10/03/2014

A cura pelo suor, pelas lágrimas e pelo mar

mar

Há algum tempo deparei-me com esta frase: “A cura para tudo é sempre água salgada: o suor, as lágrimas ou o mar”. A autoria da mesma é atribuída a Isak Dinesen e, ao pesquisar sobre este autor, descobri que na verdade se trata de um pseudônimo da baronesa Karen von Blixen-Finecke (1885 -1962) escritora dinamarquesa e autora, entre tantas obras, do conto que virou belo filme “A Festa de Babette”.

Ao refletir sobre esta frase resolvi pesquisar sobre a cura por estes três meios: o suor, as lágrimas e o mar. Para minha surpresa observei que, de fato, faz bem pra saúde integral do ser humano estes três elementos com gosto de sal: o suor, o choro e o contato com a água salgada do mar. Vejamos:

SUOR: Quando suamos é sinal que nosso corpo está funcionando bem. O fato é que supernormal e faz muito bem para a saúde essas gotinhas que incomodam tanta gente. Através dos poros, eliminamos 5% de substâncias tóxicas como sódio, cálcio, potássio e magnésio, que reagem com a água e fazem a condutividade elétrica no sangue. Os outros 95% são água. Fora que o suor mantém a temperatura do nosso corpo em torno de 36,5°C.
A quantidade eliminada varia de pessoa para pessoa, o período do dia e conforme a estação climática do ano. Mas normalmente perdemos um litro de suor por dia. Em situação extremas é possível expelir até 10 litros.

MAR: O banho de mar não tem apenas efeito relaxante. Especialistas acreditam que a água do mar tem efeito curativo. A Talassoterapia, palavra de origem grega cujo significado é cura pelo mar defende que os sais minerais presentes na água salgada ajudam a combater diversos problemas. O cálcio fortalece os ossos, enquanto o sódio é indispensável para os músculos e o enxofre contribui para a formação da queratina que recobre a pele e os fios do cabelo. A talassoterapia é um tratamento pode ser aproveitado por qualquer um. Basta manter o hábito de mergulhar e nadar no mar - observando as condições do tempo e as correntes marítimas.
Além do efeito benéfico dos sais minerais sobre o organismo, o vai e vem das ondas estimula o fluxo sanguíneo do corpo.

CHORO: Ir do marejar dos olhos ao transbordar em lágrimas faz com que nos sintamos mais leves. Algo que a ciência já tem como certo: ao chorarmos, liberamos substâncias químicas que proporcionam a sensação de alívio quase imediato. A verdade é que chorar faz bem e, sem exageros, não tem contra-indicação. Quando entornamos a primeira gotícula entra em cena a leucina-encefalina, substância produzida pelo encéfalo, a nossa massa cinzenta que tem a função específica de nos anestesiar se sentimos fortes dores e também nos deixa um tanto entorpecidos, na maior paz. Outra substância que divide as atenções é a prolactina, hormônio produzido na glândula pituitária, no meio do cérebro, quando aumenta a tensão. Com altas taxas de prolactina no organismo, as emoções ficam à flor da pele. Aí, chorar funciona como uma válvula de escape que manda o excesso do hormônio embora.
Sim, as lágrimas fazem bem. Mas não dá para chorar em todo canto, a qualquer instante. O excesso, assim como reprimir o líquido, deixa na cara que as coisas não estão bem.
Há pesquisas que afirmam que as mulheres, de fato, choram mais que os homens. Uma das hipóteses da neurociência para este aspecto é de que as mulheres a partir dos 16 anos fabricam 60% mais de prolactina do que os homens. Isso porque o hormônio tem outras atribuições, como preparar as mamas para, um dia, produzir leite. Aliados a essa diferença biológica estão os fatores culturais. Em muitas sociedades ainda predomina a idéia de que chorar é somente coisa de mulher. A verdade é que chorar faz bem e, sem exageros, não tem contra-indicação.
Cientes destes três elementos benéficos para nossa vida podemos relacioná-los com diferentes situações que vivenciamos e que podem ser sinal de renovação, cura e libertação.

O suor pode estar atrelado aos momentos de árduo trabalho, produção; realização com a atividade que exercemos; fato este que também produz cura, renova vidas e alimenta esperanças e sonhos.

As lágrimas são relacionadas com momentos extremos de sofrimento, tristeza, saudades, ou apreensão; ou momentos de extrema alegria, emoção e grandes conquistas. Ao partilharmos dores e alegrias com aqueles/as ao nosso redor nos tornamos pessoas mais leves e cultivamos o sentimento de paz interior. Lembremos que o próprio Jesus também chorou.

O mar está ligado ao relax da vida, momentos de prazer, de encontros, de silêncio, de celebração, amizade, situações que nos fazem sentir em paz. Além de fazer bem para a saúde, o contato com a água salgada do mar revigora nossas energias.

De fato, a cura para todos os males existe e está sempre ao nosso alcance. Deus criou o mundo perfeito e nos deu dons para vivermos em equilíbrio com a natureza, ouvindo os sinais de nosso corpo e o sussurro de nossa alma.
Relacionados com a frase “A cura para tudo é sempre água salgada: o suor, as lágrimas ou o mar”, lembro ainda alguns versículos bíblicos que podem ser partilhados e refletidos na vida comunitária:

Cura-me, Senhor, e serei curado; salva-me, e serei salvo, pois tu és aquele a quem eu louvo. Jr 17.14

Confessai, portanto, os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros, para serdes curados. Tg 5.16

Todos os ribeiros vão para o mar, e, contudo, o mar não se enche; ao lugar para onde os rios correm, para ali continuam a correr. Ec 1.7

Ó Senhor, quão multiformes são as tuas obras! Todas elas as fizeste com sabedoria; a terra está cheia das tuas riquezas. Eis também o vasto e espaçoso mar, no qual se movem seres inumeráveis, animais pequenos e grandes. Sl 104.24-25

Mudaste o meu pranto em dança, a minha veste de lamento em veste de alegria. Salmo 30.11

Ele enxugará dos seus olhos toda lágrima. Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor, pois a antiga ordem já passou. Ap 21.4

Se a água salgada através do suor, lágrimas ou mar é fonte de cura, bem nos lembrou Jesus sobre o uso do sal: “Bom é o sal; mas se o sal se tornar insípido, como haveis de temperar? Tende sal em vós mesmos, e guardai a paz uns com os outros.” Marcos.9.50.
Que Deus conceda que através dos momentos de lazer, trabalho árduo e gratificante, sofrimentos ou alegrias, possamos nos conhecer melhor para sermos fonte de cura para nosso corpo e alma a fim de que sejamos também tempero saboroso e saudável na vida de outras pessoas, sob os cuidados do Criador. Amém!
 


Voltar Imprimir

Informações


Autor(a): Cristina Scherer
Âmbito: IECLB / Sinodo: Norte Catarinense
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Meditação
ID: 27184


© Copyright 2014 - Todos os Direitos Reservados. -IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br