Deus continua insistentemente presente!

04/05/2018

Atos 10.44-48

Prezada Comunidade, estimad@s Rádio-ouvintes da rádioweb luteranosuai.com

Estamos nos aproximando da Festa de Pentecostes - que será no domingo dia 20 de maio- e já ouvimos que o texto bíblico de hoje nos relata que a ação do Espírito Santo na Igreja se evidencia quando há diversidade, quando há diferenças, quando as coisas não são todas iguais. As primeiras comunidades cristãs eram inicialmente comunidades judaicas. Por isso, esse texto da conversão de não judeus ao cristianismo é algo novo para aquela época. Algumas pessoas viam com bons olhos a entrada de cristãos não judeus na igreja, mas a maioria dos cristãos judeus não gostaram nada dessa novidade. Por isso eles exigiam que um não judeu deveria primeiro converter-se ao judaísmo e somente depois ser batizado. Isso era uma forma de limitar o acesso a igreja para os que não eram judeus.

O nosso texto fala da surpresa de Pedro, que se admira com a aceitação da mensagem cristã pelos não judeus. Ele ficou admirado por Deus ter derramado o dom do Espírito Santo sobre os não judeus. E esse dom do Espirito Santo era perceptível porque os não judeus começaram a falar em línguas. Isso era uma tremenda novidade para os judeus. Não sabemos se esse falar em línguas era um murmurar palavras que ninguém entendia, ou se era um falar em línguas ao estilo de Pentecostes, quando os discípulos começaram a falar em idiomas de outros países. O certo é que quando o Espirito Santo se manifesta ele abre novas possibilidades para a igreja, ele atrai pessoas de fora para dentro da igreja, ele desafia a igreja a se adaptar para as novas mudanças.

Ainda hoje podemos sentir a presença do Espírito Santo em nossas igrejas que nos orienta a continuar pregando a teologia da graça de Deus, que diz que todas as pessoas são salvas por Deus, não por causa dos seus méritos, mas unicamente por causa do amor, da misericórdia de Deus. O Espírito Santo também nos faz ser comunidades diaconais, pois muitas de nossas comunidades tem um trabalho social importante. Ajudar os outros (ser solidário) é a nossa de agradecer a Deus. O Espirito Santo também enche nossos corações de acolhida para pessoas que tem uma maneira diferente de viver a sua afetividade e a sua sexualidade. O espírito santo nos faz ser respeitosos com outras igrejas e também outras religiões. E o espirito Santo também abre nossas bocas para o testemunho profético diante das injustiças sociais e diante das autoridades quando suas atitudes e decisões não são democráticas.

Uma coisa que aprendemos com a teologia luterana é que Deus nunca nos abandona, que nos momentos mais difíceis da vida, quando o mundo parece desabar sobre a nossa cabeça, Deus continua insistentemente presente ao nosso lado. Deus não abandona o seu povo neste mundo, ele sempre nos abre portas em toda parte, nos momentos de angústia nos conduz a moradas de paz e refúgios repletos de bênção.

Essa semana vimos essa tragédia terrível que aconteceu lá em São Paulo, quando aquele edifício de 24 andares ao lado da igreja luterana pegou fogo, desabou e os escombros destruíram grande parte da igreja luterana. Muitas famílias que moravam naquele edifício perderam tudo o que tinham e ainda não se sabe quantas pessoas morreram.

O pastor Frederico Ludwig, que é o nosso pastor ali na igreja luterana do centro de São Paulo, disse que ele entrou várias vezes nesse edifício e viu a precariedade das condições de vida naquele lugar. A fiação elétrica estava toda exposta, o encanamento de água e esgoto todo irregular, divisórias de madeira para dar mais privacidade aos ambientes, elevador cheio de lixo. Ele disse que aquele edifício era uma verdadeira bomba relógio. Que era uma tragédia anunciada. O edifício pertencia a Caixa Econômica Federal e estava abandonado. O responsável por aquele edifício era a Caixa Econômica Federal, mas o edifício estava abandonado a anos. Foi o descaso e o abandono desse patrimônio que fez com que ele fosse ocupado por pessoas que não tinham outro lugar para morar.

A Comunidade Luterana do Centro de São Paulo tem um trabalho muito bonito com moradores de rua. As pessoas que moram na rua encontravam ali um lugar para comer uma comida quente, para tomar um banho, para guardar os seus documentos, um lugar de acolhida, de comunhão, de oração. E foi o abandono e o descaso com uma propriedade da União que interrompeu esse trabalho com os moradores de rua e muitas outras atividades da Comunidade. A igreja e os moradores de rua perderam o seu lugar.

Aqui de Belo Horizonte enviamos uma carta para a Comunidade Centro de São Paulo, falando de nossa solidariedade e de nosso compromisso com a campanha de recursos para a reconstrução do templo. Mas também sugerimos que eles não deixassem a União lavar as mãos. A culpa pela situação atual é do Estado. Permitir que pessoas vivam em situações tão precárias é assumir a responsabilidade no que lhes pode acontecer. Por isso, sugerimos que eles chamassem @s arquitet@s, engenheir@s, advogad@s membros da IECLB na cidade de São Paulo, e que se for possível a própria direção da IECLB convidasse juízes juízes e até políticos ligados a IECLB para juntos construir uma estratégia de ação reparatória. Nós sabemos de outras experiencias que o Estado gosta de tirar o corpo fora. Mas o Estado não pode mais uma vez ser negligente com as consequências de seu descaso. Quem tem direitos precisa reclamar por eles. E isso é possível com a participação de pessoas preparadas.

Portanto, a Palavra de Deus nesse domingo nos falou sobre a ação do Espirito Santo que quer uma comunidade/uma igreja/ um povo de Deus dinâmico e atuante no mundo. E mesmo através de situações trágicas Deus nos quer mostrar algo. Através da tragédia em São Paulo, Deus nos faz olhar para o bonito trabalho dessa Comunidade com os moradores de rua. E eles não querem apenas reconstruir ao seu templo, mas querem também assistência para as pessoas que perderam tudo o que tinham. As ruinas do templo se misturaram com as ruinas das pessoas. E agora, igreja e as pessoas atingidas se unem no mesmo destino: reconstruir suas vidas. Por isso rogamos: Dá-lhes confiança, oh Deus que tu transformarás seu deserto numa terra rica de água e que teu poder suplantará a sua fraqueza! E que Deus abra também os nossos olhos e os nossos bolsos para a solidariedade com essa Comunidade e as pessoas empobrecidas. Faze-nos ver que novo que há tantas pessoas que estão famintas e passam por dificuldades só porque muitos de nós esquecemos que somos todos irmãos e irmãs.

O pastor Frederico respondeu a nossa carta dizendo: São estas manifestações que trazem alento e esperança ao nosso coração tão sofrido nesta hora. Ele disse que no alto do altar da Igreja ainda estão escritas as palavras do Salmo 90.1, “Senhor tem sido nosso refúgio de geração a geração.” 

Que Deus abençoe ao pastor Frederico, a Comunidade Centro de São Paulo, as pessoas que foram atingidas pela tragédia do desabamento e a também a missão de nossa comunidade aqui em Belo Horizonte. Amém.


Veja o que foi publicado sobre Tragédia no centro de São Paulo
 


Autor(a): Nilton Giese
Âmbito: IECLB / Sinodo: Sudeste / Paróquia: Belo Horizonte (MG)
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Área: Comunicação / Nível: Comunicação - Programas de Rádio
Testamento: Novo / Livro: Atos / Capitulo: 10 / Versículo Inicial: 44 / Versículo Final: 48
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 47058
MÍDIATECA
REDE DE RECURSOS
+
Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.
João 8.31-32
© Copyright 2018 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br