Que DEUS é esse que VEM?

Deus que VEM até anós!

02/04/2017

QUE DEUS É ESSE QUE VEM?

 

INTRODUÇÃO

Conta-se a história bíblica de Atos 17, que certa vez Paulo adentrou em terras alheias para criar um novo ponto de Pregação. O local, nada mais, nada menos que a cidade berço da cultura ocidental: Atenas - Grécia. Lá o apóstolo dos gentios dialogou com filósofos de seu tempo que trataram a mensagem do evangelho como um “deus estranho”, Porém, Paulo revelou sua identidade. O Deus Desconhecido para os gregos se faz conhecido em Cristo. Um Deus que se faz um ser humano, morre em uma cruz e ressuscita. Uma linguagem um tanto estranha para aquela época. Um tanto louca para aquele tempo.
Mas, não continuaria sendo ainda hoje? Não é estranho falar de um Deus todo-poderoso que resolve se fazer fraco e humano? Que morre para trazer vida? Que lógica há nisso?
Afinal, Que Deus é esse?

Que Deus é esse que celebramos no tempo de quaresma, paixão e Páscoa?
Que Deus é esse que é enviado ao mundo como Messias, que entra história do mundo para ser Senhor, sofre em favor do ser humano para trazer Salvação e VIVO está para nos dar esperança?
Que Deus é esse?

Esse, conforme dizem as Escrituras Sagradas, é o Deus que VEM!
Eis aqui o primeiro aspecto que precisamos reconhecer para entender quem Deus é!

DEUS que se movimenta!

O Deus que cremos não é um Deus que fica estático em seu trono, mas está sempre em movimento, sempre agindo, sempre ativo. E isso ele faz de forma significativa e reveladora na pessoa de Jesus, o Filho único do Pai e que age no poder do Espírito Santo.
Se observarmos bem a história de Jesus, encontraremos Nele o Deus verdadeiro. O Deus que atua, tal como o verbo, como palavra poderosa neste mundo.
Mas ele não age a distância via wifi, como realidade virtual. Ele faz questão de agir na realidade humana usando seu fio condutor: Jesus Cristo.
No Filho unigênito, vemos Deus atuando pessoalmente na história do mundo.
Por falar nisso, esse Deus que VEM é um Deus mundano! (expressão baseda em Bonhoeffer e cunhada por P. Alberi Neumann)

Deixe-me explicar, melhor
Jesus é o Deus mundano, não no sentido pejorativo (aquele desagradável ou depreciativo que conhecemos), mas no sentido característico de quem vive a realidade desse mundo na carne.
Deu pra entender? Não? Complicado essa linguagem?
Talvez é porque só enxergamos um lado da moeda quando falamos sobre o “MUNDO”

DEUS no mundo 

Sempre que falamos em algo “mundano”, pensamos em coisas que não combinam com Deus. Até mesmo nos dicionários, o antônimo de “mundando” é sempre algo “espiritual”, “celeste”, “divino”.
E de fato, é isso tem haver.
O mundo na Bíblia, ou as coisas do Mundo, não são espirituais. Não estamos aqui falando da “terra habitada” ( Oikomene – lugar comum da habitação do ser humano e de toda Criação).
Estamos aqui falando do KÓSMOS (em grego), que trata da própria criação em si, do Universo, de tudo o que é terreno neste mundo. Do “céu e da terra”, como diziam os hebreus.
E de fato, para a Bíblia não há nada de divino nele e nada nele que possa ajudar o ser humano a encontrar-se com Deus. Além disso, diversos textos do NT apontam para essa dicotomia entre Deus e o Mundo ou vida com Deus e vida mundana.

Vejamos a perspectiva contrária
• Jesus mesmo foi tentado pelo diabo para ter o domínio sobre os reinos do mundo em troca da quebra do 1º mandamento (Mateus 4.8s).
• Quanto a isso, Jesus diz em João 12.31 que o diabo é o “príncipe deste mundo” o qual precisa ser expulso pelo juízo do próprio mundo.
• Em outra passagem (Mt 13.) Jesus fala que o mundo, com suas seduções são como espinhos que sufocam a semente do evangelho, fazendo com que a Palavra de Deus não possa produzir seus frutos;
• Jesus também fala do “fim deste mundo”, como o fim de uma era dominada pelo diabo (Mt 13) e mostra que de nada vele conquistar o mundo inteiro e perder a alma (Mt 16.26).
• Em outro texto Jesus declara: “Ai do mundo, por causa dos tropeços” (Mt 18.7)
• Em outro, ele diz, “o mundo odeia a mim, porquanto dele eu testifico que suas obras são más” (João 7.7).
• No mesmo contexto, Jesus diz que o mundo não pode receber o Espírito da Verdade (Jo 14.17);
• Por isso, talvez, João Batista lembra seus ouvintes que Jesus é o Cordeiro de Deus que tira o “pecado do mundo”. (João 1.29);
• Por isso, talvez, Jesus diz que a paz que ele dá não é como a paz do mundo (Jo 14.31);
• E ainda, que nós que seguimos a Cristo, não somos do mundo, mas fomos escolhido do mundo e por isso o mundo nos odeia (João 15.19).
• Talvez por isso: Paulo seja enfático ao dizer em Romanos 12: “Não vos conformeis com este mundo”.

Porém, há uma OUTRA PERSPECTIVA, na relação de Deus com o Mundo. O fato de o mundo ser descrito como um conceito contrário a vontade de Deus e do próprio evangelho, isso não significa que este mundo deixou de ser cuidado, preservado e amado por Deus. Pelo contrário, o mundo é o alvo do amor de Deus e de seu evangelho. E, tb o local de nossa atuação como pessoas cristãs.
• Na parábola do Joio e do Trigo, Jesus fala que tanto um quanto o outro estão plantados no mesmo “mundo” – o campo é o mundo, diz Jesus (Mt 13)
• Em Mt 24, ao falar sobre as coisas do fim, Jesus profetiza de que o “evangelho será pregado no mundo inteiro e não fora dele”
• Logo depois, em Mt 26.13, vemos que a fundação do mundo é obra do próprio Deus.
• Tanto é obra de Deus que o apóstolo João diz que: Deus amou mundo ao ponto de enviar Jesus para dentro desse mundo e viver a total mundanidade na carne (isso que significa o verbo se fez carne e habitou entre nós) – João 1 e João 3.
• Cristo mesmo se autodenomina o “pão vivo que desce do céu. E que este pão é sua própria carne em favor do mundo”.
• Por fim, Jesus chama seus discípulos a serem “luz do mundo”(Mateus 5.14), refletindo a própria Luz de Cristo, o qual é a luz deste mundo.
Ou seja, comparando todos estes textos, tendo em vista as duas perspectivas, podemos entender o que eu falo em uma ação mundana ou Deus mundano.
Não se trata de ser ou agir como uma pessoa do mundo, mas de ser e agir como Deus no mundo, na carne, vindo a realidade mundana, sem se contaminar por este mundo.
Como diz o autor de Hebreus:
• “antes, foi Jesus tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado” (Hb 4:15).
• Mais adiante é dito que Cristo é nosso sumo sacerdote “santo, inculpável, sem mácula, separado dos pecadores” (Hebreus 7:26).

Afinal, como Deus poderia revelar seu verdadeiro amor incondicional a este mundo pecador, corrupto, sedutor, diabólico e cheio de mazelas? Vindo ao mundo, entrando na história do mundo, revelando ao mundo seu graça, vivendo na carne deste mundo, para salvar este mundo, resgatá0lo do mal, criar novos céus e nova terra, transformar e restaurar este mundo que geme suas dores, transformar e resgatar o meu mundo o seu mundo.

Talvez essa seja também a nossa ação mais missionária e evangélica que temos para realizar neste mundo: Agir no mundo como Cristo agir, sem sermos do mundo como Cristo não foi.
Eis uma ação bem mundana e bem espiritual ao mesmo tempo. Muito mais espiritual do que cantar louvores dentro das 4 paredes de nossas casas e igrejas. Muito mais do que dizer, você precisa de Cristo, mas venha até aqui pois eu não quero me contaminar ido até você.
Não foi isso que Cristo fez e nem ensinou aos seus discípulos.

Deus que VEM!

No texto do evangelho de João, lemos que Deus amou o mundo de tal maneira, que enviou Jesus a este mundo.
O Deus da Bíblia não é um Deus isolacionista, mas, como diz Filipenses 2, é um Deus que se esvazia por nós, deixa seu trono celeste para pisar neste mundo onde eu você estamos. Ele se faz ser humano. Tudo isso, por amor. Tudo isso para que nós pudéssemos ter vida e esperança enquanto estamos neste mundo e para fazer a diferença neste mundo.
Tal como profetizou Isaias 49 e declarou o evangelista João 3.18, Jesus não veio para condenar este mundo, mas para salvá-lo e redimí-lo no tempo favorável, “pois o Senhor consola o seu povo e terá compaixão de seus afligidos” (Isaías 49.13)

APLICAÇÃO

Talvez aqui, precisamos parar e nos perguntar.
Mas o que eu preciso fazer para encontrar esse Deus que Vem até mim? Como posso me libertar das agarras desse mundo. Deixar o mundanismo de lado e ser uma agente mundano do evangelho? Como estar no mundo sem ser do mundo.
João responde: é preciso crer que Jesus Cristo é de fato a revelação plena, completa e total de Deus. Que Jesus é ESSE DEUS QUE VEM....para nos salvar de nós mesmos e nos resgatar das trevas do mundo. Que Jesus é ESSE DEUS QUE VEM... para iluminar o mundo e ser Deus conosco e que conosco permanece em meio ao mundo.
Crer em Jesus é sair da escuridão e se aproximar da luz (João 3.19-20). E deixar-se ser envolvido pelo amor redentor do Filho único de Deus.

Sim, em Jesus Deus vem ao mundo;
ANDA NO MUNDO;
Se deixa batizar, identificando-se assim, com o pecado mundo,
Ele é tentado neste mundo;
Ultrajado
Humilhado;
Morto;
Sepultado;
Para que por meio de sua ressurreição, pudesse nos dar esperança em meio ao mundo e para além deste mundo.

Que Deus é esse que celebramos na Quaresma, Paixão e Páscoa?

Por mais estranho que possa ser, esse Deus Triúno que se faz conhecido em Cristo - Uma louca e poderosa mensagem cristã....

Esse é o Deus que VEM...o Deus que vem até mim e até você... e se oferece para ser Senhor e Salvador de sua Vida. Para dar sentido a sua vida neste mundo e para além deste mundo!

Amém,
 


Autor(a): P. Marcus David Ziemann
Âmbito: IECLB / Sinodo: Sudeste / Paróquia: Vale do Paraíba (São José dos Campos-SP)
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo da Páscoa
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Testamento: Novo / Livro: João / Capitulo: 3 / Versículo Inicial: 16 / Versículo Final: 22
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 41844
REDE DE RECURSOS
+
Assim como o fogo sempre produz calor e fumaça, também a fé sempre vem acompanhada do amor.
Martim Lutero
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br