Anunciar as maravilhas de Deus.

Senhas diárias

11/05/2018

O salmista reconhece a grandeza de Deus e as suas maravilhas em prol de sua criação, em prol da humanidade. Ele conclama a comunidade a louvar e dar graças a Deus por tudo o que Ele tem feito. Seu cântico é de adoração a Deus, pois sua presença com seu povo é uma constante. Ao mesmo tempo, o salmista sabe que é tarefa de israel anunciar ao mundo o que o Senhor tem feito. É tarefa do povo falar aos outros povos sobre a ação do Senhor e seu cuidado para com Israel. É um dos jeitos de chamar os outros povos a também virem adorar ao verdadeiro e único Deus. Este ministério que Israel tinha precisava ser colocado em prática através do testemunho do povo, aos outros povos, e também de cada pessoa às outras pessoas. Contar e testemunhar os feitos e as maravilhas de Deus é uma das formas de melhor adorar ao Senhor, pois é reconhecer publicamente o poder e a graça de Deus. O Senhor se alegra com isso.
O apóstolo Pedro exorta as comunidades destinatárias de sua cartas a que percebam que a tarefa de anunciar estas maravilhas de Deus, especialmente através de Jesus e tudo o que Ele fez por nós, é agora um ministério da Igreja, isto é, das comunidades e de cada crente em Cristo. Os integrantes da Igreja de Cristo, membros de seu Corpo, crentes que foram chamados da escuridão para a luz, pela fé, foram escolhidos para esta tarefa tão especial e fundamental para tornar conhecidas a misericórdia e a graça de Deus, o Pai. O mundo precisa saber que a salvação foi consumada na cruz e na ressurreição de Cristo Jesus e não outro lugar onde buscar e achar esta salvação. É perda de tempo e correr atrás do vento buscar outro lugar. Somos a Igreja a de Cristo e temos esta tarefa. Vamos anunciar as maravilhas do Senhor. 


Autor(a): P. Luiz Carlos
Âmbito: IECLB / Sinodo: Sudeste / Paróquia: Rio Claro (SP)
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Meditação
ID: 47134
REDE DE RECURSOS
+
O amor ao próximo não olha para o que é próprio. Também não olha se a obra é grande ou pequena, mas considera apenas a sua utilidade e a necessidade para o próximo ou para a Comunidade.
Martim Lutero
© Copyright 2018 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br