Gálatas 4.4-7 - Véspera de Ano Novo - 31/12/2017

Caderno de Cultos 2017

10/07/2017

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
“Nós nos alegraremos e cantaremos um hino de louvor por causa daquilo que o Senhor, nosso Deus, fez” Is 61.10a
Saúdo a cada um/a com um “boa noite”. Nos reunimos nesta noite para agradecermos diante de Deus pelo ano que nos concedeu. Ano que marcou nossas vidas quem sabe pelo nascimento de um filho/a; pelo casamento, pela celebração de bodas, por uma colheita farta, pela realização de um sonho,... Pode também ficar marcado por uma situação que gostaríamos de esquecer: a perda de um familiar, a descoberta da impossibilidade da realização de um sonho, uma colheita frustrada, ... Porém, queremos ter a certeza de que Deus, Senhor por sobre tudo e todos, esteve por detrás de tudo o que aconteceu. Ele nos guiou e teve um propósito para conosco. Este propósito queremos rememorar. Que Deus nos guie. Amém.

Acolher os/as visitantes

CANTO DE ENTRADA

Ou: Nº ____________________________________________________

SAUDAÇÃO
“Como é bom e agradável que o povo de Deus viva unido como se todos fossem irmãos!” Sl 33.1 Assim nos reunimos em nome e na presença do Tríuno Deus, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém


CONFISSÃO DE PECADOS
Em silêncio, cada um, cada uma, vamos conversar com nosso Deus em oração, confessar-lhe os nossos pecados e erros, nossas fraquezas e deslizes neste ano que finda, pedindo-lhe perdão em nome do nosso Senhor Jesus Cristo. Ao mesmo tempo pedir que Deus nos dê forças e ajude a fim de podermos seguir em frente no novo ano que se aproxima e sermos cada vez mais fiéis a sua Palavra e a sua vontade..... momento de silencio... (tocar uma música de fundo se for possível e deixar uns minutos para esta oração individual, encerra-se a oração com o canto 150 “Se sofrimento te causei, Senhor”)


ANÚNCIO DO PERDÃO
Em Cristo, os braços de Deus tornam-se mais compridos, para nos alcançar, mais fortes para nos segurar, mais humanos para nos compreender, mais divinos para nos perdoar, mais sensíveis para nos prender a seu infinito amor! “Todos aqueles que Deus aceita e que recebem como presente a sua imensa graça reinarão na nova vida por meio de Cristo” (Rm 5.17b). Assim como cremos, assim será. Amém.

KYRIE ELEISON
Neste ano que se encerra muitas são as dores que o mundo carregou e que compartilhou também conosco. A violência, as guerras, a desonestidade, o desrespeito, a injustiça, o medo, a crueldade esteve presente em muitos momentos, mas queremos e devemos crer de que não estamos abandonados a própria sorte, apesar de parecer que o mundo se esqueceu de Deus, Deus não se esqueceu do mundo, do seu povo amado e querido, por isso clamemos ao nosso Deus cantando...
Pelas dores deste mundo

GLÓRIA INEXCELSIS
E lembremos de que tudo que somos e temos vem, em primeiro lugar de Deus, por isso louvemos a Deus cantando
Senhor meu Deus, 254

ORAÇÃO DO DIA
Oração de Final do Ano
Senhor Deus, dono do tempo e da eternidade, teu é o hoje e o amanhã, o passado e o futuro. Ao acabar mais um ano, queremos te dizer obrigado por tudo aquilo que recebemos de ti. Obrigado pela vida e pelo amor, pelas flores, pelo ar e pelo sol, pela alegria e pela dor, pelo que foi possível e pelo que não foi. Oferecemos-te tudo o que fizemos neste ano, o trabalho que pudemos realizar, as coisas que passaram pelas nossas mãos e o que com elas pudemos construir. Apresentamos as pessoas que ao longo destes meses amamos, as amizades novas e os antigos amores. Os que estão perto e aqueles que pudemos ajudar, os com quem compartilhamos a vida, o trabalho, a dor e a alegria. Hoje pedimos por cada um de nós, os parentes e amigos, a paz e a alegria, a fortaleza, a prudência e a sabedoria. Fecha os nossos ouvidos a toda falsidade e aos lábios às palavras mentirosas, egoístas ou que magoem. Abre sim, cada um de nós a tudo o que é bom. Que o possamos ser repletos de bênçãos para que as derramemos por onde passarmos. Enche-nos também de bondade e alegria, para que todas as pessoas que encontrarmos no caminho, possam descobrir um pouquinho de Ti. Dá-nos um ano feliz e ensina-nos a repartir a felicidade. Amém!

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS
Leitura Bíblica: Is 61.10-62.3;

Em respeito ao Evangelho, nos coloquemos de pé e aclamemos o mesmo cantando ALELUIA
Leitura do Evangelho de Lc 2.22-24

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO

PREGAÇÃO - Gl 4.4-7 (Trechos de uma mensagem escrita pelo Pr Ernani)

Para mostrar que vocês são seus filhos, Deus enviou o Espírito do seu Filho ao nosso coração, o Espírito que exclama: Aba, Pai! (Gálatas 4.6)
Querida comunidade, irmãos e irmãs na fé!
Na introdução e invocação “Pai nosso que estás nos céus” três palavras me chamam atenção: Pai, nosso e céus. Mas vou me ater a falar sobre a primeira hoje “Pai”.
Jesus ao falar com Deus sempre usou a palavra carinhosa Abba (pai, em aramaico). Abba, na verdade, era a forma carinhosa e respeitosa como as crianças pequenas se dirigiam aos seus pais. Jesus, portanto, revela uma relação de intimidade, de confiança, de entrega, de respeito, de dependência com o pai. Jesus revela que sem o abraço misericordioso e compassivo do Pai, não somos capazes de dar passos seguros na vida. Como eternas crianças, precisamos constantemente do amor de Deus para caminhar com firmeza e fé diante dos desafios da vida.
Confiando, dialogando e orando ao Pai, Jesus seguiu o caminho da obediência, da verdade e da vida. Ao invocarmos o Pai, também nós recebemos dele a orientação para seguir no caminho do Bem e não do mal.
Em meio às situações mais difíceis de sua vida Jesus exclamou: Aba, Pai! No amor do Pai ele encontrou a força para seguir o seu caminho, para vencer a dor, o sofrimento e a morte na cruz. Amparado no amor do Pai Jesus ressuscitou e nos libertou da lei que escraviza e mata. Por intermédio de Cristo Jesus Deus também nos faz seus filhos e filhas. Ele envia ao nosso coração o Espírito do Filho que também nos permite clamar nas angústias, encruzilhadas e desesperos da vida: Aba, Pai!.
Para ilustrar o que significa exclamar Aba, Pai, traga-vos um relato de Jerusalém: “Uma tarde, um pai e suas três filhinhas passeavam pelas ruas de Jerusalém. Uma das meninas, com seis anos, ficou alguns passos para trás, e não pôde enxergar o pai. Aba!, chamou ela. O pai parou e olhou e percebeu que uma das filhas se afastara dele. Aba!, chamou ela, novamente. Ele a localizou, e imediatamente estendeu-lhe a mão e a confortou. Quando desceram a rampa segurou firmemente a mão da filha. Quando ele parou numa rua movimentada, ela caminhou pelo meio-fio, e ele a puxou de volta. Quando o semáforo abriu, ele guiou-a juntamente com suas irmãs através do cruzamento. No meio da rua, ele abaixou-se, tomou-a nos braços, e continuou a jornada.
Não é disso que todos precisamos diariamente? Um Aba que nos ouve quando estamos perdidos e desorientados? Um Aba que nos liberta das leis que escravizam e matam? Um Aba que segura nossa mão, quando estamos fracos? Um Aba que nos guia através dos cruzamentos agitados da vida? Não carecemos todos de um Aba que nos tome nos braços, e nos carregue para casa?
Em Cristo Jesus Deus se tornou o nosso Aba. Em Cristo Jesus Deus nos abraça e diz que ele não está distante de nós, pelo contrário, está próximo de nós, assim como um pai está próximo ao seu filho/a. (Pr. Ernani).
Para finalizar uma imagem:
Radiante de alegria, a menina correu para o pai com um papel na mão: – Papai, olha só o que eu desenhei.
O pai olha a “obra de arte” da filha, mas não entende bem o significado do desenho: ao pé da folha ela desenhara uma porção de rabiscos, um perto do outro; mais acima, estava um vulto bem grande, com braços enormes, estendidos para baixo. – O que é para significar isso? – perguntou o pai.
A menina procurou explicar o desenho: – Aqui embaixo, essas pequenas linhas são as pessoas, somos nós. E esse grande, ali em cima, é Deus.
– Mas esse teu Deus parece meio desengonçado e desproporcional. Eu nem o acho muito bonito. Seus braços são compridos demais – retrucou o pai.
– Mas papai, disse a filha um pouco chateada, exatamente aí está a beleza de Deus. Porque, para alcançar e abraçar todas as pessoas, ele precisa ter braços muito, muito compridos.
O pai deu um beijo na filha e afastou-se um pouco envergonhado, pois tinha recebido um sermão muito profundo através de um simples desenho de criança: como poderíamos chamar o poderoso e eterno Deus de pai se ele não tivesse braços compridos, com os quais ele quer abraçar cada pessoa, seja ela rica ou pobre, idosa ou jovem, e demonstrar-lhe seu imenso amor?
Quando Jesus ensina o Pai-Nosso, ele quer mostrar que Deus é muito maior do que nós podemos imaginar. Mas que ele, mesmo assim, “é o nosso verdadeiro Pai”, no qual podemos confiar sempre, e “que quer atrair-nos carinhosamente” e que somos “os seus verdadeiros filhos, para que lhe roguemos sem temor” (Lutero).
Confiemos nesse amor e entremos em 2018 com esse Espírito de Jesus em nosso coração. Amém.


CONFISSÃO DE FÉ
Movidos pela Palavra ouvida confessemos que nessa Palavra cremos através das palavras do Credo Apostólico...

Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Neste momento nos colocamos em oração querido Deus, para interceder por este novo ano que estamos prestes a receber de tuas bondosas mãos.
Intercedemos pelos familiares das pessoas que faleceram neste ano (pessoas falecidas podem ser citadas), para que vivam cada dia com a confiança de que na vida e na morte estamos guardados em tuas mãos.
Intercedemos pelas famílias, por nossa família e por todas as famílias, para que no novo ano se multipliquem o diálogo franco, a disposição para reconhecer e mudar atitudes e, assim, se experimente o gosto da paz concedida por Jesus.
Intercedemos pela paz entre as pessoas e os povos, por um mundo com menos maldades e mais amor e respeito de uns para com os outros.
Intercedemos pelas Igrejas, suas comunidades, seus grupos, suas atividades, para que cada membro se sinta um participante e, assim, planos e caminhos sejam inspirados na vontade do menino nascido em Belém.
Com que carinho, com que esperança, com que paixão Jesus deve ter ensinado a orar Pai nosso! E porque em Jesus somos um, temos a fantástica possibilidade de vivermos fraternalmente. Por isto, oremos, de mãos dadas, como Jesus ensinou: Pai nosso...
PAI NOSSO

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

BÊNÇÃO
Sejam os teus olhos abertos pelo toque de Deus para não tropeçares em caminho algum.
Sejam os teus lábios agraciados com o sabor do amor de Deus. Que as tuas palavras sejam doces ao teu próximo.
Sejam as tuas mãos acariciadas pelas mãos do Deus Pai-Mãe para nunca as tuas mãos, nem as de teus filhos e amigos, tocarem em armas.
Sejam as tuas ações inspiradas pela cumplicidade do olhar manso de Deus para poetizares sobre o mundo que muitos homens esqueceram como fonte de alegria.
Em nome de Deus, em nome de Cristo e em nome do Santo Espírito (+). Seja assim para sempre. Amém.

ENVIO
Vamos em paz, servindo a Deus com alegria, gratidão, cheios de fé e esperança nesse novo ano que se inicia logo mais. Boas festas à todos e todas.

CANTO FINAL
221 – HPD 1 – Senhor, porque me guarda a tua mão
 


Autor(a): Pa. Daiane M. Baade
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo do Natal
Natureza do Domingo: Silvestre/Véspera de Ano Novo

Testamento: Novo / Livro: Gálatas / Capitulo: 4 / Versículo Inicial: 4 / Versículo Final: 7
Título da publicação: Caderno de Cultos / Ano: 2017
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 43006
REDE DE RECURSOS
+
A graça só tem um recipiente - o nosso coração.
Martim Lutero
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br