Romanos 5.12-19 - 1º Domingo na Quaresma - 05.03.2017

Caderno de Cultos 2017

05/03/2017

ACOLHIDA
Bom dia, comunidade.
Hoje é primeiro Domingo na Quaresma. O Calendário Cristão nos introduz ao sofrimento de Jesus, à oração, ao jejum e à reflexão de sua paixão e morte, na Cruz.
As primeiras pessoas cristãs nos ensinam: “tudo o que está nas Escrituras foi escrito para nos ensinar, a fim de que tenhamos esperança por meio da paciência e da coragem que as Escrituras nos dão (Rm 15.4)”.
Com estas palavras, acolhemos a todos/as aqui neste lugar de culto e adoração a Deus e testemunhamos que as Sagradas Escrituras, que é a Bíblia, foram escritas para nos ensinar e instruir na fé e vida cristã. Ela é a Santa Palavra de Deus.
Bem vindos/as vocês que nos visitam, é bom que estão em nosso meio. Acolhemos, especialmente, aos visitantes com as palavras de Hebreus 13.15: “Por isso, por meio de Jesus Cristo, ofereçamos sempre louvor a Deus. Esse louvor é o sacrifício que apresentamos, a oferta que é dada por lábios que confessam a sua fé nele.”
Portanto, queridos irmãos e queridas irmãs, louvemos juntos, oremos, busquemos a Deus neste encontro. Que bom que vocês vieram, que seja um encontro de benção, de comunhão, de amizade, de testemunho da nossa fé. Que o amor de Deus dirija a nossa celebração! Sintam-se todos bem!
Acolher visitantes se houver com um aperto de mão.

CANTO DE ENTRADA
HINO: HPD I, Nº 48- O, meu Jesus, que mal tu cometeste

LITURGIA DE ABERTURA
SAUDAÇÃO
Igreja de Jesus aqui reunida, celebramos este culto em nome do Pai: que nos criou e deseja que ouçamos a sua Palavra. Em nome do Filho Jesus: Que se entregou para nos salvar e em nome do Espírito Santo: Que nos dá entendimento da Palavra de Deus e a crermos Nela e no seu Filho Jesus. Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

CANTOS DE INVOCAÇÃO
HINO: HPD I, Nº47- O jesus, teu sofrimento
CONFISSÃO DE PECADOS
Querido e amado Deus, tu que és o nosso Pai criador, que nos liberta dos pecados, da morte e do poder do inimigo. Somos-te gratos pelo amor a nós revelado em Jesus Cristo, nosso Salvador. Reconhecemos que teu ato na cruz é grandioso demais, e que não merecemos tua grande misericórdia e bondade. Tu queres nos mostrar o caminho da eternidade e nós nos ocupamos apenas com o sono e os sonhos desta vida terrena. Pecamos e nos distanciamos de ti, quando não permitimos que a tua graça brilhe sobre nós e nos oriente. Cada um de nós, Deus, tem muito para colocar diante de ti, tu conheces cada coração. Sabes tudo o que afeta o nosso relacionamento contigo. Queremos eliminar tudo o que nos afastou de ti. Por isso clamamos, Deus tem misericórdia de nós e nos perdoa. Em nome do nosso Salvador Jesus que morreu na cruz pelos nossos pecados, nós pedimos perdão. Amém.

ANÚNCIO DO PERDÃO
Palavras de graça e misericórdia encontramos em 2 Co 5.21 “Em Cristo não havia pecado. Mas Deus colocou sobre Cristo a culpa dos nossos pecados para que nós, em união com ele, vivamos de acordo com a vontade de Deus.” Se crermos nessas palavras, assim será. Deus envia mensagem de paz às pessoas que se reconhecem pecadoras e confessaram seus pecados a Deus. As suas injustiças são perdoadas. Amém.

KYRIE
Vamos colocar nas mãos de Deus as dores das pessoas que clamam por ajuda e por justiça. Não queremos fechar os olhos diante das dores deste mundo. Não queremos ignorar os aflitos e suas aflições. Aqui e agora queremos clamar. Intervém Deus! Clamamos por crianças abandonadas e por adultos sem esperança; por povos e nações em guerras, perseguição ou destruição. Deus e Pai, aqui estamos para rogar a tua misericórdia sobre este mundo que carece tanto de amor, compaixão, perdão, cuidado e fraternidade. Que nós como tua Igreja possamos ser uma luz da tua compaixão neste mundo, que possamos dar testemunho de que tu enviaste teu Filho, Jesus Cristo, para trazer vida plena a todas as nações. Clamamos em relação aos sofrimentos de longe e perto de nós. Tem, Deus, piedade.

GLÓRIA IN EXCELSIS
Deus, receba nosso louvor e nossa gratidão. Cantemos Glória a Deus nas alturas, pois Deus foi, é e sempre será misericordioso com nossas fragilidades humanas, a Ele devem ser rendidos muitos louvores. Cantemos de pé....
Hino: 253, HPD 1: Glorificado seja teu nome

ORAÇÃO DO DIA
Pai de amor, nosso Salvador benigno, Espírito Santo animador da nossa fé, louvamos-te por que teu agir nas nossas vidas nos torna teus filhos e filhas. Obrigada por tua graça que nos transforma. Obrigada pela tua luz que nos guia. Obrigada pelo teu perdão, salvação e vida eterna. Obrigada por que tu não tens limites para agir em nosso benefício e de tua criação. Obrigado que tu nos concedes o privilégio de crer em Ti e de nos firmar em tuas calorosa, acolhedoras e cuidadosas mãos. Pedimos, fortalece-nos a cada dia com tua Palavra. Fala ao nosso coração, também hoje, neste lugar. Derrama teu Santo Espírito, e age em nós e através de nosso ouvir e meditar da tua Santa Palavra. Assim oramos, em nome de Jesus. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

HINO: 379, HPH 2: Estou pronto, Senhor

1ª Leitura Bíblica: Gênesis 2.15-17; 3.1-7

3ª Leitura Bíblica: Mateus 4.1-11

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO

HINO: HPD II, Nº 380- A tua Palavra

TEXTO DA PREGAÇÃO

Leitura de Romanos 5.12-19

Pregação/mensagem

Oração: Lâmpada para os meus pés é a tua Palavra, Senhor, e luz para os meus caminhos ( Sl 119.105).
Estamos no primeiro Domingo na Quaresma, a Paixão de Jesus. A Paixão de Jesus é Sofrimento e é Esperança. A mensagem bíblica deste dia é entendida neste contexto do Sofrimento e da Esperança. Os textos bíblicos para hoje nos ensinam sobre tempos remotos, passado recente, presente e futuro. No tempo remete, Gênesis relata a criação humana por Deus para cuidar e guardar o jardim. Logo vem a desobediência ( Gn 3), como se homens e mulheres não ouvissem, nem compreendessem o seu lugar e sua tarefa na imensa obra maravilhosa de Deus. E desobedeceram, crendo serem eles seus próprios deuses. Deram o golpe em Deus. O Evangelho de Mateus 4.1-11 nos testemunha das lutas internas e externas de Jesus em ser fiel à vida e à salvação universal, sonho do Pai. Deus havia criado um jardim lindo e o confiou aos cuidados humanos. Estes devolveram a Deus um deserto vazio e sem sentido. No silêncio do deserto, Jesus recria comunhão entre Deus, o povo e a terra. Forma novamente uma unidade, sem a presença do mal. Este se retira por não ter mais lugar para ele. Paulo, em Romanos 5.12-19, fala dos dois mundos e de como Deus faz para constituir a nova criação. Esta é a realidade sonhada por Deus para nosso futuro.

O Apóstolo Paulo fala de seu carinho e seu respeito pela comunidade de Roma. Quando ele escreve a Carta aos Romanos, ele ainda não a havia visitado pessoalmente. Roma é conhecida, na época, no mundo inteiro por sua fé (1.8). A Roma, como cidade, é capital do Império Romano, o centro do poder político, militar, econômico etc. E perseguia a Igreja de Jesus Cristo desde a época do imperador Cláudio (49 d.C.; cf. At 18.1s).
Paulo expressa que está em comunhão com os irmãos e irmãs desta comunidade. Tem um desejo muito ardente de compartilhar vida, fé e os dons. Busca conforto e fortalecimento mútuo. E diz estar pronto para anunciar, também em Roma, o Evangelho de Jesus Cristo (1.11-15). Com a Carta aos Romanos, ele se apresenta aos irmãos e irmãs. É igreja formada por cristãos e cristãs de origens judaica e pagã de várias tribos.
Na Carta aos Romanos, Paulo explica a sua compreensão da Boa Nova, o Evangelho. Tem muitos pontos centrais da fé cristã que estão em discussão na igreja, na época. Vários deles Paulo aborda aqui. Um deles é o amor e a graça de Deus. Martim Lutero encontrou grande consolo, decisivo consolo para sua vida, ao ler na carta que a Justiça de Deus se revela no Evangelho, de fé em fé, como está escrito: o justo viverá por fé ( 1.17). Paulo ensina que a justificação e a salvação do homem e da mulher não dependem das “obras da lei”. Dependem do amor incondicional de Deus, de sua graça, por nós vivida na fé em Jesus Cristo, que morreu por nós, na grandeza do amor do Pai.
No texto bíblico da pregação de hoje, (Romanos 5.12-19) Paulo nos apresenta dois reinos, duas ações e duas conseqüências: Adão-Cristo; pecado-graça; morte-vida. Adão é o início e a personificação da humanidade mergulhada no pecado e caminhando para a morte. Cristo é o novo Adão, o início e a personificação da humanidade introduzida no Reino da Graça e caminhando para a vida. O apóstolo nos mostra a vitória de Cristo e do Reino da Graça sobre Adão e o reino do pecado, pois o dom de Deus vence o pecado do homem e da mulher.

Paulo escreve do tempo remoto passado: reinou a morte de Adão até Moises. E o tempo do caos. Sem lei, o pecado estava no mundo. Sem punição da desobediência, a morte reinou desde Adão sobre todos os pecadores. No segundo período, a partir de Moisés, o regime da lei só fez acrescentar a responsabilidade pelas ofensas e a merecida cólera de Deus (cf. v. 20). A lei reinou de Moisés até o Messias. A lei de Moisés veio para mostrar o que está certo, o que está errado e veio para punir. A lei tem o seu poder até a vinda do Messias. Nesta última época, reina o Messias que dá uma nova lei ou uma reinterpretação da lei. É a lei do amor. Paulo retoma essa idéia. Neste terceiro período, há liberdade da lei, porque reina a graça de Jesus Cristo, o Messias. Por isso, Jesus é o único que tem autoridade para dizer: ouviste o que foi dito aos antigos [...]. Eu, porém, vos digo [...]. Jesus muda a realidade da salvação: agora não é o cumprimento da lei, mas o Evangelho que salva, pela graça mediante a fé.

Nós vivemos no tempo da graça, da fé, do amor, do Evangelho, de Cristo Jesus. Mas o velho Adão e a velha Eva continuam em nós. Foram afogados no Batismo, e nós somos ovelhas alimentadas na fé pela Ceia do Senhor para vivermos em novidade de vida. Mas Adão e Eva sabem “boiar” e procuram “comida” em outras pastagens, no miserável consumismo humano. Por isso, preste atenção, dizem nossas mães, quando nos atrapalhamos na vida e nos damos mal. Pois, somos...

a) Somos herdeiros de tesouros e de misérias
(Parte do texto de P. Dirk: http://www.luteranos.com.br/conteudo/romanos-5-12-15

Quem sou? De onde eu vim? Onde eu estou? Para onde eu vou? Por que sempre estou dividido entre o bem e o mal? Ou, como diz Paulo: Por que nem eu mesmo compreendo o meu próprio modo de agir? Então, ao querer fazer o bem, encontro a lei de que o mal reside em mim (Rm 7.15, 21). Estes são dramáticos problemas existenciais, porque é a nossa vida que está em jogo! De fato nós – todos nós! – percebemos que estamos mergulhados na bondade e na maldade, na graça e no pecado.

Há, também, outra sensação: carregamos algo como de herança, algo que nos acompanha e, de certa forma, condiciona nosso modo de ser e de agir, tanto para o bem quanto para o mal. Carregamos tesouros e misérias que não dependem só de nós. Não nascemos em culpa pessoal, mas carregamos as marcas do pecado e sofremos as suas conseqüências.

b) O mal é um desafio que devemos enfrentar

Você quer ser feliz? “Então, penas bem e age de acordo”, dizem nossos profetas da fé. Tudo o que vai contra a vontade de Deus e a felicidade do ser humano pode ser sintetizado numa única palavra: mal. O mundo em que vivemos parece estar (e está!) bem longe daquilo que a fé nos faz conhecer como o projeto divino da nossa vida e salvação. Existe tanto mal, tamanha injustiça que, às vezes, somos tentados a pensar que Deus nos esqueceu. Mas, em nossa fraqueza, vem nos socorrer a força da graça de Jesus, que nos fortalece na fé e comunhão e nos ampara para enfrentar a luta.

É preciso saber enfrentar o mal: ele se manifesta com múltiplas facetas e muitos. Lutero, nos catecismos, diz que o mal “vem do poder de nossa cabeça, do mundo ao redor, da morte, do diabo e do próprio pecado”. Mas estamos sendo resgatados pelo imenso amor do Pai, conhecemos a liberdade do Espírito. Portanto, podemos e devemos construir nossa própria história pessoal e social. Somos responsáveis pela nossa vida e pelo mundo que construímos. E foi para a liberdade que Cristo nos libertou ( Gl 5.1)
c) História: lugar de salvação e de perdição

Salvação e perdição vêm, muitas vezes, associadas a uma visão natural de fatalidade. Mas essa visão é injusta, pois nós continuamos a ser livres. É injusta, também porque esta visão transforma Deus num ser arbitrário, o que ele não é.

Nunca percamos de vista duas verdades: 1. A responsabilidade humana; 2. A bondade divina

Salvação e perdição têm seus desfechos, sim, no momento da morte, mas são o fruto de nosso agir cotidiano. Salvamo-nos ou perdemo-nos dia após dia. Assim se expressa Santo Agostinho: “Senhor, afastava-me para mais longe de ti. Fervia em minhas devassidões, e tu em silêncio...” E ainda: “O inimigo dominava o meu querer e me forjava uma cadeia que me apertava”. Mas quando ele leu um trecho da Epístola aos Romanos (Rm 13.13) e se converteu, escreve: “Apenas acabei de ler estas frases, penetrou-me o coração como que uma luz de serenidade, e todas as trevas da dúvida fugiram” (Confissões, Liv. VIII, cap. 12).

d) Reconhecer-se pecador é uma graça muito grande
Reconhecer-se pecador não é fraqueza, nem humilhação. Aliás, é o único caminho para se beneficiar da misericórdia divina.

Pode ocorrer, na Comunidade, que haja sempre alguém que tenda dividir os fiéis entre “bons” e “maus”. Existe discriminação também na Igreja! Mas não foi o que Jesus nos ensinou. Diante da Palavra de Deus, não existem bons e maus. Existem pessoas pecadoras, todas elas, sendo perdoadas pela graça e amor de Deus. Ele nos reconcilia conosco mesmo, com a criação e com ELE.
Esta reconciliação é anúncio da alegria da ressurreição. Como Deus se importa com a gente, assim nós estamos sendo vocacionados para nos importar pelo bem das pessoas, da cidade, do campo e de toda a criação de Deus. Amém

HINO: HPD II, Nº 456- Deus é meu amparo

CONFISSÃO DE FÉ
Depois de ouvirmos da palavra de Deus e a sua mensagem para nós, convido-os para confessarmos a nossa fé no Deus único, poderoso e amoroso, e fazemos isso com as palavras do Credo Apostólico...

Creio em Deus Pai, ...
AVISOS DA COMUNIDADE
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Destino da oferta é: _________________________________________
Oferta último Culto: R$________ destinada ____________________ ________________________
Aniversariantes:____________________________________________________________________

HINO: 383 – HPD 2 – A lei do Senhor ( recolher as ofertas)


ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

Oração de Intercessão
Agora queremos orar:
Neste na Quaresma de 2017, obrigado, Deus, pelo encontro e convívio, aqui neste culto, onde tu nos serviste com tua Santa Palavra. Graças, pelo nascimento, vida, ensinamento, morte e ressurreição de teu filho amado, nosso Jesus Cristo que trouxe luz e vida à nossa escuridão e morte. Obrigado pelo perdão que nos deste, por tua promessa em atender nossas súplicas pelas dores do mundo, pela pregação. Obrigado que tu permites nosso louvor através dos hinos. Graças pelo dinheiro que temos e que nos dá condições para vivermos melhor as condições de vida e te ofertar para o trabalho da tua igreja, na sociedade. Graças pelo tempo na Quaresma, quando somos confrontados com o sofrimento de Jesus por nossos pecados que o levaram à morte de Cruz. Obrigado, Deus bondoso, pelo Espírito Santo que tu enviaste aos antigos e continuas enviando hoje. Ele nos consola, transforma, renova, fortalece e emprega no ministério do teu reino de vida, comunhão, fé, perdão e salvação. Deus, o teu povo deseja interceder e pedimos que tu abras os teus ouvidos, o teu coração e atendas as intercessões, se for de tua vontade e de nossa necessidade: (mencionar motivos de oração da comunidade).....

Deus, nosso Criador, Libertador e Empregador, em tuas mãos nós confiamos as intercessões de tua comunidade, aqui reunida em oração. Queremos, ainda, de forma especial interceder pelos casais em conflito, pelos pais e filhos que têm dificuldades em se entenderem, pelos conflitos entre irmãos e irmãs, pelos conflitos comunitários, pelos conflitos na rua, no trabalho e em qualquer outra parte em que pessoas se agridem, se traem, se machucam, se magoam. Ajuda-nos para que possamos sentar com elas, pegar na sua mão, ajudá-las a levantar os olhos, perguntar em que podemos ser solidário. Neste tempo na Quaresma, em especial, pedimos que tu indiques, também, a parte que nos cabe como pessoas compromissadas contigo e com teu povo. Esteja presente, pela ação do teu Espírito, no cotidiano de todas as pessoas que exercem autoridade. Dá criatividade e ânimo ao presbitério para trabalhar e enfrentar as questões de fé e vida de fé de tua igreja, em suas atividades. Dá coração aberto e sensibilidade para percebermos a importância da reconciliação contigo e com as pessoas ao nosso redor. Tudo mais que precisamos para nossa reconciliação, vida e salvação, e tu bem sabes do que necessitamos, incluímos na oração que Jesus Cristo nos ensinou:
Pai nosso....

PAI NOSSO
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA
BÊNÇÃO
Que Deus os abençoe e guarde. Que Ele os guarde dos caminhos do mal, das trevas e da morte. Que Deus os proteja de todos os danos e perigos. Em nome de Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.


ENVIO
Agora, caminhamos nos caminhos da paz, na graça do Espírito Santo de Deus, cientes do nosso compromisso cristão de ensinar e viver por fé, na graça de Deus, na perspectiva do Reino de Deus que, em Jesus Cristo. Enquanto caminhamos, vamos dizer ao mundo todo que o Deus é bom, justo e, através do perdão, mediante confissão, faz acontecer vida e salvação. Amém.

CANTO FINAL

HINO: HPD 2, Nº 321 – vento que anima


Autor(a): P. Teobaldo Witter
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo da Páscoa
Natureza do Domingo: Quaresma
Perfil do Domingo: 1º Domingo na Quaresma
Testamento: Novo / Livro: Romanos / Capitulo: 5 / Versículo Inicial: 12 / Versículo Final: 19
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2017
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 40735
REDE DE RECURSOS
+
Arrisco e coloco a minha confiança somente no único Deus, invisível e incompreensível, o que criou o céu e a terra.
Martim Lutero
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br