Epifania - Deus é maior que as religiões.

04/01/2019

Em Jerusalém os magos perguntavam:
Onde está o recém-nascido Rei dos judeus? Porque vimos a sus estrela no Oriente e viemos adorá-lo
.
(Mateus 2.2)

Prezada Comunidade e estimados rádio-ouvintes:

Hoje é o domingo Epifania. Essa palavra significa “revelação de Deus”. Ela lembra dos reis magos que seguiam outras religiões, mas que Deus chamou e guiou com uma estrela até o menino Jesus. 

No tempo que vivemos estamos marcados pelo pluralismo religioso. O cristianismo não é a única religião na nossa cidade. Até pouco tempo atrás, ser missionário era convencer as pessoas a uma decisão consciente pelo cristianismo. Hoje já não pdoe mais ser assim.

Antigamente, na pequena vila onde eu cresci havia somente duas igrejas. A igreja católica e a igreja evangélica. Pensávamos que éramos a religião central, a única que agradava a Deus e, portanto, a única igreja correta.

A gente ouvia pouco de outras igrejas e muito menos de outras religiões. As religiões africanas e indígenas eram consideradas cultos ao diabo. Despacho e macumba eram consideradas ofertas ao diabo para fazer mal para alguém.

Hoje isso já mudou bastante. Até mesmo nas cidades pequenas já existem várias igrejas. Também existem outros cultos como a umbanda e o cambomblé. Também nessas pequenas cidades tem gente que no início do ano novo repete ritos das religiões orientais – como colocar uma pedra sobre a outra nos rios, acender velas, incenso, trocar lâmpadas queimadas, jogar fora objetos quebrados, se desfazer de roupas que já não usam mais, colocar frutas sobre a mesa, lavar os batentes das portas com sal grosso, tem gente que até toma banho com sal grosso para se limpar de energias negativas, comem uvas, romãs, lentilha e carne de peixe, e assim por diante.

Se antes havia muito preconceito contra outras religiões, hoje em dia há muita abertura e liberalidade em relação a ritos religiosos. E voltam a surgir também os grupos evangélicos conservadores que combatem tudo isso como coisa do diabo.

Portanto, se existem muitas religiões, se existem muitas igrejas, qual é o caminho que leva a Deus? O que os evangélico-luteranos ensinam sobre tudo isso?

Primeiro precisamos dizer que a palavra “evangélico” é tão mal usada que hoje em dia ela não tem mais o sentido de “crente” como era antigamente, mas sim no sentido de conservador, corrupto, homofóbico, anti-ecumênico, machista, etc. Muitos de nós luteranos até dizem que não são evangélicos: somos luteranos. É melhor ser chamado somente de luterano para não ser confundido.

E o que os luteranos ensinam sobre as outras religiões?

Como luteranos somos ecumênicos. Nossa primeira atitude é de respeitar as outras religiões. Isso significa concordar com tudo que existe em outras igrejas ou outras religiões? Não. Tem coisas que não podemos concordar: por exemplo, não podemos concordar com o sacrifício de animais nos rituais religiosos; não podemos concordar pregações homofóbicas, racistas e machistas. Como luteranos também não podemos concordar que as pessoas com deficiência são assim por causa de um castigo de Deus. Uma pessoa luterana deve ser uma pessoa respeitosa e inclusiva. É assim que Jesus espera que vivamos a nossa fé.

Nesse sentido, vivemos tempos difíceis. Porque a onda de “evangélicos” é muito forte. Quem não se alinha com essa onda não é bem-aceito. No entanto, como luteranos devemos sempre colocar diante de nós a pergunta: O que faria Jesus no meu lugar? Jesus seria um “evangélico homofóbico, machista ou fascista”? Mesmo que a gente veja que muitos “evangélicos” são assim, nós devemos ficar firmes. O apóstolo Paulo escreve em Efésios 4.14: Não sejam como crianças, arrastados pelas ondas e empurrados por qualquer vento de ensinamentos de pessoas falsas. Essas pessoas inventam mentiras e por meio delas levam muitas pessoas pra caminhos errados.
Em Atos dos Apóstolos 5.29 diz claramente:
Nós devemos obedecer a Deus e não as pessoas. Portanto, ser luterano é uma pessoa que se guia unicamente pela orientação de Deus.

Certo dia, uma pessoa que não acreditava em Deus veio falar com seu pastor. Apesar de não acreditar em Deus, essa pessoa era amiga de vários pastores daquela igreja. Essa pessoa disse o seguinte “Você sabe que eu só acredito no que a razão pode compreender. Para mim, tudo na vida sempre tem uma explicação. Caso contrário eu não acredito. Por isso, eu também não consigo acreditar em Deus, em Jesus ou no poder o Espirito Santo. Mas esses dias me aconteceu algo estranho. Sou motorista de Uber e levei um passageiro que começou a me contar algumas coisas erradas que tinham acontecido em sua vida. O motorista de Uber então respondeu: É, acho que você precisa rezar mais do que está rezando atualmente. Quando eu disse isso, o passageiro imediatamente reagiu dizendo: Sou eu que preciso rezar mais é? E durante o trajeto ele repetiu essa pergunta umas três vezes mais: Sou eu que preciso rezar mais é? Deixei ele no seu destino e algumas horas depois – por distração minha - eu bati na traseira de outro carro. Arrumei o carro e logo em seguida o carro quebrou outras duas vezes por problemas mecânicos. Durante a semana me mandaram embora do emprego fixo que eu tinha. Por último, um ladrão roubou o carro de alguém e na fuga bateu no meu carro. Que onda de azar! E tudo começou com aquele passageiro que insistia: Sou eu que preciso rezar mais é? Será que aquele passageiro era um Exú que me jogou essa urucubaca? Antes eu era descrente e agora virei assustado. Já me disseram que vou ter que fazer um descarrego. O que um pastor luterano me diz sobre isso?”

Aquele pastor ficou pensando nos personagens bíblicos quando Deus se manifestou para eles e eles tiveram suas vidas viradas de cabeça para baixo. Pensou em Moisés que vivia tranquilamente no palácio como filho adotivo da rainha do Egito, pensou no Jeremias, que era filho de sacerdote, no Amós que era um boadeiro, pensou em Maria, a mãe de Jesus que ficou grávida antes do casamento. Pensou nos discípulos de Jesus, no apóstolo Paulo. Quando Deus se manifestou a cada um deles, o mundo virou de cabeça para baixo.

Então aquele pastor disse o seguinte: “Você é amigo de vários pastores dessa igreja. Mas nenhum desses pastores conseguiu que você se interessasse por Deus. Deus certamente já queria ter chamado a sua atenção antes, mas você não dava nenhuma abertura. No entanto, esse tempo de Epifania nos ensina que Deus é o Senhor das religiões. Deus está acima das religiões. Deus deve ter pensado: Se eu não consigo que um pastor luterano chame a sua atenção para Deus, vou mandar para ele um exú, para que ele sinta que eu quero falar com ele. Deus não quer que você mude de religião. Ele quer que você o escute e o sirva na religião/igreja que você está. Por isso, não se preocupe com nenhum descarrego. Faça como Samuel (1Samuel 3. 10). Converse com Deus em oração e diga: Fala, Senhor, pois o teu servo está escutando. Mas tenha uma certeza: Deus não vai te pedir nada que Jesus não faria. O critério para saber o que é vontade de Deus é esse: Os ensinamentos e as atitudes de Jesus. Tudo o que não estiver de acordo com isso não é Palavra de Deus. Mas tudo que estiver de acordo com os ensinamentos e as atitudes de Jesus – isso é Palavra de Deus.”

Estimada Comunidade, Jesus nos ensinou que o maior de todos os mandamentos é o mandamento do amor. Portanto, o mandamento universal não é dominar, submeter, subjugar ... mas AMAR. Amar não é aceitar passivamente todas as coisas. Amar é transformar – mas jamais pela violência, pela imposição. AMAR é transformar pelo exemplo. A linguagem do exemplo. Bons exemplos geram boas atitudes. Os evangelhos nos ensinam que o mais importante não é como chamamos a Deus, mas com que atitudes o servimos.

Jesus diz em Mateus 7.21-23:
Não é toda pessoa que me chama de Senhor, Senhor que entrará no Reino do céu, mas somente aquele que faz a vontade de meu pai, que está no céu. Quando aquele dia chegar, muitas pessoas vão dizer: Senhor, Senhor, pelo poder de seu nome nós anunciamos a mensagem de Deus e pelo seu nome expulsamos demônios e fizemos muitos milagres. Então eu direi claramente a essas pessoas: “Eu não conheço vocês. Afastem-se de mim, vocês só fazem o mal”. 

Epifania – nos fala da revelação da vontade de Deus. Essa revelação da vontade de Deus está unicamente nos ensinamentos e nas atitudes de Jesus. Sempre que você ouvir que a vontade de Deus está na condenação, no juízo, na violência –saiba que isso pode estar escrito no Antigo Testamento, mas isso não é vontade de Jesus. Jesus nos ensinou a orientar nossa vida pelo mandamento do amor, e nos diz que a transformação que Deus quer nesse mundo não deve ser por força, nem por violência, mas pela força do bom exemplo, pela força transformadora do amor, da aceitação e da acolhida.

Amém.

Oh Dios, único Dios – pero que tiene muchos nombres - con los que los humanos de todos los tiempos te han buscado. Tú que te has hecho buscar por todos los pueblos, y a todos ellos también les has salido al encuentro en su propia vida espiritual, en su religión, concédenos apertura de corazón para sentir tu presencia omnímoda en todas las religiones de la tierra. Tú que vives y das vida, y dialogas con todos los pueblos, por los siglos de los siglos. Amén.
 

MÍDIATECA
REDE DE RECURSOS
+
Ó Senhor Deus, o teu amor chega até o céu e a tua fidelidade vai até as nuvens. A tua justiça é firme como as grandes montanhas e os teus julgamentos são profundos como o mar.
Salmo 36.5-6
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br