A lavoura de Deus (que é o mundo) continuará inevitavelmente contaminada pelo inço,

O inimigo sabia bem como poderia prejudicar o dono da terra. Não lhe tirou nada, mas lhe deu o indesejável.

21/07/2017

Mateus 13.24-30; 36-43
Prezada Comunidade:

Num contexto atual cheio de dúvidas e desconfianças sobre o poder de Deus, quase tod@s experimentamos uma certa “tonteira” (uma falta de clareza) sobre a presença de Deus e sua ação salvadora. O universo e a vida humana gemem e em nossas cidades e comunidades convivemos com o vazio da fé, o vazio da esperança – a completa falta de sentido.

Diante dessa realidade algumas pessoas perguntam: Onde está Deus? Por que Deus não intervém? Outros já incrédulos dizem que o silêncio de Deus é a prova da inexistência de Deus. Se Deus existisse mesmo, não haveria tanto sofrimento no mundo.

A ideia de que Deus virá para resolver os problemas do mundo vem lá do judaísmo. Os fariseus ensinavam que no dia em que todos os judeus obedecessem as leis de Deus, nesse dia Deus virá para essa terra e salvará os judeus e condenará os demais. Nesse dia Deus enviará fogo dos céus para acabar com os inimigos de Israel. A vinda do Messias para essa terra - significava o dia do juízo final.
Nesse contexto, aparece Jesus, dizendo que a Filho do Homem não veio para julgar, mas para salvar o mundo (Jo 3.17). Ou seja, a lógica de Jesus não é incentivar a destruição das pessoas e da natureza, mas de ensinar as pessoas o caminho da convivência nesse mundo, o caminho da salvação.

E por isso, Jesus – mais uma vez – interpreta a parábola do trigo e do joio
Nesse momento ler outra vez o texto de Mt 13. 36-43.
Jesus diz aqui que Deus sabe exatamente como o joio foi misturado com o trigo. Ele conhece a causa do problema. No entanto, Deus não atua imediatamente, não arranca o joio do meio do trigo, porque ele quer ensinar as pessoas a resolver seus problemas. O Filho do Homem não veio para julgar, mas para salvar o mundo.

Portanto aqui temos o primeiro ensinamento dessa parábola: Deus não virá para resolver os nossos problemas. Deus não virá para arrumar aquilo que a nossa maldade desarrumou. Deus criou o mundo e as pessoas e viu que tudo era bom. As pessoas se deixaram conduzir pelo mal e começaram a estragar a criação de Deus e as relações entre as pessoas. Os problemas não existem por causa de Deus, mas por causa de nós. Portanto, Deus não é aquele pai(mãe) que vai na escola para reclamar da professora por causa de um problema que o filho(a) criou. Deus é mais pedagógico: ele quer ensinar o filho(a) a resolver os seus próprios problemas.

Já ouvi muitas pessoas dizerem que estão cansadas de orar, de pedir a ajuda de Deus para resolver os problemas, mas Deus não escuta. Essas pessoas querem que Deus venha para resolver as brigas entre irmãos, entre pais e filhos, entre pessoas no trabalho. Elas querem que Deus intervenha, que force os outros em favor delas. Mas isso não acontece. Deus não está aí para resolver os nossos problemas. Por isso, a nossa oração que está errada. O correto seria pedir a Deus que ele nos oriente, que ele nos ajude, que ele nos modifique e nos transforme para que nós mesmos encontremos uma maneira de resolver nossos problemas.

Precisamos da ajuda de Deus, porque sozinhos nós não conseguimos fazer isso. Mas seguindo os ensinamentos de Jesus certamente vamos ter êxito. Desta forma, a salvação da qual fala Jesus se refere também a nossa vida no dia-a-dia. Se queres a ajuda de Deus, então dispõem-te a ouvir os ensinamentos de Jesus. Aproxima-te de Deus.

Algumas pessoas – no entanto – fazem justamente o contrário. Nas suas dificuldades elas se afastam ainda mais de Deus. Quem se afasta de Deus, quem se afasta da igreja, quem deixa de ouvir a Palavra de Deus – essa pessoa vai se envolvendo com sempre mais problemas. Mas quem volta para Deus, quem procura pela orientação na Palavra de Deus, essa pessoa vai conseguir resolver os seus problemas e a cada dia ela mesma vai se tornando uma pessoa melhor.

Deus está presente nesse mundo e está ajudando muitas pessoas todos os dias. Deus lança a sua boa semente nos corações das pessoas. No entanto, a parábola de Jesus fala de duas sementeiras. Quem semeou o trigo foi o dono da lavoura, mas um inimigo veio e semeou o joio. O inimigo é identificado com Satanás. O inimigo sabia bem como poderia prejudicar o dono da terra. Não lhe tirou nada, mas lhe deu o indesejável (o que hoje as grandes multinacionais, integrados etc. oferecem com astúcia). A perspicácia do inimigo é admirável. Ele sabe enganar bem de forma que a maioria das pessoas já não consegue diferenciar o mal do bem, o trigo do joio.

Existe uma expressão em espanhol que diz: Onde Deus constrói uma igreja, ao lado o diabo logo edifica uma capela. A parábola diz que trigo e joio crescem juntos. Portanto, testemunho cristão não acontece em ambiente purificado, mas em meio ao conflito.

Lamentavelmente há sempre pessoas e grupos que se julgam no direito de impor a outros seus critérios porque elas querem construir a comunidade (Igreja) perfeita - o trigo sem o joio, a Igreja sem mácula. Por outro lado, tem pessoas que não vem mais para a igreja, porque – dizem - na igreja tem muita gente falsa. Ora, quem sai da igreja por causa das pessoas, nunca foi lá por causa de Deus. Igreja é o lugar para pecadores(as). Não é lugar para pessoas santas. É na igreja que as pessoas vão encontrar orientação de Deus. Assim como o hospital é lugar para pessoas doentes, não para pessoas saudáveis.
Essas pessoas que também dizem que não é necessário ir a uma igreja para estar com Deus. Que elas podem estar com Deus em qualquer lugar. A igreja somos nós. Nós somos o templo de Deus.

Em 1Co 6.19 diz que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo. Portanto, nós devemos cuidar do nosso bem-estar. Mas também diz que cada um (a) de nós é um membro do corpo de Cristo (1Co 12). Não somos membros decepados/amputados do corpo, mas membros unidos ao corpo de Cristo. Um membro amputado do corpo logo se degenera e apodrece.

É unidos ao corpo de Cristo que vamos nos dando conta que a solidariedade, o amor ao próximo, enchem o coração da gente. Quem vai a igreja somente pensando em si mesmo, esse muitas vezes sai vazio. Mas quem vai para a igreja para orar por si e por outras pessoas, para ouvir a palavra de Deus e deixar-se transformar por ela, essa pessoa sai confortada, consolada, animada, renovada. Quem não ouve a Palavra de Deus vai se convencendo que ele sempre tem razão, que ele sempre está certo. O Maligno vai enchendo essa pessoa de razão e ela acaba vendo a maldade somente nos outros. No entanto, na igreja Deus vai nos questionando, vai nos modificando, vai nos orientando conforme a sua vontade. Vai nos ensinando a resolver nossos problemas sem ofender ou desprezar os outros.

A comunidade cristã é o povo eleito de Deus. Como tal, deve colocar em prática a vontade de Deus. Jesus diz em Mt 5.16: Assim também a luz de vocês deve brilhar para que os outros vejam as coisas boas que vocês fazem e louvem o Pai que está no céu.

Porque, a lavoura de Deus (que é o mundo) continuará inevitavelmente contaminada pelo inço, que é semeado constantemente pelo Maligno. A semente do mal nem sempre é claramente identificada nas estruturas e sistemas de dominação, injustiças e desigualdades.

No entanto, não temos agora necessidade de, com falso esmero, construir uma comunidade perfeita, começando o processo exclusivista. Nós cremos na justiça de Deus. E aquilo que nós não podemos melhorar, isso devemos deixar ao cuidado de Deus. Chegará o tempo em que os anjos de Deus vão recolher o joio que será queimado no fogo. Deus mesmo consumará sua obra em perfeição.

Nossa tarefa nesse mundo é resistir contra as forças do mal. É viver nesse mundo como comunidade alternativa, que brilha pela aceitação, pela acolhida, pelo refúgio, que defende a justiça, a igualdade, o respeito. Igreja não deve ser igual ao mundo. Igreja deve fazer a vontade de Jesus que nos ensinou que
Saber amar
É saber de mim e de si
É saber de nós
É saber ser um!

Sentir primeiro, pensar depois
Perdoar primeiro, julgar depois

Amar primeiro, educar depois
Esquecer primeiro, aprender depois

Libertar primeiro, ensinar depois
Alimentar primeiro, cantar depois

Agir primeiro, julgar depois

Navegar primeiro, aportar depois
Viver primeiro, morrer depois
(Mário Quintana)

Estamos aqui para ser luz, num mundo cheio de escuridão. Estamos aqui para nos diferenciar do mal. A igreja é o lugar onde aprendemos a viver a vontade de Deus.
Que a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus Pai e a comunhão do Espírito Santo continuem no meio de nós.
 


Autor(a): Nilton Giese
Âmbito: IECLB / Sinodo: Sudeste / Paróquia: Belo Horizonte (MG)
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Área: Comunicação / Nível: Comunicação - Rádios
Testamento: Novo / Livro: Mateus / Capitulo: 13 / Versículo Inicial: 24 / Versículo Final: 43
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 43085
MÍDIATECA
REDE DE RECURSOS
+
Louvem o Senhor pelas coisas maravilhosas que tem feito. Louvem a sua imensa grandeza.
Salmo 150.2
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br