Bíblia

A autoridade da Bíblia em Lutero

31/10/2014

Somente Cristo - Jorev
Selo Reforma 500 anos 75dpi RGB 1600x1180
1 | 1
Ampliar

Foi a Bíblia que promoveu a Reforma da igreja no século 16. Lutero era professor de Bíblia e descobriu nela o quanto a igreja se havia afastado do evangelho. Com a Bíblia na mão – e na cabeça! – enfrentou papa e imperador, exigindo correção de curso em igreja e Estado. Admitia como único critério da verdade a Bíblia. Jogou o sola scriptura (somente a Escritura) contra a igreja de seu tempo, denunciando os abusos que se haviam instalado. Aliás, todas as reformar, ontem e hoje, são inspiradas pela Bíblia, tendo nela sua mais enérgica promotora. Assim também na Reforma de Lutero e, mais tarde, de Calvino.

É importante anotar que Lutero, mesmo assim, não pode ser chamado um “fundamentalista bíblico”. Ele não é adepto da inspiração verbal. Distingue entre letra e Espírito, entre Escritura e evangelho. Nem todas as passagens bíblicas possuem a mesma autoridade. É conhecida sua crítica à Carta de Tiago, considerada por ele “epístola de palha”. Constatou nela muita lei e pouco evangelho. Para Lutero, a Bíblia possui pontos altos e baixos, partes de maior e outras de menor densidade evangélica. Por isso erra quem a lê de modo “linear”, sem critério avaliativo, sem percepção para o essencial. A Bíblia tem um centro que é Jesus Cristo. É a partir dele que quer ser entendida. Leitura fundamentalista da Bíblia não constrói igreja. Acaba produzindo seitas.

Por isso Lutero colocou ao lado do sola scriptura o solus Christus (somente Cristo). Isto significa que a Bíblia é palavra de Deus somente à medida que “promove Cristo”. Tornou-se famoso esse critério. Da mesma forma Lutero poderia ter dito que o que está no miolo da Escritura é o evangelho da justificação por graça e fé. Pois Cristo é a nossa justificação. O sola scriptura é interpretado pelo solus Christus, e este, por sua vez, pelo sola gratia (somente por graça) e o sola fide (somente por fé). Lutero tem uma compreensão profundamente “evangélica” da Bíblia. Não são a capa preta, as faixas douradas, as línguas antigas ou qualquer outra coisa externa que conferem autoridade à Escritura. É Jesus Cristo e o evangelho que ele dá notícia.

Consequentemente, não basta a simples citação bíblica como demonstração da verdade. É preciso argumentar, ver a Bíblia em seu todo, não fraciona-la em pedaços. Igreja luterana necessita de “teologia”, ou seja, de uma confissão que formule a essência da fé. Não se satisfaz com a mera listagem de versículos. E, todavia, é somente na Bíblia que vamos conhecer o evangelho. Ela não precisa de adendos quando se trata de saber o que é necessário para a salvação e o ser igreja. Lutero não era cego com relação às passagens difíceis na Bíblia. Ainda assim, ele pergunta: “(...) onde está escrito de maneira mais clara que Deus criou céu e terra, que Cristo nasceu de Maria, que sofreu, morreu e ressuscitou e tudo o que nós cremos, senão na Bíblia?” A Bíblia não necessita de um magistério eclesiástico para ser entendida. Quando estudada com dedicação, interpreta-se a si mesma. Vale a pena fazer o teste.

Pastor Dr. Gottfried Brakemeier, em “Por que ser cristão?”, Editora Sinodal


Autor(a): Gottfried Brakemeier
Âmbito: IECLB
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Bíblia
Natureza do Texto: Artigo
ID: 22739

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Como um perfume que se espalha por todos os lugares, somos usados por Deus para que Cristo seja conhecido por todas as pessoas.
2Coríntios 2.14
REDE DE RECURSOS
+
Jamais a fé é mais forte e gloriosa do que ao tempo da maior tribulação e tentação.
Martim Lutero
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br