A forma de agir de Deus

Histórias de transformação (Mateus 13.31-33; 44-52)

28/07/2017

Mateus 13 31-33; 44-52
Prezada Comunidade,

A leitura bíblica que ouvimos hoje do livro de 1Reis 3 nos fala do rei Salomão e do seu pedido a Deus. Quando Deus lhe pergunta: O que queres que eu te dê? O rei Salomão responde: Dá-me sabedoria para governar o teu povo. O governo do rei Salomão foi muito famoso, personagens vinham de longe para visitá-lo devido à fama que alcançou a sua inteligência. Bem diferente do nosso governo, que é conhecido pela corrupção, por comprar deputados que garantam a sua continuidade no posto. A nossa decepção é ainda maior, quando olhamos para a fila da sucessão. Portanto, lamentavelmente nada temos em comum com o exemplo do rei Salomão.

O Salmo 119, no entanto, começa a dar-nos sinais de esperança. A mudança está em voltar-se para Deus, em buscar em Deus a sabedoria e a orientação. A palavra de Deus traz luz e dá sabedoria (v. 130).

A carta do apóstolo Paulo aos Romanos também enfatiza que Deus pode nos ajudar em nossa fraqueza. Que Deus está pronto para nos ajudar. E com sua proteção nada nos pode prejudicar. Não há poder que nos possa fazer mal, porque Cristo morreu, foi ressuscitado e está à direita de Deus pedindo a Deus por nós. Por isso, não há nada que nos pode separar do amor de Deus.

E o Evangelho nos fala de várias histórias de transformação. Essas transformações não foram mágicas- algo que acontece de um momento para o outro e aparentemente sem explicação. Jesus não fala em mágica, mas fala em milagre. Toda mágica é um engano. Milagre não é engano, mas é uma oportunidade de transformação. O tesouro escondido só foi encontrado porque a pessoa que o encontrou estava arando o campo, preparando a terra para mais um plantio. A pérola só foi encontrada porque alguém estava trabalhando com isso e reconheceu o valor da perla preciosa. Os pescadores tiveram que lançar primeiro as redes, puxar as redes para a praia e então recolher os peixes. Todas essas coisas somente aconteceram como resultado do esforço, da bênção de Deus sobre o esforço. Isso é milagre. Quando Deus abençoa o nosso esforço. Mas sem esforço – não existe milagre.

Portanto, as transformações são possíveis. Os milagres são possíveis. E não existe nenhum poder do mal que pode resistir ao poder de Deus. Os novos horizontes são possíveis para nossa vida pessoal e até mesmo para o nosso pais.

Como podemos alcançar essa transformação – esse milagre?

O Evangelho nos diz que se descobrimos o valor absoluto dessa oferta de Deus, então é necessário tomar posição. É preciso abrir mão de posicionamentos e de pensamento. Deus conhece até os nossos pensamentos e ele sabe quando somos sinceros ou não. Sem essa disposição para a mudança, não existe transformação.

Jesus não cansava de repetir: O Reino de Deus está próximo. Deus está tentando transformar esse mundo, seu reinado já está chegando. No entanto, as pessoas não conseguiam acreditar nessas palavras de Jesus. As pessoas achavam que para transformar esse mundo era necessário algo mais espetacular: Onde estão os sinais dos céus, dos quais falavam os escritores apocalípticos? Onde se pode ver o poder de Deus impondo seu reinado sobre os maus?

Jesus então teve que ensinar-lhes a perceber o Reino de Deus de outra maneira. Ele ainda se lembrava do seu tempo de criança, quando ele via os passarinhos fazendo ninho nos galhos do pé de mostarda, que havia nascido de uma semente bem pequena, ou então quando no pátio de sua casa, ele via a sua mãe com as mulheres da vizinhança, que se reuniam muito para fazer o pão para toda a semana. Jesus observava como as mulheres colocavam o fermento dentro da massa. E ele pensou, com o Reino de Deus é assim também. Deus vai colocando as pequenas sementes, ele vai colocando o seu fermento no mundo, silenciosamente, e aos poucos toda a massa fica fermentada.

Assim é a forma de agir de Deus. Ele não vem impor seu Reino – como faz o imperador romano e tantos outros ditadores – mas ele transforma a partir de dentro a vida das pessoas, de maneira silenciosa e oculta.
Assim é Deus: Não se impõem, mas transforma. Não domina, mas atrai. E assim devem agir também as pessoas que colaboram no seu projeto como fermento na massa, como pessoas que vão colocando no mundo sinais de justiça, sementes de amor, de verdade, de maneira humilde, mas com força transformadora.

As pessoas que seguimos a Jesus não devemos apresentar-nos como pessoas de fora da sociedade, que em momentos de crise querem impor, dominar e controlar as pessoas que não pensam como nós. Também não é pela força que vamos abrir o caminho para o Reino de Deus. Se queremos seguir a Jesus, devemos viver dentro da sociedade, compartilhar as incertezas das pessoas, suas crises e contradições e contribuindo com nosso modo de agir, com nossa solidariedade.

Jesus nos mostrou hoje que transformação acontece depois do encantamento, do compromisso e só acontece com muita dedicação, com paciência e perseverança. Será que poderemos fazer isso? Sem a ajuda de Deus – não poderemos. Mas, o certo é que Deus suscitará ajuda e ele há de nos cuidar. Ele nos ajudará transformando o nosso medo em coragem, a nossa insegurança em certeza, as nossas dúvidas em fé. 

É verdade que nós não somos como Jesus, mas se queremos ser cristãos, nós precisamos ser parte da grandeza do coração de Jesus. Esperar de braços cruzados – assistir a tudo com mudez – isso não é uma postura cristã. Há muitas coisas que nós não podemos mudar sozinhos. Mas nós podemos ser solidários com quem está lutando e podemos mudar a nós mesmos.

Tudo isso é um processo, - diz Jesus. É como a semente que cresce devagar. É como o fermento que vai levedando a massa.

Deus nos oferece essa oportunidade de mudança (de transformação) pessoal. Essa mudança (essa transformação) pessoal é necessária - para que depois consigamos mudar as coisas ao nosso redor. Para mudar as coisas ao nosso redor, antes precisamos mudar dentro de nós mesmos.

Que Deus nos dê um coração puro, um coração humilde e amoroso, um coração confiante - para que jamais duvidemos do amor de Deus por nós. Amém.
 


Autor(a): Nilton Giese
Âmbito: IECLB / Sinodo: Sudeste / Paróquia: Belo Horizonte (MG)
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Área: Comunicação / Nível: Comunicação - Programas de Rádio
Testamento: Novo / Livro: Mateus / Capitulo: 13 / Versículo Inicial: 31 / Versículo Final: 52
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 43139
MÍDIATECA
REDE DE RECURSOS
+
Ao deixar de orar por um único dia sequer, perco grande parte da minha fé.
Martim Lutero
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br