Eleições 1992

Carta Pastoral da Presidência

04/09/1992

Democracia não se decreta de cima nem se instala por simples determinação legal. Exige a vontade popular e uma prática de participação responsável na condução dos destinos da Nação. Quer ser aprendida. Nesse processo, também a Comunidade de Jesus Cristo, chamada ao serviço à vida, cumpre importante função. É este o motivo da presente manifestação.

Aproximam-se as eleições municipais. Acontecem em clima político e social agitado, decisivo para o futuro da Nação. O povo, no exercício da cidadania, se mobiliza para recuperar a dignidade das instituições políticas, para ver respeitados seus direitos sociais e para coibir a corrupção, o abuso do poder e o desprezo ao bem comum. Há sinais promissores de mudança. Importa não resignar, e, sim dar continuidade ao movimento. O anseio por governo honesto, por punição do crime e por reversão do quadro de miséria que nos horroriza não permite ser novamente frustrado.

A luta por este nobre objetivo deve prosseguir em todos os níveis, sendo as eleições a 3 de outubro próximo mais um privilegiado momento para tanto. O dever ético impõe a necessidade do voto responsável. Por isto importa:

1. Privilegiar candidatos e candidatas de comprovada integridade moral e de competência administrativa.

2. Repudiar a compra de votos por favores pessoais e meros presentes eleitorais.

3. Insistir na apresentação de programas e metas por quem aspira um cargo público.

4. Examinar a credibilidade, a autenticidade bem como o compromisso com a justiça social por parte das pessoas que disputam os cargos.

5. Cobrar de quem se elegeu o cumprimento das promessas e o bom exercício do mandato. Julgamos que o voto em branco não é solução. Nem o são a apatia e o desinteresse político. Sob a perspectiva evangélico-luterana, assumir responsabilidade pela causa pública é exigência do próprio Deus e uma maneira de render-lhe culto. Não tem o direito de queixa quem se esquiva dessa responsabilidade. Importa dar um “basta!” à politização da ética. Urge, pelo contrário, a moralização da política. Comunidade evangélica é convocada a contribuir para tanto, ensaiando o exercício da democracia através de ação criteriosa.

Que Deus assista ao povo brasileiro no pleito a realizar-se em breve, para que, mais e mais, a paz e a justiça venham a prevalecer na sociedade brasileira.

Porto Alegre, 04 de setembro de 1992

Dr. Gottfried Brakemeier

Pastor Presidente


 


Autor(a): Gottfried Brakemeier
Âmbito: IECLB
Área: Missão / Nível: Missão - Sociedade / Instância Nacional: Presidência
Natureza do Texto: Manifestação
Perfil do Texto: Manifestação oficial
ID: 12575
REDE DE RECURSOS
+
Não sei por quais caminhos Deus me conduz, mas conheço bem o meu guia.
Martim Lutero
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br