tal fé é o agente e o amor é a ação. Portanto, o cristão age diaconalmente quando atua com amor segundo a fé. As ações não devem contradizer os mandamentos de Deus e Sua vontade. Diz Lutero:

“‘ fé verdadeira (...) é uma obra divina em nós, que nos modifica e faz renascer de Deus (Jo 1.13) (...) há algo muito vivo, atuante, efetivo e poderoso na fé, a ponto de não ser possível que ela cesse de praticar o bem. Ela também não pergunta se há obras a fazer, e sim, antes que surja a pergunta, ela já as realizou e sempre está a realizar’” (...).

O Jejum Diaconal é uma ação de fé em favor de pessoas ou causa importante. Você é convidado a deixar de consumir alguma coisa (doces, bebidas, carne vermelha, roupas...) durante a quaresma, juntar e somar esse valor e levá-lo à igreja num culto, de preferência coloque num envelope com nome “Jejum Diaconal”.

Se preferir, junte um grupo de amigos e amigas, ou mesmo motive seu grupo para ofertar. Essa ação acontece todos os anos e sempre destinada a alguma necessidade. Não estamos comprando o amor de Deus nem fazendo obras para ganhar espaço no céu. Confessionalmente, cremos que somente pela fé em Cristo que herdamos o reino de Deus e a vida eterna, no entanto, essa fé em Jesus Cristo também busca seguir o modelo de vida de Jesus. Crer no evangelho é fé em ação, é fé que serve. Servimos de muitas maneiras. Lutero mesmo diz que toda a vida do cristão é um constante servir. Por isso, servimos também com nossas ofertas que gerarão vida e reencontros.

E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, Jesus teve fome (Mateus 4.2)
No Antigo Testamento lemos que o jejum era praticado em várias situações: em tempos de seca e fome, de enfermidades, de luto, em processos judiciais. E tradições cristãs levam muito à sério o jejum. O próprio Jesus jejuou e se retirava para orar (Mc 1). Lembramos dos quarenta dias de Jesus sendo tentado pelo Satanás, este o desafiando para transformar as pedras em pão. Sim, todo sacrifício Cristo fez por nós. No entanto, nosso jejum é o jejum que Jesus ensinou: deixando de consumir demasiadamente pensando nas pessoas que passam necessidade e repartindo com elas o que temos; pensando no nosso corpo que precisa de “pausas“; pensando na aproximação com Deus através de oração, celebração e reflexão, especialmente, durante a quaresma.

Na Igreja Evangélica de Confissão Luterana não existem mais regras rígidas para a prática do jejum. O Reformador Martin Luther acabou com a idéia de que a abstinência é uma boa ação que nos livra do inferno. Ele praticava o jejum, não por obrigação, mas por gratidão. A pessoa que jejuar voluntariamente, perceberá mudanças em sua vida. Você é livre para jejuar, para servir, mas faça por gratidão! A fé é ativa no amor e essa fé precisa ser alimentada, fortalecida. Se Jesus jejuava e orava, então devemos aquietar-nos e refletir nesse tempo de quaresma.

Iniciamos o Jejum Diaconal de 2017 no dia 01 de março – Quarta-feira de Cinzas - e finalizamo-lo no dia 23 de abril, com celebração e entrega dos envelopes, às 09h na Comunidade dos Apóstolos – em Joinville. Desejamos que essa quaresma seja muito especial para você!

Diác. Angela Lenke
Departamento de Diaconia da Comunidade Evangélica de Joinville – UP
Pela equipe do Jejum Diaconal do Sínodo Norte Catarinense
 


AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Jesus Cristo diz: Eu sou a luz do mundo; quem me segue nunca andará na escuridão, mas terá a luz da vida.
João 8.12
REDE DE RECURSOS
+
Se cada um servisse a seu próximo, o mundo inteiro estaria repleto de culto a Deus.
Martim Lutero
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br