João 12.12-16 - Domingo de Ramos - 25/03/18

11/01/2018

25/03/18 – Domingo de Ramos
Sl 118.1-2,19-29; Pregação:
Missª Tatiane F. Ertmann Stele – Nova Mutum/MT

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Bom dia (ou boa noite) a todos. Sejam todos bem-vindos a este culto. Quero saudá-los com as palavras do Evangelho de João 12.23 que diz: “É chegada a hora de ser glorificado o Filho do Homem”. Que o Senhor nos anime neste culto, e que sua palavra nos ensine a viver cada dia de forma “entusiasmada” na sua presença. Celebramos hoje o Domingo de Ramos, ou Domingo da Paixão. Começa hoje a Semana da Páscoa. Neste domingo celebramos a entrada de Jesus em Jerusalém como Rei, mas a partir de hoje, adentramos também ao período de grande sofrimento de Jesus. Que seja ainda um período onde revivamos todo o amor de Jesus demonstrado através de seu sangue derramado na cruz do calvário.

Agradecemos a todos e a todas que nos visitam. Sejam também muito bem-vindos/as. É uma alegria tê-los/as conosco. O nosso desejo é que vocês sintam, por meio da nossa comunidade, o amor do próprio Deus. E que desejem estar conosco muitas outras vezes.

CANTO DE ENTRADA
25 – LIVRO DE CANTO DA IECLB – Quando o povo se reúne.

Ou: Nº ____________________________________________________

SAUDAÇÃO
Celebramos este culto em nome do Deus Triuno, que é Pai, Criador de tudo o que há, que é Filho, Jesus, o Salvador que vem a nós, que é Espírito Santo, nosso Ensinador e Inspirador.

CANTOS DE INVOCAÇÃO
421 – LIVRO DE CANTO DA IECLB – Hosana hei!

Ou: Nº ____________________________________________________

CONFISSÃO DE PECADOS
Misericordioso Deus, reconhecemos nossa culpa diante de Ti. Ao nos colocarmos em oração queremos te dizer que dependemos de Ti, e que nada somos sem tua presença nas nossas vidas. Reconhecemos nosso pecado e o confessamos em tua presença, clamando ó Deus que tu nos perdoe. Perdoa a cada um de nós Senhor Amado! Tu, somente Tu, nos conhece completamente, sabes nossos segredos, nossas dores, cada detalhe de nós. Também o nosso pecado, mesmo aquele que tentamos esconder no mais íntimo do nosso ser, Tu sabes tudo de nós. Não queremos sair daqui sem teu perdão e tua paz. Por isso Deus de amor, perdoa cada um que com sinceridade coloca sua vida em tua presença. Ouve o Deus nosso clamor, age com misericórdia mais uma vez e perdoa os nossos pecados cometidos em palavras, ações, pensamentos e omissões. Que daqui possamos sair alegres, e transformados pelo teu abraço de perdão com o propósito de viver uma vida que agrade o teu Santo Nome.
Por tudo isso, Deus de amor e misericórdia, pedimos teu perdão cantando o hino 160 do Livro de Canto da IECLB:

/: Como tu queres, Senhor sou teu. Tu és o oleiro, barro sou eu. Quebra e transforma até que enfim tua vontade se cumpra em mim:/

ANÚNCIO DO PERDÃO
Jesus Cristo veio à nós, para nos acolher nos seus braços de amor. Por causa da sua vinda, nós temos o privilégio de receber perdão, salvação e vida eterna. Desta forma, podemos ter a certeza, aqueles que com o coração sincero pediram perdão, da parte de Deus o recebem. Assim diz a Palavra: “Mas, se confessarmos os nossos pecados a Deus, ele cumprirá a sua promessa e fará o que é correto: ele perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda a maldade” (1º João 1.9).

KYRIE
Como filhos e filhas de Deus não queremos ser indiferentes aos sofrimentos deste mundo, por isso queremos clamar a Deus por piedade, cantando:

56 – LIVRO DE CANTO DA IECLB – Pelas dores deste mundo.

GLÓRIA IN EXCELSIS
Por tudo o que Deus já realizou em nós, por nós e através de nós, por tudo o que Ele ainda fará, cantemos alegremente, dando glórias a Deus:
84 – LIVRO DE CANTO DA IECLB – Por tudo o que tens feito

ORAÇÃO DO DIA
Bondoso e amado Deus, nós te agradecemos pela oportunidade que tu nos dás de sermos teus filhos e filhas, agradecemos pelo teu cuidado, pelo teu perdão. Pelas vezes que mesmo não percebendo, tu estás conosco e nos guarda dos perigos. Agradecemos que neste dia, pudemos abrir os nossos olhos, e recebemos de ti, mais um dia de vida. Obrigado Senhor pelas tuas bênçãos infinitas. Agradecemos Senhor, que também no sofrimento, tu estás conosco, nos consola e fortalece. Pedimos que tu abençoes também este momento de receber a Tua Palavra. Que sendo lançada, ela caia em nossos corações e encontre terra fértil, ou seja, que encontre corações receptivos ao teu amor. Em nome de Jesus. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: SALMO 118.1-2,19-29

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
165 – LIVRO DE CANTO DA IECLB – Estou pronto Senhor

PREGAÇÃO

Leitura: João 12.12-16
Queridos irmãos e queridas irmãs na fé!
A pouco tempo Jesus havia ressuscitado Lázaro dentre os mortos (João 11.1ss). Após o ocorrido Jesus se retira para Efraim, permanece ali por uns dias e ao se aproximar os dias da Festa da Páscoa volta caminho a Jerusalém onde daria novo sentido a Festa da Páscoa para sempre. Para ir a Jerusalém Jesus passa novamente por Betânia, onde recebe um jantar de seus amigos Lazaro, Maria e Marta. Momento também em que Jesus é ungido por Maria com uma libra de bálsamo de nardo puro, muito precioso.
Em meio a isso, as notícias do milagre acontecido a Lázaro já corriam e eram cada vez mais divulgadas entre o povo judeu. Os principais sacerdotes e saduceus se enfurecem diante da novidade sensacional e procuram um meio de matar Jesus, e até matar também a Lázaro, por ser ele a refutação viva da sua negação da doutrina da ressurreição (João 12.10-11).
Podemos perceber que Jesus causa alvoroço, se de um lado um alvoroço inquietante aos líderes judeus, por outro lado, um alvoroço de grande entusiasmo e de alegria à população em geral. Mesmo com todo o alvoroço, Jesus, segue a Jerusalém. Da mesma forma, judeus de todos os rincões do mundo chegavam a Jerusalém para a Páscoa.
Nesses dias, a cidade de Jerusalém estava cheia de gente. As notícias a respeito de Jesus e seus milagres correm rápido. Logo, uma grande multidão reunida em Jerusalém fica a par não apenas dos milagres de Jesus, mas também de que esse Jesus está a caminho da Festa da Páscoa.
Ao chegar em Jerusalém Jesus é recebido pela grande multidão de pessoas. O povo está eufórico e recebem a Jesus como um conquistador que fará justiça em favor de seu povo de uma vez por todas. De fato, esse é o clima que prepondera em toda a cena. Saudavam-no com estas palavras: Hosana! Bendito aquele que vem no nome do Senhor!
A palavra Hosana é o equivalente hebreu de Salve agora! Estas palavras são uma citação do Salmo 118:25-26. Esse salmo tinha muitas ligações com diferentes acontecimentos e não há dúvida de que o povo as tinha em mente ao repeti-lo. Era um salmo de louvor, que fazia parte do primeiro grupo de coisas que todo menino judeu devia memorizar. Eram entoados com frequência nos grandes atos de louvor e agradecimento celebrados no Templo.
Este momento da chegada de Jesus era um momento de gratidão e louvor a Deus. Chegava o Salvador dos judeus! O povo tinha convicção de quem Jesus era – estava diante da multidão o Messias Prometido de Deus. Por isso declamam entusiasmadamente o Salmo, e além estendiam pelo caminho ramos para honrar o Messias, o Rei Conquistador de Jerusalém. Estavam triunfantes vendo chegar, o Messias prometido de Deus, anunciado pelos profetas e esperavam que Jesus com autoridade e poder estabelecesse a partir daquele momento o reino de Davi (Marcos 11.10).
No entanto, o Evangelista João, no relato do texto, conta que esse Rei não vem montado em um cavalo de guerra, mas num jumentinho, símbolo de paz. O jumento, mais do que o cavalo, simbolizava o caráter manso e pacífico de um rei de Israel. O fato em si declarava que Jesus interpretava o acontecimento de maneira diferente da multidão. Jesus pretendia anunciar a paz, quando ao cumprir a profecia de Zacarias 9.9 entra montado num jumentinho, filho de jumenta. O povo não se dá conta dos propósitos de Deus. A alegria do povo se baseava numa má interpretação do que havia sido anunciado pelos profetas – acreditavam veemente que o Messias finalmente havia chegado em Jerusalém e que vinha para destruir todos os inimigos de Israel fazendo justiça em favor dos judeus, assegurando a restauração de Jerusalém. Há uma inclinação à guerra por parte da multidão. Sua memória percorre lembranças de um reinado glorioso como o de Davi, onde Israel não era dominado. Esse era o desejo ardente daquela multidão!
Mas o Rei supremo e real, descendente de Davi, que fora prometido por diversas vezes, não vem para uma batalha terrena. Justo e humilde seu caráter e comportamento não seriam como os de outros reis do mundo. Ele defenderia exclusivamente a Lei de Deus, como outros reis do Antigo Testamento deveriam ter feito. Sua bondade o tornaria aberto e acessível. Jesus vem, como o Messias, exatamente como Deus havia prometido: Maravilhoso, Conselheiro, Deus forte, Pai da Eternidade e Príncipe da Paz (Isaías 9.6). E ao montar um jumentinho, Jesus indica a projeção de sua completa vitória. Restava muito pouco tempo para findar o tempo da guerra. A vitória que Jesus anuncia é de uma proporção muito maior do que o domínio que os israelitas sofriam nas mãos dos romanos ou de qualquer outra situação de sofrimento e luta. Jesus adentrava aquela semana anunciando o fim da batalha pelos pecadores distantes de seu Deus de amor. Completava-se o tempo em que o poder do maligno, do pecado e da morte não mais ameaçaria o ser humano. A submissão de Jesus garante ao ser humano a experimentar uma paz eterna, a viver sem medos, injustiças e sofrimento na Nova Jerusalém restaurada. O Príncipe da Paz vem como Servo Sofredor, disposto a tudo pela humanidade!
Mas isso não foi interessante. Nós bem sabemos que esta multidão, ou a grande maioria dela não compreendeu a chegada do Messias prometido dessa forma, sua mensagem é rapidamente rejeitada quando não veem se cumprir o que esperavam. O texto fala que até os discípulos, amigos de Jesus, tiveram dificuldade, não compreenderam exatamente o que Jesus estava propondo. Em razão de não entender os propósitos de Deus, é que uma semana após a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, a mesma multidão que recebe Jesus com tanto entusiasmo grita: crucifica-o, crucifica-o!
O grande problema é que todos buscavam um Salvador idealizado e preso às suas próprias ideias, sonhos, desejos e vontades. Não buscavam o Príncipe da Paz que apontava para uma reconciliação com Deus e vida plena.
O versículo em João 12.16 diz que somente na glorificação de Jesus, ou seja, a partir da sua morte e subsequente ressurreição no domingo da Páscoa é que os discípulos lembraram e se deram conta do que Jesus ao montar um jumentinho desejava transmitir: que todo ser humano experimentasse a paz e alegria por ser justificado pelo sacrifício do Cordeiro, e que soubesse que a morte não teria mais a última palavra. Essa guerra Jesus Cristo, de forma muito dolorosa, venceu, de uma vez por todas, por amor a nós, para restituir a cada ser humano a herança eterna com Deus – o galardão da vida.
Domingo de Ramos nos chama a refletir sobre esse Rei inigualável que se coloca como Servo em nosso favor e vai até as últimas consequências por amor aos pecadores para lhes oferecer vida, e vida completa.
Nós, pecadores, nem sempre refletimos sobre o que de fato tudo isso significa, nem sempre valorizamos o que Cristo nos oferece. Quantas vezes a indiferença é nossa parceira ao que se refere a uma fé genuína e sincera da nossa parte para com Deus? Assim como acontece com os discípulos não precisamos apenas de conhecimento da Palavra, há necessidade de compreendê-la com os olhos da fé, permitindo que Deus nos surpreenda! Nosso entusiasmo em Cristo precisa permanecer além de vontades que não são atendidas.
Quanta gente tem vivido apenas de conhecimento da Palavra. Muitos até doutores se tornam! Mas de que isso adianta se a Palavra também não chegar e ter espaço no coração? Ali onde tudo só faz sentido se girar em torno de si mesmo e suas vontades é sinal de que Deus ainda não teve chance de fazer brotar sua Palavra. Corações endurecidos por diversos motivos estão perdendo a cada novo dia a oportunidade de receber com honra o Salvador de suas vidas. Deus, ao enviar Jesus, expressou o maior amor ao mundo, um amor desinteressado, que pagou um alto preço, indiferença, calúnias, humilhação, sofrimento e morte na cruz, para nos chamar de filhos e filhas e nos dar um lar eterno. Só o Príncipe da Paz foi capaz disso!
Que aos nos prepararmos para celebrar mais uma vez a Páscoa nossos corações e mentes estejam sensíveis ao amor de Deus e ao que Ele tem reservado para cada um de nós. Que a semana que adentramos seja muito mais que um feriado para descanso de nossa rotina, mas um momento de memória e reflexão sobre o significado da cruz que o Príncipe da Paz suportou em nosso favor, garantindo-nos perdão, salvação, vida eterna!

HINO
418 – LIVRO DE CANTO DA IECLB – Hosana ao Rei!

CONFISSÃO DE FÉ
Em resposta à Palavra, confessemos a nossa fé com as palavras do Credo Apostólico:

Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
435 – LIVRO DE CANTO DA IECLB – Perdeu a morte o seu poder.

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________
6._______________________________________________________

Senhor Deus, nós te agradecemos por este culto e pela Palavra revelada a nós. Somos gratos porque tu nos guias para os teus braços de amor. Que nossa vida inteira possamos dedicá-la a ti. Obrigada que em Jesus podemos encontrar a paz e verdadeira alegria de viver. Que Cristo seja sempre o nosso Príncipe da Paz e que nunca esqueçamos que Ele abdicou da sua glória para vir ao mundo e nos salvar. Nos ajuda a sermos fiéis e compreender teus propósitos de amor em cada situação. Que não sejamos ingratos e indiferentes ao seu amor revelado. Que adoremos a ti ó Jesus, como Salvador e Senhor das nossas vidas, e que possamos nos dar conta do que isso implica no nosso dia-a-dia. Agradecemos ainda pelos aniversariantes, pela tua bondade na vida de cada um deles e pedimos que os guarde em teu amor. Intercedemos pelos doentes, os que vivem angustiados, preocupados, em situações difíceis. Tu és o Senhor de cada um/a deles/as! Tu podes curar, consolar, fortalecer e animar a cada um e a cada uma. Os colocamos nas tuas mãos Senhor bondoso, tem misericórdia! E que eles/as não esqueçam do teu poder. E que acima de tudo, eles não percam a esperança em Ti. Intercedemos ainda pelas autoridades do nosso país, estado e cidade. Que eles governem para o bem do teu povo. Cuida e orienta também a nossa IECLB em todo o âmbito nacional, também os trabalhos em nossa paróquia/comunidades. Que todos trabalhem para honra e glória do teu nome. Assim Deus Salvador, entregamos tudo nas tuas mãos, na certeza que tu ouves a nossa oração, e que irá respondê-la conforme a tua santa vontade. Assim oramos em nome de Jesus que nos ensinou a dizer:

PAI NOSSO
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

BÊNÇÃO
Que o Senhor te abençoe e te guarde, que o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti, que o Senhor levante o seu rosto sobre ti e te dê e acompanhe com a sua paz. Amém

ENVIO
Vamos todos na paz do nosso bondoso Deus, servindo-o de todo o nosso coração.
Uma especial semana, de reflexão, fortalecimento e fé.

CANTO FINAL
288 – LIVRO DE CANTO DA IECLB – Vem derrama a paz
 


Autor(a): Missionária Tatiane Fick Ertmann Stele
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Meditação
ID: 45595
REDE DE RECURSOS
+
Que ninguém procure somente os seus próprios interesses, mas também os dos outros.
Filipenses 2.4
© Copyright 2018 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br