O que Deus espera de nós?

O que ser bem-aventurado?

27/01/2017

Mateus 5.1-12 e Miqueias 6.1-8

Bem-aventurado (FELIZ) – é sinônimo de abençoado. Abençoado é aquela pessoa que é cuidada, amada, estimada.
Mas aqui o Evangelho diz algo estranho: Feliz é quem é pobre, quem é faminto, quem é injustiçado, quem é perseguido. O senso comum nos impele a buscar a felicidade na riqueza, no prestígio, no sucesso, no triunfo e subjugando a todos ao nosso redor. O que de bom em ser pobre, estar com fome, ser perseguido e injustiçado?

Jesus não quer enaltecer o sofrimento. Aliás, Deus não deseja o sofrimento de ninguém. As bem-aventuranças não querem enaltecer as dificuldades. Elas não querem dizer que ser pobre é bom, que passar fome é algo legal. As bem-aventuranças nos querem dizer que feliz é aquela pessoa que nas suas dificuldades sabe que Deus continua do seu lado. Que sabe que no seu sofrimento, ela não é uma pessoa que foi abandonada por Deus.

Todos nós passamos por momentos bons e por momentos difíceis na vida, não é mesmo? Feliz, bem-aventurado, é aquela pessoa que entendeu como é a vida e encontra a força de Deus para suportar e superar os momentos ruins.

Só aquelas pessoas que se despem de toda presunção e arrogância, se destituem de todo autoritarismo, só os que se esvaziam de prepotências, sim, só os que se colocam nas mãos de Deus é que recebem o dom da bem-aventurança, somente eles encontram a paz.

O outro texto que ouvimos nesse culto veio do profeta Miquéias, que traz uma reclamação de Deus. O texto diz que Deus está preocupado. Ele diz que tem cuidado do povo de Israel. Tem acompanhado esse provo, tem protegido esse povo, tem defendido esse povo de muitos inimigos que eram muito mais fortes do que eles. Mas – apesar disso – esse povo de Israel, ao invés de demonstrar gratidão e humildade diante da bondade (do cuidado) de Deus, eles se tornaram arrogantes, prepotentes, preconceituosos. Eles se adonaram de Deus – fizeram desse Deus alguém que deve atender apenas seus próprios interesses e por isso até estabeleceram leis que exigem sacrifícios de sangue no templo. Para o antigo testamento, a maldade humana somente se limpava com sangue. Por isso, o templo era um grande matadouro, um abatedouro, de onde corria muito sangue de ovelhas, carneiros, bois, pombas. A concepção era mais ou menos assim: Você pode fazer qualquer coisa, contanto que depois você ofereça o sangue de algum animal em sacrifício a Deus e então serás perdoado.

E nesse texto do profeta Miquéias, Deus pergunta: Onde foi que eu errei? Será que eu fui exigente demais com esse povo? Será que exigi sacrifícios demais dessas pessoas, ao ponto de elas construírem um templo para exigir sacrifício de sangue, como se o sangue, o sacrifício, o sofrimento agradasse a Deus?

Não – diz Deus. Essas coisas não lhe agradam. O que agrada a Deus está em Mq 6.8:
“O Senhor já nos mostrou o que é bom, ele já disse o que exige de nós. O que ele quer é que façamos o que é direito, que amemos uns aos outros com dedicação e que vivamos em humilde obediência ao nosso Deus.”
Deus não se alegra e nem exige o sofrimento de ninguém.

O que DEUS quer das pessoas? Deus mesmo diz: (Mq 6.8)
Ele quer é que façamos o que é direito, que amemos uns aos outros com dedicação e que vivamos em humilde obediência ao nosso Deus.

O que significa atualizar essa mensagem para os dias de hoje?
Primeiro: você se sente uma pessoa bem-aventurada? Ou seja, nos momentos difíceis da tua vida, você sente que Deus está com você? E veja bem, dizer que Deus está do meu lado, não significa que ele está me dando a razão contra alguém. Se pensamos assim, cometemos o mesmo erro do Antigo Testamento: transformamos Deus em alguém que deve estar à serviço dos nossos próprios interesses. Também as pessoas cristãs cometem erros, elas também são injustas.

Tem pessoas que cometem grandes erros – em nome de Deus – dizendo que Deus está do lado delas, porque o lado delas é o único lado certo. Devemos aprender que tudo na vida tem pelo menos dois lados certos: o meu lado certo e o teu lado certo.

Por isso, aquela pessoa que se veste de arrogância e ordena a Deus, determina em nome de Deus que se faça isso ou aquilo, na verdade essas pessoas está pecando contra Deus. E assim como no profeta Miqueias, Deus então se pergunta: O que eu fiz de errado para que as pessoas atuem dessa maneira?

Se perguntamos o que Deus espera de nós hoje, penso que o que Deus nos pede - todos os dias - é que despoluamos a nossa mente de tantos pensamentos e mensagens de ódio que circulam pelas redes sociais e pelos noticiários da televisão. Que os nossos passos não sujem os caminhos de lama, deixando para os outros um rastro de tristeza e desalento. Que nosso humor não se deixe intoxicar de raiva e de arrogância. Que o nosso temperamento não entre em ebulição com tanta frequência e expila tanta fuligem pelas chaminés de nossa intolerância. Que tenhamos cuidado para não ser massa de manobra de políticos e pessoas que só falam em crise e sacrifícios para os outros, mas que não são capazes de renunciar a seus muitos privilégios e altos salários. Cada vez que vejo esse governo falar em crise da previdência, vejo que esse que fala já está aposentado e sua aposentadoria passa de 20mil reais por mês. E é pelos salários altos assim, é que a previdência está em crise. É necessária uma reforma da previdência, que abaixe os salários milionários, não a reforma que afeta somente os que vão ganhar 1,2 ou 7 salários mínimo. Se queremos agradar a Deus, se queremos ter mais paz em nossa vida, então deviamos livrar-nos de tantos lixos acumulados na internet.

Ao invés de se deixar usar como soldados que retransmitem o ódio daqueles que nem conhecemos, - não seria melhor que cuidássemos de nós mesmos?, do nosso ambiente?, investindo em nossa qualidade de vida?, purificando o espaço em que transitamos?

Todos nós somos seres frágeis. Somos todos feitos de barro e sopro. Somos todos como finos copos de cristal que se quebram ao menor atrito, com uma palavra descuidada, um gesto que machuca, uma desconfiança que perdura.

Cuidemos primeiro de nós mesmos. Digamos não a tantos pensamentos e postagens de prepotência, de superioridade, de preconceito contra os outros. Deus espera que cada um de nós exerça a tolerância e o perdão, sem jamais sacrificar o respeito e a justiça.

Guardemos este ensinamento: Deus, quer que façamos o que é direito, que amemos uns aos outros com dedicação e que vivamos em humilde obediência ao nosso Deus. Amém.
 


Autor(a): Nilton Giese
Âmbito: IECLB / Sinodo: Sudeste / Paróquia: Belo Horizonte (MG)
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Testamento: Antigo / Livro: Miqueias / Capitulo: 6 / Versículo Inicial: 1 / Versículo Final: 8
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 41028
REDE DE RECURSOS
+
Eu anunciarei a tua fidelidade e te louvarei o dia inteiro.
Salmo 35.28
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br