Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil e Ecumene



ID: 2676

I Simpósio entre as Igrejas Tradicionais Cristãs - Teixeira de Freitas - BA

06/05/2018

I Simpósio entre as Igrejas Tradicionais Cristãs - Teixeira de Freitas - BA
I Simpósio entre as Igrejas Tradicionais Cristãs - Teixeira de Freitas - BA
I Simpósio entre as Igrejas Tradicionais Cristãs - Teixeira de Freitas - BA
I Simpósio entre as Igrejas Tradicionais Cristãs - Teixeira de Freitas - BA
I Simpósio entre as Igrejas Tradicionais Cristãs - Teixeira de Freitas - BA
I Simpósio - Programa nas Rádios (1)
I Simpósio - Programa nas Rádios (2)
I Simpósio - Programa nas Rádios (3)
1 | 1
Ampliar

I Simpósio entre as Igrejas Tradicionais Cristãs - Teixeira de Freitas - BA

 “A mão de Deus nos une e liberta”

No dia 06 de maio de 2018, realizamos o I Simpósio entre as Igrejas Tradicionais Cristãs em Teixeira de Freitas-BA, foi momento muito especial, aonde nós religiosos da IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, Primeira Igreja Batista, Igreja Católica Apostólica Romana e a Igreja Ortodoxa Siríaca, tivemos a oportunidade para partilhar algumas ideias e experiências, bem como, deixar-nos questionar pelas experiências dos outros, num desejo profundo de crescimento mútuo, na busca da solidariedade, unidade, de respeito e unidos na construção de uma cultura de paz e justiça.

Foram abordados quatro temas nas palestras: 1. “Princípios e frutos da Unidade cristã: uma bordagem a partir do decreto Unitatis Redintegratio”Fabiano Costa - Igreja Católica Apostólica Romana; 2. “O caminho ecumênico entre a Igreja Ortodoxa Siríaca e a Igreja Católica Romana: avanços e perspectivas”Celso Kallarrari – Igreja Ortodoxa Siríaca; 3. “Luteranos e Católicos: alegrias com o crescimento da compreensão, da cooperação e respeito mútuo”Davi Haese - IECLB -Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil; 4. “A Unidade e seu Processo histórico: perspectivas e desafios” Juan Servin – Primeira Igreja Batista de Teixeira de Freitas. As reflexões foram profundas e ricas, cada tema abordado nos levou para a história do passado, sempre com olhar crítico e construtivo sobre as diversas dores e feridas que foram abertas entre os cristãos durante séculos, e que em muitos momentos e situações no presente, ainda sentimos profundamente por essas dores. Com certeza, isso nos permitiu encarar a realidade de que não podemos mudar o passado, mas com a nossa atuação no presente, nós podemos e devemos ser protagonistas de um projeto de mundo, onde reina a justiça e paz entre todas as pessoas.

Durante os debates, permitiu nos olhar sobre a nossa realidade, nos provocando no profundo desejo de atuar sobre ela. Dessa forma, fomos presenteados com sinais e atos visíveis que durante esses anos se concretizaram na tentativa da construção da unidade. Os quais precisam ser proclamados e testemunhados para que seja alcançado para um maior número de pessoas, dando a oportunidade de conhecer e se espelhar através delas na sua vivência fé no dia a dia.

A finalização com o Culto Ecumênico, experimentamos de fato a unidade, como diz a música: “De mãos dadas a caminho, porque juntos somos mais, pra cantar o novo hino, de unidade, amor e paz. Momento de comunhão fraterno, o sentimento de proclamar a vontade de Deus, de viver o compromisso, de denunciar o pecado presente no mundo, bem como de anunciar os valores do Reino, de nos reconhecer como irmãos/as em Cristo rumo na construção de um mundo mais justo e fraterno.

Acredito que os momentos ricos vividos entre nós religiosos no I Simpósio entre Igreja Tradicionais, tenha também proporcionado aos demais participantes um momento especial em suas vidas, provocando-os para descontruir alguns preconceitos históricos, e construir na caminhada de forma mais sensata e coerente valores de unidade no presente. Que pelas semelhanças, o diálogo é possível, pelas diferenças é necessário, sendo que não precisamos ser iguais. O conviver com o/a outra/a, não corremos o risco e nem precisamos deixar a nossa identidade religiosa, mais essas diferenças enriquecem. Como disse o Papa João XXIII: “O que nos une é maior do que o que nos divide”.

Desejo que essa caminhada iniciada aqui em Teixeira de Freitas-BA, seja alimentado com o testemunho de cada um/a que vem acreditando de que é possível nos unir, e que somos cooperadores para redescobrir, em conjunto, a força do Evangelho de Jesus Cristo para o nosso tempo. Parafraseando com as palavras do Apóstolo Paulo: “Façam todo o esforço para conservar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz” (Efésios 4.3). Que assim seja!

*Davi Haese – AMI –Área Missionária Nordeste/MG e Sul/BA
 


AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Quanto mais a gente de embrenha na Criação, maiores os milagres que se descobre.
Martim Lutero
REDE DE RECURSOS
+
Cristo nos libertou para que nós sejamos realmente livres.
Gálatas 5.1
© Copyright 2018 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br