2 Coríntios 4.1-10

Prédica

03/02/2019

 

QUE A GRAÇA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, O AMOR DE DEUS E A COMUNHÃO DO ESPIRITO SANTO SEJAM COM TODOS NÓS. AMÉM.

Culto de envio Pastor Emérito Geraldo Graf - São Paulo – SP – Dia 03/02/2019.

Pregação: 2 Co 4.1-10

Irmãos e Irmãs,

É motivo de alegria poder estar com vocês neste dia. Deixo com vocês o caloroso abraço da Pastora Silvia que se encontra em viagem para a Alemanha e do Segundo Vice Presidente, Pastor Mauro em período de férias. Alegria por poder estar junto ao Pastor Geraldo neste culto que marca o seu envio, depois de anos servindo a IECLB, para o tempo de emérito.

Lendo o convite do Pastor Geraldo encontrei a passagem orientadora para a mensagem desta manhã, assim como ouvimos, na leitura de 2 Co 4.1-10. Fiquei imaginando quando vezes Pastor Geraldo deve ter se confrontado, lido, estudado e pregado sobre o texto. Quantas vezes esteve envolvido com situações que a palavra de Paulo faz referência, ou seja, quantas vezes viu e vemos pessoas que voltam as costas ao Evangelho, acham que sozinhos são capazes e tudo podem. Quantas vezes a Boa Nova da Salvação é varrida para debaixo do tapete. Quantas vezes vemos, e certamente na vida ministerial do Pastor Geraldo não foi diferente, pessoas em sofrimento, angustiadas, enlutadas, em busca de justiça, de força e coragem para dar o passo seguinte. Quantas vezes a enfermidade nos assalta de modo repentino e tudo vira um grande ponto de interrogação. E nestas horas o pastor é porto seguro, referência, ancora para alcançar confiança diante da necessidade de seguir adiante.

Paulo diz: Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que se veja que a excelência do poder provêm de Deus, não de nós (v.7). É sobre vida e a morte, alegria e tristeza, esperança e desesperança que estamos falando. Há pessoas que não veem a glória de Cristo. Eles estão ''cegas'', como Paulo escreve. E se estão cegas para a Palavra de Deus, duvidam, não se entregam, relutam, fazem pouco caso do próximo e suas necessidades. Se estão cegas se esquecem de mostrar gratidão pelas bênçãos alcançadas. Ou seja, esquece-se de tomar em seus braços, para a sua vida, o tesouro do qual Paulo fala, ou seja, a Palavra e a orientação de Deus para a vida e jornada que ela coloca diante de nós.

Creio que posso com absoluta certeza dizer que na vida do Pastor Geraldo, assim como na vida de cada qual aqui presente, a graça e a misericórdia de Deus se fizeram, fazem e se farão presentes. E este tesouro em vaso de barro fez a diferença na vida dele, na minha e na tua vida.

No caso do pastor Geraldo a graça e a Misericórdia de Deus, este tesouro em vaso de barro, esteve com o menino Geraldo quando ainda muito pequeno perdeu o pai, lá em Sussuí, Campo Mourão/PR, falecido num acidente enquanto se construía o templo luterano. A graça e a misericórdia de Deus estiveram com o Menino Geraldo que foi levado a Taió SC para viver na casa dos tios. A graça e a Misericórdia de Deus estiveram com o jovem Geraldo que deixa Taió e vai a São Leopoldo estudar teologia e desbravar um mundo totalmente novo.

A graça e a Misericórdia de Deus estiveram com o jovem Pastor Geraldo que passa a servir a IECLB em diferentes lugares Brasil, conduzindo seus passos, orientando seu ministério, conduzindo o tempo de conhecer a esposa Adélia, o casamento, a chegada dos filhos. A graça e a misericórdia de Deus também estão com a família do Pastor Geraldo neste tempo de enfermidade da esposa Adélia, assim como serão norteadores no tempo em que ele passará a integrar o grupo de ministros eméritos da IECLB, os quais muito serviram, pregaram anunciaram e testemunharam por onde estiveram.

Mas isso somente é possível quando vemos, quando focamos na palavra de Deus, quando deixamos este tesouro em vaso de barro mexer e agir conosco, quando deixamos chegar a nós e nos desafiar. E para ver bem, devemos olhar, nos alimentar da Palavra de Deus, seus ensinamentos e orientações, rejeitando aquilo que quer conduzir para caminhos diversos, tirando o foco de Deus.

Se você está com a visão pela metade, você vê, mas não vê certo. Sabemos disso quando dirigimos. Quando o sol deixa a visão ofuscada. Quando dirigimos a noite, a regra de condução ensina a baixarmos a luz alta quando alguém vem em nossa direção. Assim como no trânsito é em nossa vida. Podemos ser cegados e não reconhecer Jesus Cristo, seus ensinamentos e orientações que desejam promover vida plena, digna e abundante (Jo 10.10). E para que isto não aconteça, temos a oportunidade da vida comunitária, dos grupos, das celebrações. Estes são espaços saudáveis, de fortalecimento mutuo.

Em nosso dia a dia vemos que alguns estão cegos pelo dinheiro, pelo poder, como vimos nesta semana na eleição da presidência do senado. Vemos pessoas cegadas pela ambição e o desejo de crescer e dominar. Vemos pessoas cegadas pelo culto ao corpo, pela fama, etc. E tal cegueira afasta de Deus, de seu tesouro em vaso de barro. E quando isto ocorre, não significa que tudo esteja acabado e que não temos mais condições de recomeçar.

Paulo afirma: “Em tudo somos atribulados, porém não angustiados. Ficamos perplexos, porém não desanimados. Somos perseguidos porém não abandonados. Somos derrubados, porém não destruídos. Levamos sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a vida dele se manifeste em nosso corpo”. Ou seja, podemos recomeçar. Não estamos sozinhos. Não ficamos a mercê do amor e da graça de Deus. Não precisamos subir uma dificl, apretada e pesada escada em direção a Deus. Ele fez este caminho, em Jesus Cristo, vindo ao nosso encontro, renovando nossa vida.
Paulo escreve no v. 6: Das trevas resplandeça a luz, ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus na face de Jesus Cristo. Essa luz é a palavra de Deus, suas orientações e ensinamentos. Seguir tal luz traz fé, coragem, orientação. Seguir essa luz concede consolo e conforto. Acima de tudo, seguir essa luz, desde nosso batismo, concede salvação e vida eterna.

Por isto não pregamos a nós mesmos, mas a Jesus Cristo como Senhor e a nós mesmos como servos. Paulo em verdade nos desafia a viver sempre animados, sem dar espaço para o desânimo e a falta de esperança. Isto somente se torna possível quando vivemos pela fé. E fé é crer, acreditar, se entregar, saltar no escuro. Um pouco adiante, neste mesmo capítulo, Paulo diz: que aquilo que pode ser visto dura apenas um pouco, mas o que não pode ser visto dura para sempre. (v.16b-18). Isto é a fé.

Com isto podemos dizer que viver pela fé significa: Colocar a vontade de Deus no centro das decisões. Fazer isso implica reconhecer que o sofrimento faz parte da vida de fé. Isso, por sua vez, faz refletir sobre o desânimo que às vezes se abate sobre nós: estou agindo somente com as minhas forças, somente a partir da minha vontade, somente com o meu conselho, somente eu, eu e eu? Quem coloca a vontade de Deus no centro de sua vida, vive no amparo e na providência de Deus.

O que Paulo tem em mente sobre fé pode ser resumido: Quando a fé está presente, a vontade, a medida e o olhar de Deus estão no centro. Quando a fé está presente, a pessoa está livre de si mesma, da sua vontade em ser o centro das atenções. Na prática, o pensamento de uma pessoa de fé passa a ser: “não importa o resultado, venha o que vier, eu sei que Deus está junto comigo”.

Quem coloca a vontade de Deus no centro de sua vida, vive do amparo de Deus, tem como alvo o céu, é alguém livre de si mesmo em direção ao próximo, é alguém que não vai ficar calado. Verdadeiro crer visa sair de si. Quem experimenta o amparo de Deus, recebe o consolo e o sustento, não tem como ficar calado. Está tão feliz que quer dizer para todos, quão bom é ser uma pessoa que pertence a Deus e que vive de sua graça e misericórdia.

Isto se torna possível por meio de Jesus e nossa entrega e confiança nele. Isto é um formidável tesouro a nossa disposição, o qual é alcançado pela confiança e entrega a Deus. Pastor Geraldo, que serviu a sua igreja e que hoje enviamos para seu tempo de emérito, viveu disto, pregou isto. Buscou a justiça e a dignidade, o respeito e o consolo das pessoas. Ele também foi, é e será agraciado por Deus neste tempo de enfermidade de Adélia. Deus lhe dará, assim como a todos nós, força e capacidade de persistir confiando e dando o passo seguinte. Por isto, no convite para este culto lemos: Por que não pregamos a nós mesmos, mas a Jesus Cristo como Senhor. Que assim seja. Amém
 


Autor(a): Odair Braun
Âmbito: IECLB / Sinodo: Sudeste
Área: Ministério / Nível: Ministério com Ordenação / Instância Nacional: Presidência
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 50911
REDE DE RECURSOS
+
A fé é um contínuo e persistente olhar para Cristo.
Martim Lutero
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br