Diversidade étnica


ID: 2907

Dóris Kieslich se torna catequista emérita

O culto de desinstalação aconteceu no início de dezembro, em Fortaleza/CE

11/12/2016

Desinstalação da catequista Dóris Kieslich
Comunidade em Fortaleza/CE - Desinstalação da catequista Dóris Kieslich
Desinstalação da catequista Dóris Kieslich
Certificado de Gratidão pelos serviços prestados - Desinstalação da catequista Dóris Kieslich
Desinstalação da catequista Dóris Kieslich
Desinstalação da catequista Dóris Kieslich
Desinstalação da catequista Dóris Kieslich
Desinstalação da catequista Dóris Kieslich
Desinstalação da catequista Dóris Kieslich
Desinstalação da catequista Dóris Kieslich
Desinstalação da catequista Dóris Kieslich
Desinstalação da catequista Dóris Kieslich
Desinstalação da catequista Dóris Kieslich
Catequista Emérita Dóris Kieslich e Pastor Sinodal Joaninho Borchardt
Templo da Comunidade em Fortelza/CE - Desinstalação da catequista Dóris Kieslich
1 | 1
Ampliar

O dia 11 de dezembro de 2016 marcou a desinstalação da catequista Dóris Kieslich Cavalcante, na Comunidade em Fortaleza/CE. Dóris atua como ministra e como voluntária na IECLB desde 1985, com dedicação à Comunidade em Fortaleza nos últimos 20 anos. Foi um dia festivo, com celebração, homenagens e confraternização entre a comunidade.

Histórico

Dóris Kieslich é natural de Ijuí/RS e mudou-se para São Leopoldo/RS em 1981. Cursou catequese e sociologia até 1985, quando se formou catequista e professora. No mesmo ano foi para Tefé/AM para atuar como voluntária na pastoral indigenista na Prelazia de Tefé.

Em 1986, assumiu como professora catequista pela Igreja. O trabalho consistia em apoiar os povos indígenas na saúde e educação no Médio Rio Solimões, onde permaneceu até 1990. No fim do ano, foi para Fortaleza/CE e ficou até 1994, quando foi para Cacoal/RO para atuar no apoio às questões indígenas no Projeto Proari da IECLB e Comin. Depois, foi atuar como educadora na Comunidade de Porto Velho.

Em 1996 retornou à Fortaleza para não sair mais. Sempre esteve envolvida com o culto infantil, ensino confirmatório, grupo de mulheres, visitas aos membros e visitas hospitalares, além de assumir as celebrações e cultos na vacância pastoral. 
 


AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Ser batizado em nome de Deus é ser batizado não por homens, mas pelo próprio Deus.
Martim Lutero
REDE DE RECURSOS
+
A Comunidade cristã deve ser reconhecida, sem sombra de dúvida, na pregação do Evangelho puro
Martim Lutero
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br