É bom ou mau?

18/08/2017

É bom ou mau? Conto para vocês uma estória que nunca aconteceu, mas acontece sempre. Um homem muito rico, ao morrer, deixou suas terras para os seus filhos. Todos eles receberam terras férteis e belas, com a exceção do mais novo, para quem sobrou um charco inútil para a agricultura. Seus amigos se entristeceram com isso e o visitaram, lamentando a injustiça que lhe havia sido feita. Mas, ele só lhes disse uma coisa: Se é bom ou se é mau, só o futuro dirá. No ano seguinte, uma seca terrível se abateu sobre o país. As terras dos seus irmãos foram devastadas. As fontes secaram. Os pastos ficaram esturricados. O gado morreu. Mas, o charco do irmão mais novo se transformou num oásis fértil e belo. Ele ficou rico e comprou um lindo cavalo branco por um preço altíssimo. Seus amigos organizaram uma festa. Mas, dele só ouviram uma coisa: Se é bom ou se é mau, só o futuro dirá. No dia seguinte seu cavalo de raça fugiu e foi grande a tristeza. Seus amigos vieram e lamentaram o acontecido. Mas, o que o homem apenas lhes disse: Se é bom ou se é mau, só o futuro dirá. Passados sete dias o cavalo voltou trazendo consigo dez lindos cavalos selvagens. Vieram os amigos para celebrar esta nova riqueza, mas o que ouviram... Se é bom ou se é mau, só o futuro dirá”. No dia seguinte o seu filho, sem juízo, montou um cavalo selvagem. O cavalo corcoveou e o lançou longe. O moço quebrou a perna. Voltaram os amigos para lamentar a desgraça. Se é bom ou se é mau, só o futuro dirá, o pai repetiu. Passados poucos dias, os soldados do rei vieram para levar os jovens para a guerra. Todos os moços tiveram de partir, menos aquele que estava com a perna quebrada. Os amigos se alegraram e vieram festejar. O pai viu tudo e somente disse: Se é bom ou se é mau, só o futuro dirá! Assim termina a estória, sem um fim... Ela pode continuar indefinidamente. E, ao contá-la é como se contasse a estória de minha vida. Tanto os meus fracassos quanto as minhas vitórias duraram pouco. As vitórias se desfazem como castelos de areia atingidos pelas ondas. As derrotas se transformam em momentos que prenunciam um começo novo. Enquanto a morte não nos tocar, pois somente ela é que encerra nossa carreira sobre a face da terra. A sabedoria nos diz que vivemos sempre à mercê do imprevisível dos acidentes, confiando no cuidado do Senhor. Se é bom ou se é mau, só o futuro dirá. No momento continuamos apegados a Deus, rogando que Ele mantenha acessa a nossa esperança. Leia Provérbios 16.1-4.


Autor(a): P. Euclécio Schieck
Âmbito: IECLB / Sinodo: Norte Catarinense / Paróquia: Garuva-SC (Martinho Lutero)
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Testamento: Antigo / Livro: Provérbios / Capitulo: 16 / Versículo Inicial: 1 / Versículo Final: 4
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Meditação
ID: 43374
REDE DE RECURSOS
+
Sejam bons administradores dos diferentes dons que receberam de Deus. Que cada um use o seu próprio dom para o bem dos outros!
1Pedro 4.10
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br