Artigoteca



ID: 2958

Fé, cura e salvação - Artigo 1

10/02/2017

 

FÉ, CURA E SALVAÇÃO
Artigo 1 - Ingo Wulfhorst

Talvez você tenha ouvido alguém dizer num momento de sofrimento:

- Estou pagando os meus pecados!
- Estou pagando o meu carma!

Esses depoimentos estão baseados na nossa lógica humana: Alguém cometeu um mal, então ele vai sofrer por causa disso. Alguém fez algo bom, então ele será recompensado com saúde e prosperidade.

Esta é a lei do merecimento - a lei da causa e do efeito. A lei da causa e do efeito também é válida para a fé, cura e salvação? “Sim!”, respondem quase todas as religiões e filosofias de vida. Assim, por exemplo, os Vedas e Upanishades, os livros sagrados mais antigos de 3.500 anos, ensinam:

Se você fizer o bem (a causa), será recompensado por Deus com boa saúde, prosperidade e evolução espiritual (o efeito) através de muitas vidas no reino mineral, vegetal e animal e em reencarnações humanas.

1. Se você cometer um mal (a causa), vai pagar o mal através do sofrimento nesta e em muitas outras vidas (o efeito).

Jesus ensinou que um doente está pagando os seus pecados com a doença? Ou que uma pessoa de grande fé tem boa saúde por merecimento? Não! Aqui um exemplo. Jesus e seus discípulos estão caminhando numa cidade e vêem um cego de nascença, pedindo esmolas. E os discípulos perguntam para Jesus:

Mestre, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? (João 9.2).

Na pergunta, os discípulos já respondem a sua própria pergunta, afirmando que o cego nasceu cego para pagar os pecados dele ou dos seus pais. Ponto final. Para os discípulos esta é a única resposta possível. E querem que Jesus confirme a sua interpretação espiritual, vigente naquela época: a justiça divina manifesta-se visivelmente através de doenças e tragédias. Por outro lado, ter boa saúde seria uma prova visível que ela ou os seus pais foram pessoas melhores do que o cego ou seus pais.

Essa foi a educação religiosa dos discípulos de Jesus. Enuncio um exemplo: Tosephta Berakhot é uma coleção judaica de sentenças tradicionais e doutrinárias da época de Jesus na Palestina. No capítulo 3.17 é determinado que o judeu daquela época, ao encontrar-se com um cego, devia murmurar a seguinte oração:

Louvado seja o fiel juiz!

Porque louvar Deus como juiz fiel? Porque Deus foi um juiz fiel e justo, castigando o cego com a cegueira por causa dos seus pecados ou de seus pais. Era proibido falar com o cego, pois poderia ser contaminado pela impureza e pelos pecados do cego. E, sendo castigo divino, no máximo era permitido dar uma esmola, mas nunca agir em favor do cego e engajar-se pela cura. Jesus, porém, passa por cima de todas essas proibições e rejeita peremptoriamente a intepretação religiosa, afirmando:

Nem o cego de nascença pecou, nem seus pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus.

Surpreendente, não é? Jesus revela o evangelho – a palavra “evangelho“ significa “boa nova”. Jesus traz a boa nova para seus discípulos, para o cego de nascença e para quem hoje acredita ser a doença castigo de Deus para pagar os pecados:

Nem o cego de nascença pecou, nem seus pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus. É necessário que façamos as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar. Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo. (João 9.3 - 5).

Ditas estas palavras, Jesus cura gratuitamente o doente, sem exigir nada dele. Jesus não exigiu do cego que pagasse os seus pecados. Jesus não exigiu dele uma fé muito forte para ser curado. Jesus não exigiu que pagasse o dízimo, o Carnê de Multiplicação de Milagres, fazer jejum, etc.

Jesus, a luz do mundo, opõe-se à escuridão da interpretação da doença como castigo de Deus e cura por graça e amor, gratuitamente. A cura é um sinal visível que Deus nos salva gratuitamente por amor através da sua morte e ressurreição.

Sim, Jesus pagou nossos pecados na cruz e por isso não precisamos pagar nossos pecados através da doença e de outros sofrimentos. Essa é a boa nova, o evangelho de Jesus Cristo. Jesus nos presenteia gratuitamente a fé, cura e salvação. É graça divina de graça.

Mas, porque a doença e o sofrimento? Essa pergunta vamos responder no próximo artigo.


Veja outros artigos desta série:

Fé, cura e salvação - Artigo 1
Fé, cura e salvação - Artigo 2
Fé, cura e salvação - Artigo 3
Fé, cura e salvação - Artigo 4
Fé, cura e salvação - Artigo 5
Fé, cura e salvação - Artigo 6
Fé, cura e salvação - Artigo 7
Fé, cura e salvação - Artigo 8

 


Autor(a): Ingo Wulfhorst
Âmbito: IECLB
Área: Publicações / Nível: Publicações - Artigoteca
Natureza do Texto: Artigo
ID: 45073

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Toda a vida dos crentes não é outra coisa senão louvor e gratidão a Deus.
Martim Lutero
REDE DE RECURSOS
+
O que o Senhor planeja dura para sempre. As suas decisões permanecem eternamente.
Salmo 33.11
© Copyright 2018 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br