Presidência da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil


Rua Senhor dos Passos , 202 V andar - Centro
CEP 90020-180 - Porto Alegre /RS - Brasil
Telefone(s): (51) 3284-5400
presidencia@ieclb.org.br

Confissão e Absolvição

Palavra da IECLB - O que dizem os manifestos e posicionamentos da Direção da IECLB

1. Fundamentação:

O que diz a Confissão de Augsburgo sobre Confissão e Absolvição:
Da confissão se ensina que se deve conservar a privata absolutio,33 não a deixando cair em desuso na igreja, ainda que na confissão é desnecessário enumerar todos os maus feitos e pecados, porque tal nem é possível. Salmo 18: “Quem conhece os delitos?”34

(...) Do arrependimento se ensina que os que pecaram depois do batismo, recebem perdão dos pecados a qualquer tempo em que cheguem ao arrependimento, não lhes devendo a igreja negar a absolvição. Agora, arrependimento verdadeiro, autêntico, propriamente outra coisa não é que sentir contrição e pesar ou terror por causa do pecado e todavia crer ao mesmo tempo no evangelho e na absolvição, isto é, crer que o pecado foi perdoado e que por Cristo foi obtida a graça, fé essa que volta a consolar e serenar o coração. Deve seguir-se a melhora de vida e o abandono do pecado; pois esses devem ser os frutos do arrependimento, como diz João Mt 3: “Produzi, pois, fruto digno do arrependimento.”
Confissão de Augsburgo – 1530
Texto completo da Confissão

 

O que diz o Catecismo Menor de Martim Lutero sobre Confissão e Absolvição:
O que é o ministério da absolvição dos pecados? É o poder especial que Cristo deu à sua Igreja na terra, para perdoar os pecados às pessoas que se arrependem e não os perdoar a quem não se arrepende.

Onde está escrito isto? Nosso Senhor Jesus Cristo diz a Pedro, no Evangelho de Mateus, capítulo dezesseis: Eu lhe darei as chaves do Reino do céu; o que você proibir na terra será proibido no céu, e o que permitir na terra será permitido no céu. Do mesmo modo diz o Senhor aos discípulos, no Evangelho de João, capítulo vinte: Recebam o Espírito Santo. Se vocês perdoarem os pecados de alguém, esses pecados são perdoados; mas, se não perdoarem, eles não serão perdoados.

Que é a confissão? A confissão tem duas partes: Primeiro, confessamos os nossos pecados; segundo, aceitamos a absolvição que a pessoa que ouve a nossa confissão nos anuncia. Podemos aceitá-la como vinda de Deus mesmo, não duvidando de modo algum, mas crendo firmemente que por ela os pecados estão perdoados perante Deus no céu.

Que pecados devemos confessar? Diante de Deus devemos confessar que somos culpados de todos os pecados, também dos pecados dos quais não nos damos conta, como fazemos no Pai-Nosso. Mas, diante da pessoa que ouve a nossa confissão, devemos somente confessar os pecados dos quais nos damos conta e que pesam na consciência.

Que pecados são estes? Examine a sua vida à luz dos dez mandamentos: se você é pai, mãe, filho, filha, patrão, patroa, empregado, empregada, se você foi desobediente, infiel, negligente, raivoso, desrespeitoso, briguento, mentiroso, se você fez mal a alguém com palavras ou ações, se roubou, descuidou ou deixou de fazer o que devia.

Como confessamos os nossos pecados à pessoa que ouve a nossa confissão? Podemos fazê-lo dizendo: Peço que ouça a minha confissão e me anuncie o perdão em nome de Deus. Depois confessamos que somos culpados de todos os pecados diante de Deus. À pessoa que ouve a nossa confissão dizemos o pecado que mais nos pesa na consciência. Podemos concluir dizendo: Arrependo-me de tudo isto. Peço misericórdia. Quero mudar de vida.

Como se dá a absolvição? A pessoa que ouve a confissão diz: Deus tenha misericórdia de você e fortaleça a sua fé! Amém.
Você crê que a minha absolvição é a absolvição de Deus? Respondemos: Sim, eu creio. A pessoa que ouve a confissão fala:
Como você crê, assim será. Por ordem de nosso Senhor Jesus Cristo lhe perdoo os seus pecados, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém. Vá em paz!

Breve forma de confessar os pecados: Deus todo-poderoso, Pai misericordioso. Eu, pessoa pobre, miserável e pecadora, confesso-te todos os meus pecados e injustiças que cometi em pensamentos, palavras e ações. Com eles, em algum momento, causei a tua ira, merecendo o teu castigo nesta vida e na eternidade. Todos estes pecados pesam na minha consciência e me arrependo deles profundamente. Peço-te, por causa da tua misericórdia infinita e da inocente e amarga paixão e morte de teu Filho Jesus Cristo: tem misericórdia de mim, pobre pessoa pecadora. Perdoa-me todos os meus pecados. Concede-me a força do teu Espírito Santo para melhorar a minha vida. Amém!
Catecismo Menor de Martim Lutero
Texto completo do Catecismo

 

O que diz o Guia Nossa Fé – Nossa Vida sobre Confissão e Absolvição:
Por que confessar os pecados?
À luz da palavra de Deus, reconhecemos que falhamos diariamente no que fazemos e deixamos de fazer. Tornamo-nos culpados perante Deus e o meio em que vivemos, perturbando ou destruindo a comunhão e a integridade da criação.
Por outro lado, experimentamos que o perdão da culpa reconhecida restabelece a comunhão com Deus e com o meio em que vivemos.

O que fazer para receber o perdão?
Não nos desculpamos apenas, nem nos fechamos em nós mesmos, nem ainda procuramos compensar nossa culpa com bons propósitos e boas ações. Pelo contrário, confiantes no perdão, superamos nosso orgulho, medo e inibições.
Reconhecemos a culpa e em arrependimento sincero a confessamos, rogando que sejamos perdoados, para que possamos iniciar vida nova.

A quem confessar os pecados?
Devemos confessar os pecados a Deus, individualmente, em oração; em conjunto, na reunião dos irmãos e das irmãs; ao próximo, diante de quem falhamos, dando, se possível, o primeiro passo para reparar a falta cometida.

A quem procurar quando a consciência pesa?
Quando sentimos a necessidade de encontrar consolo e perdão, procuramos o pastor, a pastora ou outro obreiro e obreira ou outra pessoa em quem depositamos confiança. O confessor ou a confessora, por ordem de Cristo, nos pode dar a absolvição, que aceitamos como sendo de Deus mesmo. O obreiro ou a obreira, pelo voto de ordenação, é obrigado a guardar sigilo sobre a confissão. A mesma coisa se espera de qualquer pessoa que ouviu uma confissão.

O que é a absolvição ou a retenção dos pecados?
Jesus Cristo delegou aos discípulos o poder de perdoar pecados às pessoas arrependidas e de retê-los às pessoas impenitentes.
Por conseguinte, a comunidade cristã é chamada a praticar esta grande oferta do perdão dos pecados e a responsabilidade de retê-los.

O que nos oferece a absolvição individual?
O perdão concedido individualmente é, antes de mais nada, a grande oportunidade de conforto espiritual.
Pela absolvição, experimentamos alívio em nossa consciência atribulada e libertação do peso da culpa não-perdoada. Somos fortalecidos para uma vida nova.

Quando não há perdão?
Não haverá perdão se não estivermos dispostos a reconhecer nossa culpa, nem a nos arrepender, nem ainda a reparar, quando possível, nossas faltas.

Quais as consequências do perdão?
O perdão de Cristo reconcilia-nos e restabelece a comunhão com Deus e com o meio em que vivemos. Por isso somos chamados a reparar as faltas cometidas, mostrando, assim, que estamos dispostos a produzir frutos dignos de arrependimento sincero.
Guia Nossa Fé – Nossa Vida
texto completo do Guia

 

O que diz o Regimento Interno da IECLB sobre Confissão e Absolvição:
Na Comunidade, concretiza-se a missão da Igreja no anúncio da Palavra, na exortação ao arrependimento, na mensagem do perdão e no chamado à prática do amor, da justiça, da solidariedade e do serviço ao próximo e à sociedade. (art 5º)
Regimento Interno da IECLB
Texto completo do Regimento
 


AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Quem é tão forte que não necessite também de consolo do menor dos seus irmãos?
Martim Lutero
EDUCAÇÃO CRISTÃ CONTÍNUA
+

REDE DE RECURSOS
+
Como um perfume que se espalha por todos os lugares, somos usados por Deus para que Cristo seja conhecido por todas as pessoas.
2Coríntios 2.14
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br