Liturgia para celebração de Finados

27/10/2017

LITURGIA PARA CELEBRAÇÃO DE FINADOS

(NO CEMITÉRIO)

ACOLHIDA

“Eu, um pobre sofredor, gritei; o Senhor me ouviu e me livrou das minhas aflições. O anjo do Senhor fica em volta daqueles que o temem e os protege do perigo.” Salmo 34. 6-7
Com essas palavras do Rei Davi, queremos saudar cada um e cada uma de vocês que veio celebrar dia de Finados. Hoje nos reunimos nesse cemitério para lembrar e orar por nosso entes queridos. Que em meio a tristeza e a saudade, possamos encontrar, na graça e no amor de nosso Senhor Deus, o conforto necessário para acalmar o coração entristecido e continuar nossa vida com a fé firme em Cristo Jesus, o nosso Redentor

HINO: HPD 174- POR TUA MÃO ME GUIA

INVOCAÇÃO

P: Nos reunimos neste dia frente ao tumulo de nosso familiares e amigos, confiantes na ressurreição, em nome do Trino Deus.
C: Amém. Ele é o Deus dos vivos e não dos mortos
P: Em nome do Pai,
C: Ele é o Senhor Criador e mantenedor da vida.
P: Em nome do Filho, Jesus Cristo,
C: Ele que é a certeza da ressurreição e da vida eterna
P: Em nome do Espírito Santo,
C: Ele é quem nos consola, anima e fortalece na fé. Assim nós cremos. Amém.

ORAÇÃO

Bondoso Deus, graças te damos pois aqui estamos reunidos em teu nome para lembrar de pessoas queridas que já nos deixaram. Gratos te somos pelo consolo que vem de ti, pela força que nos impulsiona a seguir em frente. Pelo teu amor e cuidado a nós revelados em Cristo Jesus. Te pedimos, cuida de nós e renova a cada dia nossa fé e esperança, pois Tu tiraste o poder da morte e nos deste a ressurreição de Cristo Jesus. Dá que confiemos, para que possamos olhar além do túmulo vazio, afim de que nossos corações percebam o que nossos olhos não podem ver e o que nossa mãos não podem tocar. Envia teus anjos para anunciarem a boa nova da salvação por Cristo Jesus. Por ele é que oramos, nosso Senhor, que vive e reina de eternidade a eternidade. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

A palavra de Deus é fonte de vida e esperança, por isso cantamos:

HINO: HPD 380- Pela palavra de Deus

LEITURA BÍBLICA EM RESPONSÓRIO

Salmo 121.1- Salmo 90.1-2- Isaías 26.19
P: Olho para os montes e me pergunto: de onde virá o meu socorro?
C: O meu socorro vem do Deus Eterno, que fez o céu e a terra.
P: Senhor, tu sempre tens sido o nosso refúgio.
C: Antes que os montes existissem.
P: E antes de começares a criar o mundo.
C: Tu és Deus eternamente, sem começo nem fim.
P: Nós vivemos uns setenta anos, e os mais fortes chegam aos oitenta.
C: Mas esses anos só trazem canseiras e aflições.
P: A vida passa logo, e nós desaparecemos.
C: Os nossos mortos voltarão a viver; os seus corpos ressuscitarão,
P: Os que estão no mundo dos mortos acordarão e cantarão de alegria.
C: Como o orvalho que tu envias dá vida, assim de dentro da terra os mortos sairão vivos.
P: Ensina-nos a usar bem os dias da nossa vida para que nos tornemos sábios.
HINO: HPD 243- Ó SENHOR DOS ALTOS CÉUS
REFLEXÃO: João 11. 1-5, 17-21
Hoje estamos celebrando o dia de finados. É um momento em que recordamos aquelas pessoas que não estão mais entre nós, na comunhão terrena. Ver a morte chegar, para familiares, amigos e até pessoas conhecidas, nos faz perceber que passar por ela é a maior certeza que podemos ter em nossa vida. A morte marca o fim de uma vida , e chega de muitas maneiras: envelhecimento, enfermidade, fatalidade e, em alguns casos, até pó decisão própria. Em algumas situações ela traz descanso depois de muito tempo de sofrimento e dor. Em outras, deixa marcas profundas, acompanhadas de dor e desespero. Cada pessoa experimenta a morte de uma forma diferente, de acordo com o momento em que ela acontece e o momento que cada um vive.
Mas é preciso lembrarmos que, para quem crê em Cristo a morte pode ser uma oportunidade para experimentar e viver o amor. esse sim é capaz de superar e amenizar toda a dor. Existe um ditado que diz: “o amor é forte como a morte.” Somente o amor é capaz de concorrer com a morte porque ele é um sentimento e um compromisso que permanece mesmo mesmo que todas as outras coisas já tenham tido fim como vemos nos escritos de Paulo em 1 Co 13.8: “o amor é eterno.”
É desse amor que Jesus fala, é esse amor que Jesus demonstra no contexto da história sobre a ressurreição de Lázaro. Percebam o amor de Jesus por Maria, Marta e também por Lázaro. É esse amor que fez com que Jesus chorasse. É esse amor que comove Jesus e as pessoas que estão ali percebem essa demonstração de amor porque dizem: “Vejam como ele amava Lázaro.”
Jesus também ressuscita o filha da viúva de Nain, conforme Lucas 7, e a filha de Jairo, conforme Marcos5. Essas duas situações também demonstram o grande amor que ele tem com quem vive a realidade da morte. Marta e Maria experimentam a solidariedade de Jesus que também nós sentimentos quando nos deparamos com a perda.
Marta acredita que Lázaro irá ressuscitar no dia do juízo final com todas as demais pessoas e não que Jesus fosse fazê-lo viver novamente depois de quatro dias de sepultamento. Os primeiros cristãos entendiam que a morte era como um sono profundo. Isso é diferente de achar que com a morte tudo termina. Se a morte é um sono, então haverá, depois dela, um despertar. A ressurreição de Jesus na Páscoa e o amor de Deus a todas as suas criaturas são os maiores motivos para crermos e esperar pela nossa ressurreição.
Mesmo que hoje não tenhamos o poder de ressuscitar pessoas falecidas da morte, mas podemos ressuscitar as pessoas enlutadas da sua dor, sua angústia diante dessa situação. O amor e o cuidado cristão são demonstrados em cada palavra, gesto e lágrima capaz de fazer com que as pessoas enlutadas experimentem a possibilidade de vida numa perspectiva comunitária. Assim não estarão sozinhas e desamparadas.
A vida sempre é um presente de Deus. O profeta Isaías 25.1 assim se expressa: Ó Senhor, tu és o meu Deus; exaltar-te-ei a ti e louvarei o teu nome, porque tens feito maravilhas e tens executado os teus conselhos antigos, fieis e verdadeiros. Entendo como um aprendizado cotidiano louvar a Deus pela graça de aprender a viver cada dia, buscando um mundo de justiça e paz. Creio que o grande desafio que temos como cristão e cristãs, em especial quando nos reunimos pra refletir sobre a morte é: aprender a viver. Quem aprende a viver também encara a morte com outros olhos. Lógico que quando o assunto é morte temos muitas perguntas e medo, pois ela foge do nosso controle. No entanto, ela atinge a todos e todas nós. Aprender a conviver com esta realidade é um processo que nos ensina também a viver.
Como pessoas cristãs, precisamos sempre de novo aprender a viver a partir da dimensão da eternidade. Quando aprendemos a viver a partir da eternidade, passamos também a entender a vida como pura graça de Deus. Assim como o apóstolo Paulo expressa em Romanos 8.38-39: Porque eu estou bem certo que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as cousas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor. Nesta certeza, oramos pelo consolo de todas as pessoas enlutadas, entristecidas e afirmamos a certeza de que a Vida tem a última palavra e não a morte, portanto nada poderá nos separar do amor de Jesus Cristo. Amém.

CREDO APOSTÓLICO

HINO: HPD 161- Em nada ponho a minha fé

ORAÇÃO DA IGREJA

Deus da vida, te agradecemos pela ressurreição de Jesus Cristo, por meio de quem Tu nos oferece a possibilidade de “passarmos da morte para vida.” Agradecemos pela vida que tu nos dá, por cada oportunidade de viver o teu amor por nós. Diante de Ti queremos interceder: pelas pessoas enlutadas que perderam alguém e que ainda choram a dor da perda e da saudade. Que tenhamos sabedoria para entender a tua vontade e sermos instrumentos de consolo, animo e paz para animarmos e encorajarmos quem ainda sofre com a dor e a saudade. Ajuda-nos a guardar as boas lembranças daqueles que já foram e que sigamos seus bons exemplos de fé e vida. Que teu amor continue sobre nós e o teu Santo Espírito nos ilumine para valorizarmos cada momento de nossa vida que é presente das tuas mãos. Por Cristo Jesus oramos. Amem.

LEITURA DOS FALECIMENTOS DO ULTIMO ANO

Confiantes na infinita misericórdia de Deus, queremos lembrar, agora, daqueles irmãos e irmãs que, no decorrer deste ano, foram chamados de nosso convívio para a eternidade. Enquanto lembramos desses nomes, queremos silenciosamente interceder diante de Deus pelos familiares enlutados.

PAI NOSSO

Nas mão de Deus entregamos as nossas intercessões, confiando a Ele as nossas vidas. Por isso queremos unir nossas vozes e orar a oração que Cristo nos ensinou: Pai Nosso...

BENÇÃO

Que a benção do amor e da misericórdia. Que a benção do consolo e da paz. Que a benção da esperança e da confiança venha sobre vocês. que a proteção do nosso Deus acompanhe vocês hoje e sempre. Assim vos abençoe o Trino Deus: Pai, filho e Espírito Santo. Amém.

ENVIO

Vão na paz do Senhor e sirvam a Ele com esperança, gratidão e fé


Autor(a): Pa. Anelise Knüppe
Âmbito: IECLB / Sinodo: Amazônia
Natureza do Domingo: Dia de Finados

Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 44471
REDE DE RECURSOS
+
A Palavra de Deus é a única luz na escuridão desta vida. É Palavra da vida, de consolo e da toda bem-aventurança.
Martim Lutero
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br