João 8.31-36 - Dia da Reforma - 31/10/2018

Caderno de Cultos 2018

03/08/2018

31/10/2018 - Dia da Reforma
Pregação: João 8.31-36; Leituras: Jr 31. 31-34; Rm 3.19-28.
Deolindo Feltz – Cuiabá - MT

LITURGIA DE ABERTURA
ACOLHIDA
Bom dia/Boa Noite!
“Pois pela graça de Deus vocês são salvos por meio da fé. Isso não vem de vocês, mas é um presente dado por Deus. A salvação não é o resultado dos esforços de vocês; portanto, ninguém pode se orgulhar de tê-la”.
Com estas palavras de Efésios 2.8-9 acolho e saúdo todos e todas vocês neste dia 31 de outubro, dia em que comemoramos 501 anos de Reforma Luterana. Sejam muito bem-vindos e bem-vindas!

Acolher os/as visitantes

CANTO DE ENTRADA
Nº 481 – Livro de Canto da IECLB – Deus é castelo forte e bom...

SAUDAÇÃO
(Podem ser lidas as palavras das senhas previstas para o dia, ou as palavras que seguem):
“E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”. É nesta esperança que invocamos a presença do Trino Deus que é Pai, Filho e Espírito Santo. Amém!

CANTOS DE INVOCAÇÃO
Nº 03 – Livro de Canto da IECLB – Deus Triúno...
Ou ________
CONFISSÃO DE PECADOS
Lembremos da Palavra de Deus que nos diz: “Se dissermos que não temos pecado nenhum, enganamos a nós mesmos e a verdade não está em nós. Se, porém, confessarmos os nossos pecados, Deus é fiel e justo, e nos perdoará os nossos pecados e nos purificará de toda a injustiça”.
Confiantes nesta promessa, voltemo-nos em fé ao nosso Senhor e confessemos os nossos pecados proferindo em conjunto as palavras de uma oração de confissão de pecados de Martin Lutero:

Todos: Deus Todo-poderoso, Pai misericordioso. Eu, pessoa pobre, miserável e pecadora, confesso-te todos os meus pecados e injustiças que cometi em pensamentos, palavras e ações. Com eles, em algum momento, causei a tua ira, merecendo o teu castigo nesta vida e na eternidade. Todos esses pecados pesam em minha consciência e me arrependo deles profundamente. Peço-te, por causa da tua misericórdia infinita e da inocente e amarga paixão e morte de teu filho Jesus cristo: tem misericórdia de mim, pobre pessoa pecadora. Perdoa-me todos os meus pecados. Concede-me a força do teu Espírito Santo para melhorar a minha vida. Amém.

ANÚNCIO DO PERDÃO
“Pois pela morte de Cristo na cruz, nós somos libertados, isto é, os nossos pecados são perdoados” (Romanos 5.9-10). Perdão e liberdade em Cristo é o que vos anuncio em nome do Pai, Filho e Espírito Santo.

KYRIE
Nossa mente, nosso coração, nossas palavras, nossos pensamentos e nossos sentimentos devem estar voltados para além daquilo e daqueles que estão à nossa volta. O mundo distante também geme e sofre por causa de suas dores. Estando distantes, muitas dessas dores, nós, com nossas próprias mãos, não podemos aliviar... mas, Deus pode. A nós cabe clamar a Deus para que Ele mesmo olhe por estas dores e as alivie. Assim, como comunidade cristã, clamamos a Deus cantando:

Hino Nº 56 – Livro de Canto da IECLB - Pelas dores deste mundo...
Ou _______________
GLÓRIA IN EXCELSIS
Mesmo diante de um mundo que passa por muitas dores não deixa de ser um mundo onde momentos, ações e situações boas também acontecem. Acima de tudo Deus é um Deus de amor, de compaixão, de ajuda. Por mais que às vezes O sentimos distante, Deus não se esqueceu deste mundo e continua mandando seus bons sinais na terra e na nossa vida. É bem por isso que podemos e devemos, além de clamar, dar glórias a Deus. Façamos isso cantando:

Hino Nº 73 – Livro de Canto da IECLB – Ontem, hoje e para sempre...
Ou _____________
ORAÇÃO DO DIA
Amado Deus Criador! Nós te louvamos e agradecemos por podermos estar reunidos para celebrar este Dia da Reforma. Agradecemos por teu servo Martim Lutero o qual recolocou a Igreja nos trilhos do Evangelho, mostrando que somos salvos por graça mediante a fé em nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Nós te pedimos: Dá-nos a certeza de que és “Deus conosco” ao nos falares através da tua palavra, abrindo nossos corações e nossas mentes para aceitarmos a tua verdade e integrá-la em nossa vida. Por Jesus Cristo, nosso Senhor, que contigo e o Espírito Santo, vive e reina para sempre.

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: Jeremias 31.31-34

2ª Leitura Bíblica: Romanos 3. 19-28

3ª Leitura Bíblica: João 8. 31-36

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO

Hino Nº 90 – Livro de Canto da IECLB – Pelos prados e campinas...
Ou _____________
PREGAÇÃO
Que a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam com todos e todas vocês! Amém!
Conta-se que um rei tinha cinco filhos e morava num lindo castelo. No entanto, esse castelo ficava muito próximo a um rio bem perigoso e violento. O rei sempre pedia a seus filhos para que nunca brincassem perto do rio, mas eles estavam fascinados por ele e prontos para desapontar o pai.
Certo dia os quatro filhos mais novos construíram uma pequena jangada e decidiram navegar o rio. Num primeiro momento deu tudo certo, mas a correnteza forte os arrastou rio abaixo, e eles não podiam mais controlar a pequena jangada. Os quatro filhos do rei foram arrastados por muitos quilômetros e quando conseguiram parar a jangada já estavam numa terra distante e desconhecida. Eles estavam totalmente perdidos.
No início eles ficaram assustados e com muito medo. Afinal, mesmo não tendo se afogado no rio não podiam facilmente voltar para casa. Então, para não entrarem em desespero, enquanto esperavam o pai os encontrar, eles decidiram que todas as noites iriam acender uma fogueira, se sentar ao redor dela, e relembrar as coisas boas que tinham no castelo – família, comida, cama boa. E assim o fizeram.
Depois de vários dias, já cansado de esperar e nada do pai vir, um dos filhos desistiu. Resolveu se virar sozinho. Construiu uma casa de palha e simplesmente passou a viver como selvagem. Decidiu esquecer o pai, o castelo, a vida boa. E também esqueceu que ele havia desobedecido ao pai por entrar no rio e que precisava de perdão.
Um segundo irmão não desistiu de esperar o pai, mas resolveu dedicar parte do seu tempo cuidando do outro irmão que havia desistido, aquele que construiu a casinha de palha. Ele passava grande parte de seu tempo em cima de alguma árvore ou mesmo em cima de um morro apenas observando o irmão desistente. Ele cuidava de cada detalhe que seu irmão fazia. Mas, a sua intenção era contar tudo que o seu irmão fazia para o seu pai quando eles voltassem. Na sua cabeça estava a ideia de que se ele contasse ao pai como o seu irmão era mal e desobediente, ao ponto de desistir da própria casa, o pai ficaria menos furioso com ele e ficaria mais furioso com o outro irmão. Assim, mostrando ao pai o quanto o outro filho é pecador, ele se considerava melhor do que ele, não precisando tanto assim de perdão.
Um terceiro irmão também desistiu de esperar pelo pai, mas não assumiu uma vida selvagem na terra estranha como o primeiro irmão. Cansado de esperar, ele mesmo resolveu fazer um caminho para voltar para casa. Foi até o rio e começou a amontoar pedras. Ele queria construir uma estrada rio acima com estas pedras. Seu pensamento era: pedra sobre pedra eu chegarei em casa. Meu pai vai se orgulhar do meu trabalho e esforço e vai me perdoar.
O quarto e último irmão continuou simplesmente esperando. Todas as noites ele se sentava em volta da fogueira, lembrava-se da casa do pai e em seu coração estava a certeza de que ele e seus irmão seriam encontrados. Para ele estava claro que eles não conseguiriam voltar para casa sozinhos, e que eles precisavam de ajuda.
Depois de muitos dias perdidos, eis que o irmão mais velho, o quinto irmão que havia ficado em casa, os encontrou. A surpresa?
O primeiro irmão, o da casinha de palha, disse que estava bem e que não precisava mais voltar para casa, muito menos do perdão do pai. O segundo irmão, o dedo duro, chamou o irmão mais velho para um canto e começou a contar tudo o que o outro irmão da casinha de palha fazia, com intenção de amenizar a mágoa do pai sobre ele. O terceiro irmão estava dentro do rio carregando pedras. Levantou a cabeça só por um instante e disse para o irmão mais velho que ele voltaria sozinho pelo caminho de pedras. Vou mostrar ao meu pai que mereço o perdão dele pelo meu esforço de voltar sozinho. Já o quarto irmão, simplesmente se jogou nos braços do irmão mais velho e disse: “Que bom que você veio! Agora posso voltar para casa. Espero que nosso pai me perdoe, pois sou um pecador”.
Esta é uma lenda muito antiga que consegue mostrar exatamente a nossa condição atual como ser humano e nos ajuda a entender a mensagem da Reforma.
De certa forma, o pecado é um rio perigoso e violento. Nós sabemos disso. Nós sabemos que podemos ter problemas se entrarmos nesse rio. Deus, o pai, sempre pede para que nós não entremos. Porém, esse rio, como com os filhos do rei, nos fascina. É um rio muito tentador. É muito difícil não pular dentro e deixar ser levado por ele. Por isso mesmo é que todos nós estamos dentro dele.
É possível que, dentro do rio, alguns estejam mais perto de casa, outros mais longe; pode ser que alguns estejam agarrados a um barranco, outros no meio do rio sem nada para se agarrar; pode ser que alguns estejam numa parte rasa do rio, enquanto outros estão bem no fundo. Verdade é que, de um jeito ou de outro, todos estamos dentro deste rio que nos leva para longe de casa, para longe do castelo, para longe do pai, para longe de Deus.
Certo dia um irmão mais velho resolve nos buscar, nos salvar. É sacrificado numa cruz para nos tirar desse rio e nos levar de volta para casa. E quando nos encontra, como na lenda, também vem uma surpresa.
Alguns, lembrando o irmão da casinha de palha, vão dizer que não querem mais voltar para casa, que não querem ser salvos, e que dentro do rio e longe de Deus estão bem. Alguns outros, lembrando o irmão dedo duro, tentam puxar Jesus para um canto para dizer o quanto que os outros, e não eles, são maus. Alguns também lembrarão o irmão que construía o caminho de pedras rio acima, indicando que querem e podem sair do rio e voltar para casa por esforço próprio, sozinhos, sem o irmão mais velho, sem Jesus. Esquecem que “Eu sou o caminho, a verdade, e a vida...ninguém volta para casa, senão por mim”.
Por último, muitos são aqueles que ainda se sentam em torno da fogueira, compreendem sua situação como perdidos, aceitam sua fraqueza e sua incapacidade de voltar para casa sozinhos, e ficam muito alegres e agradecidos com o irmão mais velho que veio buscar.
O dia em que a humanidade compreender que a volta para casa é por meio do irmão mais velho, sem qualquer esforço de nossa parte, que mesmo magoado inicialmente com o fato de termos também entrado no rio, Deus nos perdoa e nos permite voltar para casa, a mensagem da Reforma desencadeada a partir de Lutero alcançará o seu objetivo!
E que assim seja. Amém!

CONFISSÃO DE FÉ
Pela sua palavra Deus desperta em nós a fé, enche-nos de esperança, acolhe-nos com amor, mostra-nos os caminhos da paz e da justiça e nos anima a testemunhar publicamente em alto e bom tom quem Ele é!
Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
Hino Nº 84 – Livro de Canto da IECLB – Te agradeço...

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Querido Deus, depois de celebrarmos com alegria as transformações que tu promoveste através do movimento da Reforma, elevamos a ti nosso pedido para que continues protegendo a nossa Igreja. Concede o teu Santo Espírito para que a tua Igreja possa preservar a pureza da doutrina da fé Evangélico-luterana. Pedimos-te, Senhor, que animes a cada um de nós a sermos fiéis testemunhas do teu Evangelho e que nossos pastores e pregadores sejam fiéis a tua Palavra e a preguem com ousadia e poder. Permite a todos que ouvem a tua palavra uma correta compreensão e confiança na mesma. Envia trabalhadores para tua seara, e abre a porta da fé aos que ainda não te conhecem. Protege e defende os teus filhos e filhas de todos os perigos e tribulações. Fortalece a nós e os demais cristãos, para que coloquemos a nossa confiança exclusivamente na graça revelada em Cristo. Suplicamos por todas as pessoas que passam por necessidades, por todas as pessoas adoentadas, deprimidas e enlutadas, para que elas encontrem consolo e conforto em Ti. E tudo o mais que necessitamos, nós te pedimos na oração que Jesus Cristo nos ensinou:

PAI NOSSO
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS

BÊNÇÃO
Que o Senhor esteja à vossa frente para vos guiar;
Que Ele esteja atrás de vós para vos proteger;
Que Ele esteja ao vosso lado para caminhar convosco;
Que Ele esteja embaixo de vós para não vos deixar cair;
Que Ele esteja dentro de vós para vos consolar;
Que Ele esteja acima de vós para com tua poderosa mão vos abençoar.
Portanto, que o Senhor vos abençoe! Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

ENVIO
Que a paz de Deus que excede todo o nosso conhecimento e entendimento nos guarde para uma viva esperança. Ide na paz do Senhor.

CANTO FINAL
Nº 481 – Livro de Canto da IECLB – Deus é castelo forte e bom...
 


Autor(a): Pastor Deolindo Feltz
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Dia da Reforma
Natureza do Domingo: Dia da Reforma

Testamento: Novo / Livro: João / Capitulo: 8 / Versículo Inicial: 31 / Versículo Final: 38
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2018
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 48185
REDE DE RECURSOS
+
Deus não está amarrado a nenhum lugar e de lugar nenhum se acha excluído.
Martim Lutero
© Copyright 2018 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br